quinta-feira, 10 de setembro de 2009

O mistério do queijo que não era queijo

Gente, eu estou passada. Eu nem uso essa expressão, mas deve ser a mais apropriada pro momento. Nos comentarios do post passado, me perguntaram se "cabeça de galo" não era a marca do produto, se não poderia ser um azeitezinho inofensivo. Foi quando me dei conta de que eu sequer havia lido a embalagem do produto, e que quem havia dito que aquilo era cabeça de galo tinha sido Camilo e Simone. Então, fui catar uma das latas pra analisa-la.

Primeiro: o que tava escrito na embalagem era fromage de tête. Fromage: queijo. Tête: cabeça. "Mas que puxa, como eu sou tola! E não é que o que tem aqui dentro é somente queijo! Puxa vida!" E fiquei saltitante e feliz... até ler os ingredientes: molho, tempero, açucares, gelatina e langues de porc. Não, não era cabeça de galo, era bem pior: pedaço de porco.

Depois de me recuperar do enjoo (do nojo) causado pela imagem de linguas de porco decepadas e enlatadas, fui consultar o Mestre Google e achei as seguintes referências pro que poderia ser o tal do queijo que era galo e que agora é porco.

Primeiro resultado:Ninguém é obrigado a saber que fromage de tête não é queijo e sim um patê heavy metal. (Fonte) Engoli a saliva secamente: "patê heavy metal" não pode ser coisa boa.

Segundo resultado: ...uma charcutaria da qual gosto muito, mais conhecida em Portugal por 'pasta de cabeça'. O nome diz tudo: a pasta de cabeça, que se apresenta como um paté, é obtida à partir de cabeça de porco, cozida longamente em caldo de legumes e especiarias, e depois envolta em geleia. Pode não parecer, mas fica uma delícia...! (Fonte). Mas por que sera que não parece uma delicia? Oh, deus! Cabeça de porco cozida envolta numa geleia! Não consigo pensar em nada mais apetitoso do que isso! Gah! E fica pior...

Terceiro resultado: Uma das especialidades (...) é o fromage de tête, que não sei se vocês conhecem, mas já passei a maior saia-justo com esse tipo de "fromage". Pedi de entrada num bistrô parisiense o tal fromage, para acompanhar com vinho. Fromage é fromage, certo? E quando se pensa em queijo francês (...), não se tem a menor dúvida de que vem coisa bacana... pois bem, o tal fromage não era fromage e sim um patê. Superado o susto (e mico) visual, veio o susto olfativo (não esqueço o cheiro), seguido da legenda: é um patê de miolos, tudo que vc possa imaginar. E chega aos pedaços. ou seja, vc vai sentindo no boca cada miolinho e outras coisas mais. Come-se com pepino. Eles comem, eu não consegui... (Fonte) Patê + miolo + porco = vômito.

Quarto resultado: Dicionario Lendemain: fromage de tête (n.): gelatina de porco.

Voila! Quinze latas de gelatina de miolo de porco estragado. Acho que quero meu galo de volta.

16 comentários:

Caso me esqueçam disse...

essa mensagem aqui é somente pra avisar que eu comentei alguns, e somente alguns, recados deixados nos ultimos dez posts deste blog. e que, daqui em diante, pretendo comentar/responder, por aqui também, os recados/perguntas deixados pelo leitor. gracias.

Amanda disse...

Que nojo, Luci!!! Eu poderia viver a vida toda sem saber que esse produto existia e ia ficar feliz. Era melhor ter ficado com a cabeça de galo!

Tem algumas coisas que a gente tem pleno direito de dizer "não comi e não gostei.

Seu post foi bom pra minha dieta. Perdi completamente a fome!

Quanto às coicidências, engraçado, né?? Eu achava que era o unico ser que ja morava com o namorado desde o primeiro dia!

E ai, quando vc vem à Paris?? Tava pensando em fazer um encontro de blogs. Eu to de férias, quem sabe não apareco por ai?

Helena disse...

Adorei o post. Muito instrutivo, hehehe, serve como alerta para ninguém sair pedindo fromage de tête de entrada em nenhum restaurante. Eu já passei por uma assim: pedi andouillette num restaurante e quase vomitei com o cheiro quando chegou: é uma salsicha de miolos frita! Um horror, mas tem gente que adora, meu chéri por exemplo... blergh

Mythus disse...

Podiam sugerir comer isso numa das provas de "No Limite", né?

Fiquei curioso pra saber o gosto desse trem. A comida nem é tão exótica assim, mas deu vontade de experimentar.

Tem alguma latinha não vencida pra mandar pra mim?

Margareth Travassos disse...

Nao da mesmo pra engolir! Tambem experimentei andouillette sem saber do que se tratava. Nao gostei e detestei - a andouiellette e o François que me fez experimentar - depois que fiquei sabendo o que era de fato.

Olha, nao sou blogueira, mas adoraria conhecer vcs! Se sapo de fora contar... eu to dentro! hehehe

::: Luís Venceslau disse...

Mas veja, a gente sabe q os franceses passaram por algumas barras (a peste negra, as guerras, hugenotes, nazistas, Napoleão, Sete Anos, etc). São nesses períodos de pobreza e escassez q os pudores se vão, daí começam a "adaptar" certas coisas ao cardápio. Queijo vencido o maior exemplo. No Oriente, só agora cães deixam de ser alimento para serem animais domésticos..

Entresaia disse...

Uma espécie de feijoada enlatada com queijo, ai meu Deus, que medo!!! E nem um azeitinho para amenizar a situação! Mas não desamone não e continue suas experências gastronômicas, tem q experimentar memso, só para dizer, que nojo!

Aline Mariane disse...

Aaff, como a gente pode imaginar que existe um produto assim bizarro?!! Ao menos agora eu sei, nao vou pensar que é um queijo...
A Andouillete é um prato tipico de Lyon!! Eu também cai nessa de "que é uma delicia" e quando o prato chegou tive que sair da mesa, por causa do fedor. Consegue ser mais fedido que dobradinha...

Estarei em Paris a partir de domingo até final de novembro. Entre esse tempo, devo ir ao menos duas vezes à Lyon. Meu namorado é lyonais e toda a familia mora la! So fui duas vezes (pois é, a familia é toda brigada entre si e o clima nao é muito bom, nao é à toa que o Loic nao gosta de visita-los...), mas adorei a cidade, é liiinda, acho mais bonita que Paris!! Enfim, to dentro dum encontro de blogs nas duas cidades!!

kblo disse...

Fiquei com água na boca.
Deve ser uma delícia acompanhado de algumas torradas, farofa e vinagrete.

monique disse...

menina do céu, só lembrou uma feijoada enlatada q eu e fábio 'preparamos' lá na casa da praia. lá pro final da lata veio só aquele caldinho oleoso, e na embalagem dizia que tinha até pele de porco. hmmm... mas a fome era tão grande que a gente devorou a lata toda... e ainda estamos vivos pra contar a história. mas ainda assim, eu não aconselharia, viu...

Luci disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luci disse...

amanda: pensei o mesmo: minha vida ia ser mais feliz sem saber que gelatina de miolo de porco existe. maaaaaas... vamos ver pelo lado bom e aprender com o sofrimento alheio (ele deve servir pra alguma coisa, né?): pelo menos a gente nunca vai cometer o erro de pedir "tête de fromage" num restaurante :D

helena: andouillette? nunca tinha ouvido falar. mas tah anotado! obrigada! menos duas coisas no meu cardapio francês. blergh!

mythus: estou impressionada com sua coragem. mas quero ver o tamanho da sua bravura enfrentando o troço vencido =~ (tou brincando, ninguém merece!)

luis: bom, minha opinião é a de que quem enfrenta a peste negra, as guerras, os hugenotes, os nazistas, napoleão, e os sete anos pode muito bem encarar uma cabecinha de porco inofensiva, não?

aline: (respondido no seu proprio blog)

cabelo: achei que você soh se alimentasse de whisky. que revelação!

monique: camilo diria que tem que se comer essas coisas pra "trabalhar as defesas". ele sempre diz isso quando come algo seboso. eu odeio...

margareth: você é de onde? alias, aonde você mora atualmente? seria otimo conhece-la, craru :D

Margareth Travassos disse...

Luci,

Sou de Belo Horizonte. Atualmente moro em Paris. Como vcs tenho um chéri frances, mas nao somos casados. Ficaremos assim enquanto eu tiver meu visto de estudante, ou seja, pelo menos mais 3 anos, pois faço doutorado na Paris XIII. Depois decidiremos o que fazer.

Margareth Travassos disse...

Luci,

Hoje não vou fazer um comentário, mas te dar uma sugestão. Tenho acompanhado suas aventuras e desventuras na busca de um trabalho. Sei exatamente o que é, e por isso, vou lhe contar como resolvi minha situação.

Como meu visto é de estudante, eu só tenho direito de trabalhar 20 horas por semana, o que já era um fator complicador e somado a isso eu tinha também o problema de não falar Frances fluentemente. Bem, um dia, por acaso, encontrei um anuncio de um site - www.bebe-nounou.fr – e foi nele que encontrei trabalho.

Não sei se vc gostaria de trabalhar como baba, mas te adianto que é bem fácil e que muitas vezes os pais não se importam se a gente não fala Frances, existem alguns que até procuram alguém que fale inglês – não sei por que, mas acho que é o seu caso. Normalmente, as crianças são tranqüilas e educadas. Na maioria das vezes, o trabalho se restringe a buscá-las na escola, dar um lanchinho e brincar um pouco ate que os pais cheguem do trabalho.

Tive muita sorte. Trabalho com duas famílias, em dias alternados, que são ótimas! Recebo 10 euros por hora, livre de todos os impostos que na verdade são pagos pelos empregadores. Muitas vezes eles me chamam para fazer um extra e acabo ganhando um pouco mais. Atualmente, trabalho 17 horas semanais. Não é muito dinheiro, mas é menos cansativo que fazer faxina.

Fica a minha sugestão, dê uma olhadinha no site e veja se encontra alguma coisa na sua cidade.

Boa sorte!

Luci disse...

margareth, muuuito gentil da sua parte! tou me increvendo nesse exato momento no site e espero encontrar alguma coisa. tou passando, como dizem na minha terra, um aperreio danado aqui por causa da lingua (e do emprego, e do estudo...) e seria bom ganhar uma graninha. otima dica a tua, mesmo mesmo! muito obrigada pela atenção, você é otima!

ps. comentei la no blog da amanda sobre o pic nic :)

::: Luís Venceslau disse...

Tête a tête.. Agora faz sentido. Eu sempre achei q a tradução disso era "testa a testa"..

Talvez

Related Posts with Thumbnails