quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Graça

Tou com tempo livre no computador e nem sei o que fazer. Eh emoção demais para uma soh pessoa. Ultimamente, não tenho tido tempo de fazer o que eu mais gosto nessa vida: perder meu tempo. Além das minhas amadas faxinas, agora ocupo meu dia com as aulas de francês. Sim! Porque agora eu tenho aulas de francês (novamente)!

Acho que não cheguei a comentar por aqui, mas a Madame Marti, como a França insiste em me tratar (mesmo eu dizendo que mantenho meu nome de jeune fille), precisa passar por um teste de francês (o DILF), precisa assistir à duas palestras sobre a cultura francesa (ou qualquer coisa que o valha), passar por um teste médico e ainda assinar o Contrato de Integração. Na convocação primeira, eles fazem um pequeno teste pra verificar o seu nivel de francês e, dependendo do resultado, a Prefeitura encaminha a pessoa pra uma escola onde ela tera aulas de francês de graça.

Ouvi falar que, quem não sabe de nada da lingua, recebe 400h de aula. Eu recebi "somente" 200h (no teste o cara mostrou varias imagens, entre elas a de uma garrafa de Coca-cola e disse "onde esta a Coca-cola?". Teste de francês ou de conhecimentos gerais?). Fiquei extremamente feliz por, finalmente, não ter que desembolsar nada nesse pais! Eh um acontecimento unico que eu vou aproveitar bastante. Ou não.

Esperei mais de um mês pelo começo das aulas. Tava super empolgada, mas quando cheguei na sala, percebi que minha turma tinha o nivel inferior ao dos japoneses da Universidade Catolica (onde fiz meu primeiro curso de francês). Antes que vocês me perguntem, eu também não sei como isso é possivel. Em cinco minutos de aula, algum arabe perguntou se é preciso colocar, obrigatoriamente, o ponto de interrogação no final de cada pergunta. Não sei, é preciso? Eu sei que a logica da lingua francesa não tem a mesma obviedade pra eles como a tem pra mim, mas isso não quer dizer que eu tenha que ter paciência com o processo de aprendizagem deles.

A turma era bem variada: tinha uma velha com dentes de ouro; outra mulher (uma versão envelhecida de Salma Hayek) sem braço; uma semi-surda; um velho barbudo de muletas; e uma senhora com uma mancha rosa que tomava todo o seu rosto. A unica semelhança entre todos eles é que nenhum sabia dar uma palavra em francês. A sorte é que a professora notou que eu era "sabida" e disse que "na proxima semana, você pode mudar de turma". Até essa semana chegar, eu sofri quatro dias com uma senhora que, ciente da minha sabidice, sentou ao meu lado todos os dias e copiou todos os meus exercicios. Isso não seria problema nenhum se ela não tivesse mal halito.

A turma de agora ainda deixa a desejar, mas as aulas vão acabar em dezembro ou janeiro (o negocio é tão organizado que ninguém sabe...) e, depois disso, se eu passar no teste do DILF, poderei deixar as aulas antes de completar as 200h de aula. Um sonho!

8 comentários:

asnalfa disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Menina,seus textos são otimos!! Deveriam ser tombados pela UNESCO como patrimonio cultural e artistico da Franca.
Me mijei de rir quando vc falou das caracteristicas dos seus ex-colegas de turma.kkkkkkkkkkkk
Mulher sem braço? Mau hálito? Sem ponto de interrogacao no final da frase?
kkkkkkkkkkkkkkkk

::: Luís Venceslau disse...

Tem uma moça q mora perto da casa da minha tia em CG q tb não tem braço. Como uma garota, ainda longe os 30 anos, consegue perder um braço? Eu hein..

Sim, lembrei só de tu: http://colunistas.ig.com.br/obutecodanet/2009/10/22/simulador-promete-ensinar-a-andar-de-bicicleta/

=D

Amanda disse...

Poxa, que pena que nao esta gostando do curso! Mas vc nao ta aprendendo nadinha? Olha, to achando que esse pessoal de Lyon é bem esquisito, viu?

Na minha turma tem metade de espanhois e metade de asiaticos. Com excessao de dois russos e uma peruana. Eu estava esperando bem mais do curso, mas as ultimas duas aulas foram melhorezinhas. O meu problema é que eles colocaram numa turma muito avançada, onde a prof parte do principio de que eu ja sei todos os verbos e arraso na gramatica. Em compensacao, o nivel que eles ensinam a gramatica, o pessoal nao fala nada ainda.

Acho que os franceses nao sabem ensinar direito a lingua deles... Nisso os anglofonos dao um banho!

Maíra disse...

Luci,

A turma pode ser um saco, mas vc tem q continuar a aprender frances ate falar perfeitamente ou nunca vai arrumar um emprego decente por aih. Na minha primeira turma d holandes tinha muitos poloneses e turcos e a metade da turma nem falava ingles!!! O nivel variava demais; de gente q mal sabia ler e escrever a um cara cursando um doutorado - esse deve ter ficado mt puto hehe Mas o importante eh q, mesmo q a professora e a turma n ajudem, vc aprenda a lingua. E isso leva tempo (no caso do holandes, muito tempo!), entao aproveite cada momento a n ser q vc queira fazer faxina a vida inteira o_O Eu digo isso pq mesmo aqui na Holanda, o pais com a mentalidade mais liberal e 'aceptiva' (isso eh uma palavra?) do mundo, eh dificil achar um emprego bom se vc souber falar holandes mas nao fale como um nativo. Imagina aih na Franca, o pais onde eh o povo protege mais a lingua materna (fora a Alemanha)... entao reclame bastante e fresque dos outros aqui no seu blog (q adoramos ler hehe), mas estude direito!

Bjaummm

Neide disse...

Oi Luci, estou na mesma situação q vc, tenho q estudar para passar no exame do DILF, como vc farei 200h. Qdo fiz o teste eu tive q escrever tb...e falar. Na minha sala tem turca, curda, vietnamita, indiana,ucraniana; polonesa e africano, a prof é de origem tunisiana!!!

luci disse...

asnalfa: acho que foi o elogio mais criativo que ja recebi hehehe obrigada! mas por que "cultural e artistico da frança"? sou cria do brasil, hein!

luis: e tem idade pra perder braço, é? ueheuheuehuehe

amanda: é muito desestimulante ir pra uma sala de aula pra estudar coisas que você ja sabe. nossa! mas achei que você estudasse somente com ocidentais, não?

maira: não estah nos meus planos desestir do curso, mesmo que ele seja um merda. no meu caso, eu acho que aprendo mais em casa que no curso, mas eu entendo que no seu caso foi um pouquinho diferente hehehe

neide: vou fazer um post sobre as nacionalidades dos alunos que dividem a turma comigo, vejo que nosso caso eh bem parecido! mas quer dizer que você ja fez o teste? e ai, como foi?

Neide disse...

Oi Luci!
Bom o teste foi até facil, mas eu estava tão nervosa!Passei a tarde inteira na imigração! assisti um video, depois uma senhora super seria fez algumas perguntas, não foi pra mim , perguntou para os africanos, ainda bem!!! depois me chamaram pra fazer o teste, ele conversava comigo, e eu tnho muita diculdade para entender o francës, o meu marido falava: parle doucement, silvous plait! ele perguntava sobre minha vida no Brasil, eu respondia, depois ele me mostrou uma gravura eu tive q explicar , depois ele pediu que eu escrevesse como me chamava, onde morava etc. acho que foi um dos piores dias da minha vida!!!depois passei pelo medico, no final marcaram os dias (são dois) de assistir videos que falam sobre a França, que sera agora no dia 14/11/2009, acho q vai ser legal, vão ter so brasileiros e o almoço é gratuito.C'est la vie!! c'est dur!! beijos Luci!!!

Neide disse...

Ah Luci! quem não sabe nada da lingua francesa tera q fazer 720h! nos estamos até bem!!! rsrsrs
Bisous!!!

Talvez

Related Posts with Thumbnails