sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O dia em que vi Paul McCartney!

Finalmente aconteceu! E, se é que isso é possivel, foi melhor do que eu previa. O estadio não era a céu aberto, não era tão grande e, das 35 musicas do set list, 23 eram dos Beatles! Tento colocar em palavras as sensações da noite porque historiador tem essa mania besta de querer registrar as coisas. Mas, desde ja, prevejo meu fracasso. Afinal, aqui fala um fã dos Beatles sobre... o show de Paul McCartney!

Acordei na manhã do show como quem acorda pra ir à feira: era um dia qualquer. Apos dois minutos de reflexão sobre o que iria se passar no meu dia, as lagrimas chegaram rapidinho. Tudo o que eu vou (tentar) evitar falar seria brega demais praqueles que apenas simpatizam com a banda. Mas acreditem, nenhum show sera o mesmo depois deste. Morreram os covers, morreram os iniciantes, morreram os grandes concertos! Eu vi Paul McCartney! Nada sera como antes.

Vi aquela pequena figura (eu tava meio longe) dar o ar de sua graça as 21h do dia 10 deste mês. À sua entrada, a iluminação se foi completamente, restando as pequenas luzes do celulares e câmeras de video, o que, ao meu ver, lembravam pequenas estrelas e davam a perfeita impressão (que durou quatro segundos) de que eu tinha o céu debaixo dos meus pés. Para minha maior emoção, ele é extremamente simpatico, daqueles que tira gracinha o tempo todo e faz rir. E, apesar dos seus quase 70 anos, pulou e enlouqueceu os milhares ao seu redor por incriveis três horas de show! Quem não enlouqueceria, meu deus?

Quando ele começou a tocar Blackbird, sei la porquê, pensei em Fabinho, virei a câmera pra minha cara chorona e me deixei filmar. Sim, grande, grande amor meu, você esteve comigo numa das noites mais especiais e lindas dos meus curtos 24 anos. E chorei durante toda essa musica pensando em tu e pensando no quanto tu ficaria feliz ao saber da minha felicidade. Coincidentemente, a musica seguinte falava de amizade. E de uma amizade que mudou a historia da musica:

[tradução tosca por conta do meu inglês de colégio] "As vezes você não diz as pessoas o que você quer dizer. As vezes você quer dizer a uma pessoa que a ama e você pensa 'não, talvez uma outra hora'. E talvez você perca a oportunidade, deixe ela passar. E então você pensa 'eu gostaria de ter dito isso'. De qualquer forma, eu dedico essa proxima canção ao meu amigo John". Pois é, sabe aquele John? O John Lennon? Pronto. Agora você estah entendendo as proporções desse espetaculo: um tal de Paul McCartney dedicando, NA MINHA FRENTE, uma musica a um tal de John Lennon. Brother, é demais pro meu coração chorão. E então, ele toca Here today. E eu? Eu choro!

Setlist - Paul McCartney live - Paris - Bercy:

01. Magical Mystery Tour
02. Drive my car
03. Jet
04. Only Mama Knows
05. Flaming Pie
06. Got to get you into my life
07. Let Me roll it
08. Foxy Lady
09. Highway
10. The Long and winding road
11. I want to Come Home
12. My Love
13. Blackbird
14. Here Today
15. Dance tonight
16. And I love Her
17. Mrs Vanderbilt
18. Eleanor Rigby
19. Band on the run
20. Ob-la-di, ob-la-da
21. Sing the changes
22. Back in the USSR
23. Something
24. I've got a feeling
25. I've got a feeling extended jam
26. Paperback Writer
27.Paperback Writer extended jam
28. A Day in the Life
29.Give Peace a chance
30. Let it Be
31. Live and let Die
32. Hey Jude

33. Day Tripper
34. Lady Madonna
35. Get back

36. Yesterday
37. Helter Skelter
38. Sgt Pepper's Reprise
39. The End


Os outros fãs estarão de acordo comigo: uma coisa é escutar Hey Jude no seu sonzinho/mp3/computador. Outra coisa é ouvir o autor da musica tocar ao vivo e você poder cantar junto, desafinadamente, "na na na na na na na na, na na na, hey Jude!" E eu cantei e gritei alto! E descobri, pelo video, que minha voz não é nada sereia. E que se eu tivesse que incitar alguém a lutar pela paz mundial cantando Give peace a chance, o mundo afundaria em fome e guerra. Em voz de gralha com tosse, eu cantava: "all we are saaaaying, is give peace a chaaaance. Gaaah!"

Depois, o pobre rapaz de 67 anos, nos chega com um pequeno violãozinho encarnado (duplo sentido), que a ignorância não me permite discernir se é pareia de banjo ou de cavaquinho, e diz que aquilo foi presente de, vocês sabem, George Harrison. "Ele sabia tocar muito bem isso". E, enquanto Paul tocava Something no seu Ukulele (lê-se Iuculelê), imagens do finado apareciam ao fundo e, à frente do "pobre rapaz de 67 anos", eu chorava (alguma surpresa?).

Os franceses foram à loucura com Michelle. Et moi aussi! A day in life, na minha opinião, foi uma das mais bonitas! Toda aquela loucura psicodélica da musica afirmada pelos holofotes coloridos e gente doida gritando no ar. Lindo! Lindo!

Ah, uma coisa besta a se comentar. Se ha uma coisa que eu odeio é a tal da intereção publico-palco. Eh tipo quando o cantor diz "eueueueue" e você responde "eueueueue". Odeio. Mas em Bercy, ontem, eu fui além das minhas tolerâncias. Paul me fez latir! Quando gritou "rouf" e todo mundo respondeu "rouf", ele riu. Tão lindo!

Apos duas fingidas despedidas, Paul finalizou o show com Yesterday (a musica mais regravada de todos os tempos), Helter Skelter (Charles Manson teria curtido), Sgt. Peppers e The end! A esse momento, o torpor me tomava da cabeça aos pés. "Eu vi, eu vi!" E aquela alegria de estar ali, entre os três grandes homens da minha vida, não me deixara nunca ser triste outra vez. Eu me sinto completa e feliz. Eu vi! Eu vi!

12 comentários:

Priscila disse...

Oi!
Sempre leio seu blog, mas nunca comentei.
Fui no show ontem tb, meu primeiro tinha sido no Olympia em 2007, esse foi o segundo. Maravilhoso!!!
Entendo perfeitamente suas lágrimas hehe Chorei em todas as que vc chorou e me acabei em lágrimas quando ele apareceu no palco tb hehe
Cheguei às 9h na fila e estava lá na frente, primeira fila! =)
Posso te mandar umas fotos, se vc quiser!

Priscila disse...

Esqueci de me despedir hehe
Bjo!

fabioviana disse...

não sei se isso é menos bonito do que estranho, mas me fez chorar agora (sim, de verdade) e vou te dizer o que foi:

ontem, finalzinho de tarde, comecei a ouvir blackbird uma vez, duas, três, depois fui pro youtube, vi várias versões da música, gente ensinando a tocar, teve de tudo, até um pirralhinho oriental se arriscou.

bizarro, não? deve ter sido algo que ficou no meu in(sub?)consciente.

tou muito feliz por ti, pequena.

fabioviana disse...

uma amiga definiu bem o que deve ter sido essa experiência:

"é como se tua mãe fosse à igreja e tivesse lá o próprio deus presidindo a cerimônia"

;)

disse...

Eu também fui e foi sensacional! O melhor show da minha vida! Incrivel como o Paul ainda manda super bem, mesmo com seus 67 anos.

A unica coisa que eu ODIEI foi o publico. Fiquei na arquibancada (sou baixinha e nunca vejo nada qdo vou de pista) e os franceses são extremamente frios. O pessoal ficava o tempo inteiro sentado. Um ou outro ficava de pé pra dançar e mesmo assim vi francês reclamando e mandando sentar. Cara, quer ver show sentado, aluga um DVD e assiste sentado no sofa' de casa!

Chegou uma hora que eu não aguentei, levantei e comecei a dançar e cantar. Ainda bem que ninguém reclamou, senao ia rolar uma briga.

Mas no finalzinho acabou que todo mundo levantou pra curtir. Ainda bem!

Beijos!

::: Luís Venceslau disse...

É um troço q não cabe em palavras, e sua tentativa foi em vão. Ver uma coisa dessas é como ver a estréia de "2001", ou ler "100 anos de solidão" assim q saiu. É algo a q só é permitido viver. O ato de explicar é tacanho demais perto disso.

Não adianta eu dizer q o Paul é simplesmente o meu maior herói de todos os tempos, q td q eu toco ou crio tem ele como referencial, e q todo o meu ideal de música, de como deve soar, pra onde deve ir está preso ao q ele inventou. Tem outras coisas mas eu já falei demais. Quem não entende vendo e ouvindo, não vai entender nos lendo aqui. Considere-se de muita sorte, mocinha. Não é todo dia q se pode ver o maior compositor do séc. XX.

Neide disse...

Nossa Luci, vc me emocionou, sinto uma invejinha de vc, invejinha boa, ta? Como gostaria de ter ido, amo os Beatles e o Paul então... mas o meu marido não curte muito, não entendo isso! Como alguem pode não gostar dos BEATLES! meu marido é francês e somos quase da geração deles ou seja cresci , vivi minha adolescência amando os Beatles!!! ah como eu gostaria de ter ido a esse show...

Sylvia Brito disse...

coloca os videos, puerra!

Anônimo disse...

UAU!Que sortuda! Nos 50 anos de Brasília, ele é(era) uns dos que estão ou estavam escalados para fazer um show, mas agora diante do escândalo de corrupção do governador Arruda, não tenho mais certeza. Beijo!

calcinha exocet disse...

Ai, desculpa! Apertei publicar antes de escrever minha identidade. Então o anônimo disse... sou eu, calcinha exocet.

Caso me esqueçam disse...

priscila: que sorte a sua, hein! ja me considero uma pessoa super sortuda por ter visto o homem uma unica vez, imagine duas! ah, e manda essas fotos ai que eu gostaria de dar uma olhada. se puder, envia pro luciana.map@gmail.com, ok? valeu! :)

de: de onde eu tava, do alto, com minha visao privilegiada hehehe deu pra ver que ninguem se levantou nas arquibancadas. mas eu tou com vergonha agora de dizer que nem eu fiz isso! mas era, claro, por vergonha dos outros que estavam atras. eh engracado como o publico frances eh contido. o brasileiro grita, assobia e bate palma, eles aqui soh as palminhas e pronto :/

sylvia: ainda hei de colocar, mas voces nao vao conseguir ver nada mesmo! tem sempre o holofote do palco refletindo na gravacao do video. nao dah pra ver porra nenhuma (apesar de que minha visao estava boa!) :/ bom, mas eu vou tentar fazer isso, nem que seja pra provar por a + b que eu (nos todas) estivemos la :)

calcinha: politico safado eh uma merda, neh? hahaha mas queriam levar madonna pra la. porra de madona. se for pra ver gente velha, profiro paul :) ("sou eu, calcinha exocet": isso pareceu tao "bond. james bond!" hehehe botou moral!

mafaqueta disse...

And was glad you came along... que negócio bonito da porra homem. O ruim ia ser eu entender a beleza dessa musga, mas enfim... jr e sonhadora eu sempre fui fascinada por esse tal de john ;) mas nao sei se me comoveria tanto de ver o paul, conheco pouco o trabalho dele e afinal de contas ele nao era o BF beatle favorito - por outro lado eu lembro que so faltei ter um troço com o beatles abbey road aqui no centro (tu vai fazer um 'pufff' com isso. mas fiquei extremamente impressionada como eles eram bons enganadores (muito semelhantes aos de decadas atrá).

ah, outra coisa. que show de paul na frança o que? sou muito mais gerson e fabio cantando o 'na na na na na na na na na hey jude' (em portugues) no forno kent la na lagoa SHASUHASUHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAU

brinques, claro!

fico muito feliz por voce rapariga (:

Talvez

Related Posts with Thumbnails