quarta-feira, 30 de junho de 2010

Paris (e seus gays)



Passamos o ultimo fim de semana em Paris aproveitando que Camilo deveria trabalhar na capitá na sexta-feira e a passagem, claro, é paga pela empresa. Por coincidência, tivemos a oportunidade de ver a Gay Pride e um show de Caetano Veloso. De qualquer forma, Paris sempre vale a pena. Eh o tipo do lugar inesgotavel, que sempre vai oferecer alguma coisa interessante, não tem como se cansar da cidade, simplesmente não tem como, mesmo com suas bizarrices (ja ja chego la).

Na sexta-feira, depois da pelada do Brasil contra Portugal, corri pra estação pra pegar o trem. Ficamos no modo vinho barato, numa praça qualquer. No sabado, show de jazz no Parc Floral com os amigos brasileiros. Me dei conta que meus unicos amigos na França moram em Paris. Mas é melhor não reclamar, poderia ser pior: meus amigos poderiam morar no Brasil. Ai.

Parc Floral


Yo!


Dedo revoltado

A essa altura, o alcool ja estava cumprindo com sua obrigação. Eu estava tranquila na cerveja, feliz, sem problemas. Então, o dono do dedo revoltado, Benzina, me entrega uma garrafa de vinho. Agora, uma pausa: ainda em Lyon, enquanto eu estava fazendo minha mochila, duvidei em colocar meu vestido branco porque, claro, conheço bem minha coordenação motora quando estou bêbada. "Vou com uma roupa escura, porque sei que vou beber vinho e sei que vou derramar o vinho na roupa". Mas eu sou tão teimosa, que eu discordo até de mim mesma. E o que foi que aconteceu, meus amigos? Coloquei o vestido branco na mochila e, no sabado, derrubei vinho tinto nele, claro. Eu acho é pouco.

Felizes e saltitantes (e manchados de vinho), fomos à Place de la Bastille pra dar um oi à Gay Pride e um xau à Bel, que partiria no dia seguinte numa temporada em Portugal.



Os meninos com cara de desconfiados
(soh durou trinta segundos)


Eu, Lindinho e Benzina, embalado por Gloria Gaynor


Pra quem pensa que anjo não tem sexo



Nice!

Vocês não imaginam o quanto uma hetero pode ficar saltitante numa parada gay


Ou imaginam...

14 comentários:

Amanda disse...

Aiaiai... Nem falo nada dessa vez... ;)
E o cha de sumiço? Cade a explicação?

S. disse...

Vestido branco+vinho= merda!!!!!!!!!!
um dia estarei em Paris, oh, meus sais!!!!
Abracinhos fofos!

Bel Boucher disse...

Pois, é, Amanda!, viu que ela encerrou seus comentários na parada. Pós-parada não tem, né? Bom, nem deve lembrar...
:-)

Caso me esqueçam disse...

s: essa receita eu nao vou esquecer da proxima vez. acabei de lavar o vestido pela terceira e ultima vez! (nao, a mancha nao saiu, mas da pra usar o vestido) =~

amanda e bel: naaao, minha gente! a explicacao meio que tah no proximo post. mas como nao ficou claro, adianto aqui hehehe eh que depois do bar, eu, que ja tava pra la de doida, resolvi diminuir o efeito do alcool com um kebab. soh que na volta, encontramos o pessoal ja na porta do kebab e, como eu ja tava muito bebada (voces notaram que eu nem bebi no bar, neh? tou ficando cada vez mais consciente), eu achei melhor ir direto pra casa. :( ai ficou essa despedida sem despedida. mas quando eu for pra portugal... :F

Glória Maria Vieira disse...

Você é ótima, eu já falei?! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Ri muito aqui com suas poses.
E por falar em parada gay... Chefa do céu, a única que fui rendeu, viu?! Tinha um marinheiro a coisa mais fofa com uma camisa com os seguintes dizeres: eu tenho cu...
kkkkkkkkkkkkkkkkk Eu só fiz olhar pra ele e dizer: Eita que coincidência! EU TBM!=D kkkkkkkkkkkkk Sem falar que era lamentável o fato dele não gostar da minha fruta ... /tenso
USHUAHDUSHUDHSUHDUSHUHDUHS
E, finalizando, eu peguei os óculos de lantejoulas dele emprestado pra tirar foto, daí quando eu fui devolver ele soltou um gritinho tão fino do tipo: AI SUAAAAAAAAAAAAAA LOUCA! UU' ... Isso acabou com qualquer esperança minha...

N.B.: Comentei no poste anterior. /hihi

Docil 43 disse...

Conheca a historia de Brigitte Bedard: “Fui ateia por mais tempo do que posso me lembrar”. “Nasci em 1968 (Revolução Silenciosa no Canada) — puro azar”. “Enchi a mente de toda a literatura feminista radical — sorvi tudo”. “Incitada o tempo inteiro pelo que eu estava lendo, comecei a pensar que já que todos os meus relacionamentos heterossexuais eram fracassos, que eu poderia ser uma lésbica”. “Foi realmente um tempo muito bom, de um jeito, estando com um grande grupo de garotas, andando pela cidade inteira, fumando um cigarro atrás do outro como se não fosse haver amanhã. Eu era também sexualmente muito atraente”. “Mentalmente, eu estava em frangalhos. Eu sentia simplesmente que eu estava perdendo o controle, que eu estava mantendo as aparências, mas dentro eu estava em estado de miséria”. “Aqui estava eu, uma feminista militante atéia lésbica deitada no chão do meu apartamento clamando e implorando a Deus. Eu não estava com a mente legal, mas eu estava desesperada em busca de ajuda”. “De repente, fui forçada a enfrentar a vida nua e crua (parar de fumar), sem nenhuma proteção ou pára-choque”. “Fui para o monastério armada de todo o desprezo e ódio pela Igreja patriarcal que eu havia acumulado durante os anos dos estudos feministas radicais. Para as feministas radicais, a Igreja é basicamente o inimigo número 1”. “Por três dias seguidos, duas horas por dia, fiquei brava, gritei, praticamente espumei de raiva na face deste monge, escavando basicamente todo insulto, estereótipo e coisa suja que eu pudesse pensar, ou inventar sobre o Cristianismo. Eu estava tão louca da vida, tão magoada e irada, e eu estava descontando tudo neste monge, que jamais disse uma só palavra o tempo todo, mas em vez disso olhava para mim, balançando a cabeça”. “Foi o terceiro dia, a sexta hora de gritos. Estávamos para concluir mais uma vez. Basicamente, eu já tinha parado de gritar. Houve uma pausa. E então o monge levantou os olhos e me disse “você não tem ideia, absolutamente nenhuma ideia de quanto Deus ama você; Ele fez você do nada, ele conhece você, você não tem ideia de quanto ele ama você, Sua filha. Por isso, não sinta vergonha. Deixe tudo isso. Entregue tudo, entregue sua vida a Ele… Ele ama você muito”. “Sou filha dele (de Deus), não há dois caminhos nessa questão. Não posso explicar isso”. “Eu simplesmente digo que Deus me jogou ao chão, me abalou; eu não me converti, ele me trouxe a Si”. “Quando necessito quietude, não há nada que eu possa fazer, a não ser uma coisa: levantar-me às 4 da manhã. Eu faço isso muitas vezes, só para obter alguma paz”. “Viver com um homem é sem dúvida um sofrimento, mas viver com uma mulher o tempo inteiro era viver um inferno em vida”.

Amanda disse...

Luci, que inveja!!! Você ja tem troll?? Ja tem gente se sentindo incomodada por sua causa? Uau!!! Sinta-se importante, viu? Eu, quando não gosto de um blog, caio fora, eu que não vou perder meu tempo. Mas se alguém perde tempo so pra vir aqui escrever um comentario gigantesco (que é claro que ninguém vai ter paciência de ler), é pq vc esta abalando! Tenho um orgulho dessa menina...

Caso me esqueçam disse...

glorinha: nossa, esse "sua louca" eu pude ouvir perfeitamente hehehe mas gostei da camisa dele! vou fazer uma pra mim. o problema eh se o engracadinhos quiserem comprovar se eh verdade. ai nao vai ter graca. tem gente que nao tem senso de humor. ah, e pode comentar onde quiser, porque eu recebo os comentarios por email. :)

docil: HAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHA "fumando um cigarro atrás do outro como se não fosse haver amanhã"

amanda: como eu gosto muito de você, ofereço essa pessoa tao... docil pra você. beleza? agora leva que eh teu! :D (se esse pobre coitado me conhecesse, nao taria perdendo tempo comigo. mas enfim, o tempo perdido, como voce bem lembrou, nao eh o meu, so...)

Amanda disse...

Oh god! Ele levou a sério e ja foi la pro meu blog (e ja foi devidamente apagado). Tava brincando ta, reacinha, pode ficar aqui no blog da Luci, ela te adora!

Drixz disse...

Que chique! Parada Gay já é um luxo, em Paris então... hehehe Mas ae, vou fazer uma pergunta nerd. Em português dizemos LGBT (lésbicas, gays, bixessuais e transexuais), em francês como se diz?

Drixz disse...

PS: Agora que eu vi o tal do dócil. Dá vontade de falar "Então, não me segue que eu tô PERDIDA". hehehe.

Caso me esqueçam disse...

amanda: hahahaha né foda? imagina quando ele souber que tu é a favor do aborto, é lesbica, se prostitui toda noite e cheira loloh? nossa! ele vai grudar no teu blog :D

drixz: eu tambem nao sabia como era aqui (e como camilito nao tava do lado), joguei no google e o resultado foi "lesbian, gay, bisexual and transgender (LGBT)" hehehe frances eh tao facil e tao dificil! =~

Docil 43 disse...

Amanda, se voce apagou o meu recado e nem mesmo se quer viu as coisas que te mandei, e porque voce tem medo de descobrir que voce esta errada. Voces todos aqui, se comformaram com a mentira e fogem da verdade, porque a verdade pertuba. Ate mais!

mafaqueta disse...

tem gente que é babaca e não se conforma que outras pessoas não são; hello, essa para de verdade unice e absoluta já passou faz tempo, neguinho! existe a realidade e cada um tem um jeito proprio de interpretá-la. eu hein. descobrir que tá errada. mandava logo tomar no cu, porque uma pessoa dessa deve é ter medo de gostar e ai se prende no que é "certo e verdadeiro". fique com sua verdade, meu filho. que luci, amanda e cia ficarão com as idéias e pensamentos delas. tão bom pensar por si mesmo, né? e não por uma instituição arcaica...


;* (foi mal ai com o post nada a ver mas fico puta com certas babaquices)

Talvez

Related Posts with Thumbnails