sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Olhai meu guri!

Aqui na França, a graduação dura somente três anos, o que facilita muito a vida dessa gente. A inglesa que mora comigo, e que fez seus estudos na França, completou 24 anos em maio e ja esta no primeiro ano do doutorado. Eu, por outro lado, vou andar de marcha ré e voltar pra graduação. Fui aceita no terceiro ano do curso de Historia, na Lyon 2 - como se cinco anos não tivessem sido suficientes. Sei que pareço um pouco negativa dando essa noticia, mas tou satisfeita ja que agora vou ter a oportunidade de conhecer gente nova, melhorar meu francês, ter as vantagens de ser estudante, ganhar um diploma e, principalmente, estar em contato com as professoras do meu sonhado mestrado. Mas não é sobre nada disso que quero falar, na verdade. Dei essa noticia somente pra dizer que hoje foi, ao que tudo indica, meu ultimo dia de trabalho como baba do guri.

Primeiro, porque eu vou viajar com Camilo até o final de agosto. Depois, porque as aulas começam em setembro e, como ainda não conheço meus horarios na faculdade, fica dificil me comprometer com a familia do guri. Mas que aperto no coração! Na semana passada, quando decidi que ia me demitir, chorei no parque enquanto o pequeno corria pra la e pra ca. E, soh de pensar, ja tou com vontade de chorar de novo!

Foram somente três meses, mas esse cargo me fez refletir tanto sobre mim! E, claro, sobre os outros também. Gosto da forma com a qual os pais o educam e gostaria de praticar algumas coisas com meus filhos (caso eu decida ter algum). O guri jamais come sal, açucar ou manteiga; vai ao parque varias vezes ao dia; não assiste televisão; mesmo tendo somente um ano de idade, ele faz cocô no peniquinho pelo menos uma vez ao dia (gostaria de usar "cocô" no diminutivo também, mas merda de elefante perde em tamanho praquilo); tem milhões de livros (e prefere eles aos brinquedos); os pais falam com ele como se ele fosse um adulto - no sentido de explicar as coisas. Vejo no parque as crianças dos outros tomando coca-cola, quando ainda nem largaram a chupeta. Dai, tenho orgulho do "meu" filho.

Eh otimo vê-lo crescer. Lembrar que, quando eu cheguei, ele preferia engatinhar à andar e que hoje ele corre por aih. E a gente começou a fazer um monte de coisinhas juntos, coisinhas idiotas, mas que são nossas, como quando ele mostra os dentes: é pedindo pra que eu morda os dedos dele. Eh, é bizarro, mas ele faz isso todo dia. Todo dia eu mordo, todo dia ele sente dor e todo dia ele pede de novo. Eh lindo! Os pais disseram que esperam que eu tenha tempo entre as aulas pra continuar com eles. Eu também espero isso. Se não der, eu vou morrer de saudade!

20 comentários:

Helena disse...

ó, que fofo! O post e o guri! Tomara que dê mesmo um tempinho para cuidar dele entre uma aula e outra.

Ana Flavia disse...

Que fofo! Eu tb me apegava aos pestinhas que olhava.

E parabens pelo acesso à faculdade. Vc ja fala frances fluente? Assim que meu alemao der os primeiros passos, vou bater às portas pra achar uma solucao academica pra mim tb:)Ainda que todo mundo aq diga que seja impossivel e tal, mas nao custa tentar, ne
bjo

Caso me esqueçam disse...

helena: nao eh lindo? depois posto um video dele brincando. da vontade de bater e morder e torcer o pescoço :D

ana: brigada, viu? na verdade, eu nunca sei o que responder quando me perguntam se falo frances (mas com certeza eu nao falo "fluente" hehehe). digamos que eu entendo quando me falam e que posso falar o que quero, mas ainda falta muita coisa, muita! conjugar muito verbo em tempos distintos, vocabulario, por exemplo. soh vou dizer que SEI falar frances quando eu conseguir me expressar nessa lingua da forma que o faço em portugues. mas enfim, vai dar pra entender as aulas. escrever eh outra historia. ah, e nao se importa com o que dizem nao, neh? por favor. o pior que pode acontecer caso voce entre numa faculdade, eh que seja dificil de acompanhar. normal :)

Aline Mariane disse...

ainda tenho contato com a primeira (e única que durou muito tempo) menina que cuidei em Paris. A gente troca cartinhas (ok, 3 até agora) e eu sempre mando fotos de viagem para o e-mail da mãe dela. Apesar de já crescidinha (8 anos), ela cresceu muito! Imagino seu garoto, como vai mudar com o tempo!
Como te falei, ser estudante só tem vantagens! O "início do ano" vai ser ótimo pra gente!! =o]
Bjss!

Iara disse...

Quando eu contei pras minhas amigas que ia ser au pair na França, cuidar de criança, elas já se imaginaram assitindo o Fantástico e vendo a notícia: "babá brasileira é presa por maltratar de criança francesa.". Exageraram, eu não sou má pessoa, mas não tinha afinidade nenhuma com crianças. Mas quem tem um mínimo de sensibilidade de afeiçoa. Eu tenho muita saudade da monstrinha (como eu a chamava, em português mesmo). E ela se apegou muito a mim. Mas que era um trabalhão, isso era, viu? Bom tomara que os seus horários sejam viáveis.

disse...

Quem te viu e quem te vê! Nem parece aquela mesma Luci de quando começou a trabalhar com o "monstrinho"... nao tem jeito, a gente se apaixona mesmo pelos pequenos. Eles podem ser levados, porcalhoes, mas sao uns fofos.

Boa sorte na facul!

Caso me esqueçam disse...

aline: imagino essa cartinha com três linhas e letra bem desenhada. imagino também que essa menininha deve escrever melhor que eu hahahaha

iara: puta merda, me disseram a mesma coisa! mas eu nem vou comentar mito sobre isso porque êh assunto pro próximo post hohoho

de: eu tinha consciência de que eu poderia me apegar, mas nao sabia que eu ia chegar a ficar triste depois de tao pouco tempo :(

Rita disse...

Luciiiiiiiiiiiii, que bonitinhho demais da conta! Até eu fiquei com vontade de chorar... Esquenta não, você vai ter tempo de ficar com ele de vez em quando, vai sim. Não vai? Hein?

E, claro, PARABÉNS pela "entrada" na universidade. Que chiquérrima você, viu? Oba! Vamos saber tudo sobre o meio universitário aí das suas bandas. Mal posso esperar!

E boa viagem com o respectivo. Só não deixe de contar aqui das andanças, ora. Dê seu jeito.

Beijocas!!
Rita

Simone disse...

Ser au pair me fez gostar de crianças, antes meus pais diziam: vc criança? vc só gosta de cachorro Simone. Eu ainda nao gosto de todas as crianças e acho que nunca vou gostar, mas tive 2 pestinhas em uma das familias que trabalhei, que ai ai ai viu, são os amores da minha vida, super educados, carinhos, espertos, vontade de morder, sinto muita falta deles, dos outros, nem um pouco.

S. disse...

Mulher, vc n viu o filme Diário de uma babá, n? rsrsrsrs
mas que ele é um fofo, isso é!
Super parabens pela universidade.

S. disse...

E quando eu falo em terrinha, falo de João Pessoa. rsrrsr

Borboletas nos Olhos disse...

Primeiro, o começo: parabéns pela Universidade. Tomara que seus horários lhe permitam fazer o que você pretender (inclusive estar com essa criança linda e aturar a mãe não tão gente boa). Bjs

Amanda disse...

Luci, que lindooooo! Todas as crianças são fofinhas, mas algumas crianças são mais fofinhas do que as outras ne? Ele vai ficar tristinho de não poder mais brincar contigo tbm. Mas não deixe de visita-lo, pq assim ele não vai esquecer de você. A pior coisa que tem é encontrar uma criança que vc tomou conta e ela não se lembrar de vc!

Margareth Travassos disse...

Ola, Luci!

Que bom que vc esta encontrando seu lugar na França!

Quanto ao garotinho, eu tinha certeza de que vc iria gostar. Eu trabalhei com crianças durante muitos anos no Brasil e chegando aqui voltei a cuidar delas. Gosto muito e sei o quanto esse papel deve ser exercido com compromisso.

Tem uma coisinha chatinha pra te dizer, quando vi as fotos me perguntei se vc havia falado com os pais que iria postar las e se eles eram de acordo. Caso isso nao tenha acontecido, sugiro que vc as remova. Pode parecer exagero, mas isso pode te trazer problemas, sérios problemas. Seria melhor evitar. Fica a sugestao.

Um abraço e boa sorte na nova empreitada.

Caso me esqueçam disse...

rita: êh, eu vou ter primeiro que aprender como funciona o sistema universitário pra contar pra vocês. conheci uma brasileira legal que se disponibilizou a ajudar com o processo :)

simonte: por que serra que nossos pais nunca acreditam que podemos tomar conta de crianças, meu deus? Oo

s: eita, passei batido nesse filme hehehe mas vou dar uma olhada, principalmente se eu decidir continuar no ramo hohoho (e quando passar por aih, uma cerveja sera SUPER bem vinda!) =*

borboleta: oooobrigadissima! toou vendo que se for por desejo de vocês, já volto a ser baba do guri outra vez logo logo :)

amanda: acho que isso vai, inevitavelmente, acontecer comigo. ainda mais porque ele êh realmente muito pequeno! e visita-lo significa ver a mae. nao sei se eu toou disposta a enfrentar o risco :D

margareth: caramba, ha quanto tempo! senti sua falta, viu? e olha, você tah certíssima, eu sei disso. acredite, eu pensei que seria um pouco demais postar fotos dele. ainda mais porque o post sobre a ame nao foi nada leve, enato, caso eles achassem isso aqui, iam se irritar ainda mais sobre meus comentários. enato, vou apagar antes de postar o próximo post. inclusive, pretendo oferecer as fotos que tirei aos pais, mas acho que vai ficar superestranho, pois eu nao pedi permissão pra tirar as fotos. espero que eles gostem das fotos e ignorem minha semnocaozice :/

Caso me esqueçam disse...

(ah, obrigada a todas pelos parabens e desculpem os erros. foi o computador que "corrigiu" certas palavras) tsc.

Glória Maria Vieira disse...

Ai chefa!:/ Quem ficou com vontade de chorar agora fui eu...
Você se apegou ao inesquecível gurizinho... E é natural como você já sabe.
Se em uma semana a gente pode criar vínculos com alguém, imagine meses convivendo com essa pessoa, no caso, com essa criança que passou a chorar a cada ida sua... Sinceramente, é difícil dar "au revoir" quando, no fundinho, não se quer dar...

Glória Maria Vieira disse...

( só pra não perder o hábito, eu esqueci de dizer uma coisinha.. UHAUAHU):
PARABÉNS PELA SUA APROVAÇÃO,CHEFA!
Tomo a liberdade de dizer: estou muito orgulhosa de você! Tudo tem que acontecer/ser no exato momento de cada um. Se a inglesa tem 24 anos e já está onde está, ótimo. Ela só está no tempo dela... O seu tempo é outro, é de acordo com vc ... não com o da inglesa, americana, macumbeira, doideira, enfim, entendeu, né?!

Line disse...

Coitadinho...não come sal, não come açúcar, não toma coca-cola, não assiste aqueles desenhos bonitinhos de criança que passam na tv. Pobre criança, rsrs.
Graças a Deus meus pais me deixaram fazer tudo isso e mais um pouco, e eu tenho é história pra contar da minha infância, vixe...rs.

Parabéns, vai pra facul de volta!!!

Mas entendo perfeitamente a sua frustração, eu também fiquei 5 anos na faculdade, indo pra aula todo santo dia enquanto aqui costumam ir 2 ou 3x por semana, o resto é tudo pelo computador. E no fim, a acaba tendo que recomeçar do zero...mas vai valer a pena!

Beijos!!!

Luisa Lima disse...

Oi! Acho seu blog muito divertido.
Leio sempre que posso (1:28 da manhã no Brasil hehehe).
Acho que ele se apegou a você a esse ponto porque os brasileiros são mais carinhosos, tocam mais nos filhotes.
Uma amiga minha foi au pair aí em Lyon. As duas crianças idolatravam ela.

Enfim...
Gosto mto do blog.
bjin

Talvez

Related Posts with Thumbnails