quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Um parênteses

Eu poderia até dizer que esse post é fruto da minha TPM, mas eu nao tou com TPM. O post é de graça e ja faz um tempo que eu venho pensando em escreve-lo. 

Sei que cada pessoa que decide morar fora do seu pais tem uma experiência unica em relaçao a isso. Ha os que vao pra nunca mais voltar pela saudade da terra natal ser muito menor que as vantagens em se morar longe dela. Ha aqueles que sonham com a cidade em que cresceram todos os dias, num banzo sofrivel. Eu, eu ja nem sei mais o que sentir. 

Quando cheguei pra morar definitivamente aqui, eu chorava horrores e ficava entre a delicia de estar com Camilo e o sofrimento de nao poder ver o rosto dos meus amigos. Aqui, descobri que eu iria enfrentar mais despedidas do que se tivesse me fixado no Brasil. Porque aqui, todo mundo vai embora. A Europa te da essa oportunidade de estudar sei la onde, de trabalhar do outro lado, e eu ja venho me preparando pra, de novo, me despedir da minha atual "melhor unica amiga", aquela que foi, no ultimo ano, a peça fundamental pra que eu me sentisse viva e nao murchasse nessa terra fria. E ela disse que eu ia sofrer. Nao é por maldade, ela sabe: "todo mundo vai embora daqui, Luci, e eu nao sei como tu aguenta tanta despedida". E depois continuou dizendo que nao teria minha coragem de abandonar tudo assim. Aih eu tive que incorporar Bob Dylan e explicar. 

Me encontrei formada, sem emprego, sem perspectiva de nada, com o cara que eu amava puxando minha mao, me convidando gentilmente a dividir teto e problema com ele. Quem nao iria? E hoje, eu olho pra Camilo em silêncio, e até o dentinho discretamente rachado que ele tem, me encanta. Mas eu tenho um buraco que nao pode ser preenchido por ele (por favor, nao tirem essa frase de contexto): necessidade de amigos. Nao tou falando de qualquer tipo. Falo do perfil dos meus amigos que francês nenhum, nem de longe, pode parecer alcançar. 

E isso tudo era pra dizer que o blog e tudo o que ele me traz, direta e indiretamente, tem me feito bem. Ele passou de uma simples ferramenta de contato entre mim e meus amigos à uma poderosa forma de escape nos dias de furia (e de tristeza, e de saudade, e de alegria) e vocês sao as grandes responsaveis por isso, por aliviarem essa necessidade de contato humano. Claro que minhas relaçoes virtuais nao irao nunca substituir o contato real. Claro. Mas fico super satisfeita de conhecer um pouco mais da vida daquelas que estao no meu blog hall, de poder compartilhar momentos da minha vida aqui e de perceber que pessoas interessantes se interessam por eles. 

Talvez esse post tenha saido hoje porque, essa manha, eu acordei e me deparei com um recado no Orkut muito carinhoso, inesquecivel, deixado pela maluca da Glorinha (lindo, viu? Vocês nem imaginam como ela foi fofa. Ou imaginam. Fiquei toda besta!). Eu sou sensivel demais pra deixar essas "demonstraçoes publicas de afeto" passarem sem serem reconhecidas. Fico realmente muito feliz com as mensagens que vocês deixam aqui: quando dizem que torcem por mim, quando ficam preocupadas, ou quando simplesmente riem da minha cara por algum post mais avacalhado. Como igualmente é adoravel lê-las, questiona-las e conhecê-las um pouco mais. Escolho a dedo os blog que leio e adiciono, e sinto muito orgulho das visitas que recebo. 

Quero agradecer, mas nao vou citar nomes. Quem vem aqui com frequência deve saber que me sinto agradecida pela sua presença e os outros, devem saber que sao sempre bem-vindos. Esse post é pra isso, pra um grande obrigada.  

Go to him now, he calls you, you can't refuse
When you got nothing, you got nothing to lose
You're invisible now, you got no secrets to conceal

How does it feel?
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

::

Va para ele agora, ele te chama, você nao pode recusar
Quando você nao tem nada, você nao tem nada a perder
Você esta invisivel agora, você nao tem mais segredos a ocultar

Como se sente?
Por estar por sua conta
Sem direçao alguma pra casa
Como uma completa estranha
Como uma pedra a rolar?

(Dylan)

22 comentários:

S. disse...

lindo post de uma linda, linda.
beijinhos da terrinha

Amanda disse...

Que lindo, Luci!! Pois é, esse pessoal teima em ir embora... Mas o mais legal é que aposto que vc vai encontrar a Diana em algum lugar do mundo, e provavelmente mais rapido do que vc pensa. Se as despedidas são ruins, os reencontros são fabulosos!

Mas diz, vc pretende ficar na França para sempre?

Borboletas nos Olhos disse...

Um abraço virtual cheio de carinho pra você. Lindo, lindo post. De extrema delicadeza. Olhos marejados, pode?

Glória Maria Vieira disse...

Olhe, sua bonitinha da FANTA, eu tô aqui toda trabalhada nas lágrimas, viu?!='\ E pelo meu comentário ter ficado tão grande, eu resolvi fazer dele um poste. Daqui pra papoco eu volto aqui e deixo outro comentário, mas dessa vez acrescentando e não esquecendo de como sempre faço, né?! UAHUHSUAHSUAHUSHUAHSHSAUHSUAH

LINDO PARA SEMPRE CHEFA!='\ #salientando

Anônimo disse...

Eu te entendo, já deixei e fui deixada várias vezes e ainda fico na dúvida de qual é o pior, mas nenhum dos dois é bom. Mas as boas lembranças, os aprendizados e o carinho ficam e nos descobrimos melhores e prontas pra atrair mais pessoas e aumentar esse grupo de grandes amigos.

Dói fundo, muito fundo, mas amizade é pra sempre e sempre que se reencontrarem será como se tivesse sido ontem.

Força na peruca e bola pra frente que tem mais um mundão de amigos pra fazer. (sem esquecer dos antigos)

Bjs
Aline

Iara disse...

Luci,

Tendo vivido um ano por aí, sei bem como a coisa funciona. Minha maior alegria foi ter mantido algumas amizades, apesar da distância. Tem todo um momento que, quando você chega, qualquer pessoa querida vira sua melhor-amiga-do-mundo-pra-sempre, ainda mais quando está na mesma situação, longe de casa.
Mas, escutcha, já teve a oportunidade de descobrir se há uma comunidade Brasileira em Lyon? Porque em Paris ela era gigantesca, e esse contatos me ajudaram muito. Havia uma comunidade no Orkut, Brésiliens en France, que organizava encontros semanais abertos a qualquer um que quisesse socializar. Algumas das pessoas que eu encontrei lá são amigas queridas até hoje.
Eu conheço gente muito bacana na França, inclusive uma menina de João Pessoa. Mas elas estão em Paris, não em Lyon. Senão, tava aí um bom momento pra eu te passar estes contatos, porque é gente interessada em dar aquele abraço forte e acolhedor a todo mundo que está na mesma situação. Se apesar da distância te interessar, me avisa, tá?

Bjo e abraço virtual apertaaaaado!

;-)

Mariana disse...

FALA QUE EU TE ESCUTO LUCI!!! e mais: me divirto horrores fazendo isso!!! O teu blog é um dos meus blogs favoritos entre os favoritos, viu???
e qto às despedidas...bom, nunca se sabe onde e quando vc vai reencontrar os amigos de quem se despediu...e cada reencontro sera incrivel!!!

Yolanda disse...

Oi Luci, sempre acompanho seu blog, ele é divertido, esclarecedor, emocionante...lendo seus posts fica parecendo que te conheço cada vez um pouco mais. estou indo para frança em dezembro fazer um estágio, por isso começei a ler alguns blogs relacionados a frança.
Enfim, achei seu post muito bonito. muitas felicidades pra vc!
Um beijo

disse...

Puxa... falou bonito a beça, Luci. Fiquei até arrepiada, ainda mais pq um montao de coisa que vc falou é exatamente como me sinto também. O que mais me faz falta sao os amigos e a familia. E por mais que eu me esforce, aqui não é "chez moi". A saudade doi demais e é por isso que um dia eu volto pra minha casa.

Lara disse...

Que fofo. E nem é TPM?rs
Na verdade sempre achei muita coragem a sua, principalmente depois de sentir toda esta saudade que eu nem sabia ser capaz de ter.
Mas, como dizem, é isso aí....
beijos.

Ashen Lady disse...

Deve ser dureza mesmo ficar longe da família e de amigos queridos.
Sinta-se abraçada, é virtual mas é de coração.

Glória Maria Vieira disse...

Bom! Sei que não é preciso, mas como disse que deixaria aqui, né chefa!?

http://apenasumafresta.blogspot.com/2010/09/luci-luci.html

Quem diria que uma coisa ruim fosse adiantar uma coisa boa, nera?! (L)

Glória Maria Vieira disse...

Sim... Esqueci de dizer que é mútua tida gratidão, viu?!='\

Eu que agradeço, CHEFA!:~ /ow

Renata Inforzato disse...

Oi Lucy,

Leio sempre seu blog e morro de rir com o que escreve, é muito bom...

Sinto o mesmo com vc em relação às despedidas..>Estou em Paris e aqui todo mundo vai embora e eu vou ficando...

Eu vim há seis meses pra estudar francês e depois ver se consigo fazer meu master (que no Brasil não puder fazer), vim sozinha e sem conhecer ninguém..
O grande problema, no meu caso, que não tenho um cobertor de orelha, é que a cada despedida sinto como se voltasse à estaca zero e não conhecesse ninguém...

Rita disse...

Olha, deve ser alguma coisa na água da França. Ontem foi a Amanda que me deixou sem palavras. Hoje foi você. E, você sabe, né, que rola uma identificação gigante com essa coisa de ovelha desgarrada por aí. Eu vou repetir a Amanda: pensemos nos reecontros. Não que as despedidas devam ser enterradas, não. Mas é bom pensar que vem gente boa por aí. Faz a gente sorrir.

Beijos e fique bem.

Rita

Thayz disse...

Eu sei que eu cheguei antes de blog, mas, eu queria que tu soubesse que eu dou risada, choro, sofro, fico agoniada com tuas quedas e presepadas, fico pensando no teu francês e eu queria tanto de dar um abraço, que na verdade, eu acabo te abraçando (mesmo que virtualmente). Vaca que é vaca é isso ai, superação.

Caso me esqueçam disse...

s: beijo, brasa! ;)

amanda: rapaaaaaaz… eu nem sei responder essa pergunta, porque eu nao tenho planos ainda de sair daqui e tampouco queria ficar pra sempre (o mundo eh grande demais, neh, e "pra sempre" eh muito tempo). mas camilo tah montando uma empresa aqui na frança e o que a gente tah esperando, claro, eh que de certo. entao, caso de certo, nao vamos querer abandona-la. no final, sinto que nao sou eu que vou decidir se vou continuar aqui ou nao, eh o sucesso da empresa.

brabuletinha: obrigadissima! aceito de bom grado ;)

gloria: tu nao merece nem comentário, visse! merece um cascudo por querer acabar comigo com as mensagens e posts e tudo mais. pois eh, ainda bem que algo ruim se transformou numa coisa muita boa :D BEIJO!

aline: eh, sempre depois de cada despedida, eu me sentia mal, imaginando sempre "nunca vou conhecer alguém como ela/ele". dai, pimba. aparecia alguém que, bom, nao era como "ele/ela", mas era alguém. e alguém legal. eu sei que tenho que parar de mimimi e levantar a cabeça. eh que eh tao bom reclamar :D

iara: o problema eh que eu nao tive muita sorte com os brasileiros que conheci aqui. eu faço parte da comunidade do orkut "brasileiros em lyon", mas nunca tive coragem de participar de nenhum orkontro porque quando acompanho o planejamento dos pic nics eu soh tenho raiva. no ultimo, as meninas falavam o que iam levar pra comer e os caras "ah, eu levo somente a bola de futebol, deixo pras mulheres essa parte". sabe… aih isso me faz repensar em encontra-los. vai parecer que eu dou uma de gostosa, mas prefiro escolher a dedo. ate acabei encontrando uma menina super legal e nos vimos algumas vezes durante a copa. prefiro assim: ter uma certa a ter um milhão de errados. mas muuuuito obrigada por se compadecer da minha situação e pensar numa solução :)

mariana: opa! que coisa massa de se escutar! brigada! muito bom mesmo! e tu vai ter muito o que escutar mesmo, porque eu tenho muito o que falar. haja paciência :)

yolanda: que legal que você deixou comentario (e que bom que voce acompanha o blog e gosta dele, maravilha!). olha, voce ja conhece o blog das meninas que comentaram aqui e moram na frança? acho que voce vai gostar! vai no "elas sabem mexer comigo" e dai voce vai ver o "porte doree", o "e nao eh que as vezes da tudo certo?", o "le croissant", "sao paulo paris dakar", "pedalando em paris", "ne manque pas", o "cest pas vrai" e o "certain regard". nao eh porque estao no meu blog hall, mas sao muito bons! boa sorte aqui na frança, viu? ;)

dé: é, eu poderia ate viver sem coxinha (apesar de ser duuurooooo), mas sem meus amigos? puta merda. eh ruim demais. todo mundo vivendo junto, se divertindo e voce aqui… a milhas.

lara: menina, se eu escrevo um post com tpm, as pessoas ou vao chorar junto, ou vao ter nojo hehehehe

ashen: adoro abraços virtuais! se a intençao eh boa, vale tudo :D

renata: primeiro, brigada pelo comentario super simpatico! gostei muito! segundo, tocasse num ponto importante. pelo menos eu tenho camilo. as vezes eu choramingo, mas esqueço de pensar que… "poderia ser pior". porque quando todo mundo vai embora, eu ainda tenho a ele. por isso, posso dizer que sinto muito mesmo pelas suas despedidas. sei como eh, alias. soh quem vive isso sabe como eh…

rita: a agua francesa eh fogo! hihihi mas as vezes eu tento me concentrar nisso: levando em consideracao o tanto de gente legal que eu conheci, sei que as coisas nao vao se estagnar por aqui. e eu espero logo logo estar fazendo um post pra voces contando sobre minha melhor amiga de infancia que fiz ha dois minutos :)

thayz: vaquissima, esqueci de dizer que nao sao somente as blogueiras que fazem com que eu me sinta bem nesse espaço. quando escrevo, escrevo pra todo mundo e queria que todo mundo tivesse aqui. um comentario, por menor que seja, me deixa muito bem. tu nao veio de blog, mas quando vem ao blog, me ampara do mesmo jeito!

Ana Pe disse...

Luci,
Muito lindo o que vc escreveu!!!
Emocionei!!!

Bel Boucher disse...

Não deveria ter lido esse poste nessa manhã... Não antes de escrever umas 5 páginas, não faltando pouco mais de 2 meses para ir embora. Sabe, já passei por isso algumas vezes nesses três anos e qualquer coisa. Algumas despedidas foram muito, muito difíceis. Tipo, meu mundo caiu total. Mas a gente se habitua, a gente fecha rápido a ferida porque sabe que vai levar outra facada. É chato. Mas é enriquecedor por outro lado. Sua vida teria sido bem mais sem graça se essa pessoa, não é mesmo?

Ah, e não se esqueça: o e-mail, o ichat, o skype o msn... o facebook estão aí para nos ajudar nessa. E, vai por mim, ajuda pra caramba!

Bel Boucher disse...

Não deveria ter lido esse poste nessa manhã... Não antes de escrever umas 5 páginas, não faltando pouco mais de 2 meses para ir embora. Sabe, já passei por isso algumas vezes nesses três anos e qualquer coisa. Algumas despedidas foram muito, muito difíceis. Tipo, meu mundo caiu total. Mas a gente se habitua, a gente fecha rápido a ferida porque sabe que vai levar outra facada. É chato. Mas é enriquecedor por outro lado. Sua vida teria sido bem mais sem graça se essa pessoa, não é mesmo?

Ah, e não se esqueça: o e-mail, o ichat, o skype o msn... o facebook estão aí para nos ajudar nessa. E, vai por mim, ajuda pra caramba!

Mayra disse...

que coco! o comentário se perdeu aqui na hora de ir

resumindo era um comentario sobre o quanto eu curto vir aqui. que voce foi a primeira pessoa que mefez querer acompanhar um blog, mesmo quando voce tava aqui - eu ia ate o "circo"
voce curte escrever e eu ler
torço muito por voce, mor

um cheiro!

Borboletas nos Olhos disse...

Minha cara, acho que estou com síndrome de abstinência...todo dia passo aqui, váaaarias vezes, rsrs.

Talvez

Related Posts with Thumbnails