domingo, 30 de janeiro de 2011

Musica francesa: Mr. Roux




Mr. Roux é uma banda de chanson française da cidade de Rennes, norte da França. Otima dica pra quem esta aprendendo francês. As letras sao legais. Algumas sao cheias de sarcasmo e fazem pequenas criticas sobre alguns elementos da sociedade francesa. Mas nao é isso que me faz gostar da banda (até porque, pra mim, arte nao precisa ser engajada). Foi Camilo quem me apresentou à banda, em 2007, quando ele apareceu pelo Brasil. Por isso, esse album me traz otimas lembranças, me leva à época da inocência, quando a nossa maior preocupaçao era a escolha do bar de sabado à noite. Tempos dificeis. 


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Maracugina


Fiapo no dente! Aaahhh!


Nao é preciso me conhecer muito bem pra saber que eu sou uma mulher bruta. Ja sofri e fiz sofrer muita gente por causa disso. Ultimamente, tou mais calminha (essa frase deve ter feito Camilo rir). Seja como for, a cavala que habita em mim é um verdadeiro ursinho de pelucia perto do meu roommate. 

Antes dele morar aqui em casa, perguntei a duas pessoas que o conheciam bem se ele era legal. O dialogo foi o mesmo com as duas:

- Ah, ele é otimo! Eh engraçado, é atencioso...
- Otimo, porque ele vai morar com a gente.
- Morar?! Ah, nao, pra morar nao!

Nao era o que eu queria ouvir. Também nao demorou muito tempo pra eu descobrir o porquê disso. O cara é um pouco esquentado. Uma vez, conversando com sua mae ao celular, uma chinesa, ele ficou muito puto e chutou um negocio de ferro que fez o pé dele abrir e dar um banho de sangue na casa. Na ocasiao, ele também quebrou o celular no chao. 

Outra vez, ele foi acordado por um pessoal que estava conversando perto da janela do quarto dele. Como resolver essa situaçao?

Pessoa normal: "por favor, vocês poderiam conversar em outro lugar, porque eu estou tentando dormir. Obrigado".

Ele: foi no quintal, mandou todo mundo tomar no cu, estirou dedo, depois quebrou uma cadeira e uma xicara. Outro dia, sei la pelo quê, quebrou uma mesa. O bom é que geralmente eu fico sozinha com ele em casa, entao, quando eu começo a me apavorar com as pancadas que ele faz enquanto destroi a casa, eu me lembro que pode ser ele nas suas atividades e deixo pra la. Até porque, ja falei do detalhe que ele é faixa preta no Kung Fu? Pois bem, ele é. 

So que essa semana, Pai Mei passou um pouquinho dos limites. Camilo, feliz e contente, mandou um email pra todos os seus contatos convidando o pessoal pra sua festa de aniversario. A gente sabe como é dificil manter controlado os convidados bêbados, principalmente aqueles que nao conhecem o dono da festa e usam o momento pra fazer merda (na ultima festa que houve aqui em casa, mijaram num colchao que fica no subsolo). Entao, Camilo, inocentemente, disse ao final do email que nohs tinhamos um chinês que fazia Kung Fu e que nao ia tolerar as pessoas que viessem quebrar a casa. 

Pra que?

Eu, que no momento em que lia o email, estava em casa, comecei a ouvir umas pancadas fortes vindo do quarto dele, algo como batidas de porta, mas de maneira muito mais alta e intensa. Fiquei apavorada, apesar de saber do que se tratava (e talvez por isso). Finalmente, um outro morador da casa chegou e perguntou a Pai Mei o que porra ele tava fazendo. Nao escutei a explicaçao, mas quando chegou à noite, entendi o motivo: encontrei Camilo num restaurante e ele disse que o estressado havia respondido ao email quatro vezes. As mensagens sao bem carinhosas: ele manda Camilo tomar no cu, diz que vai bater nos amigos dele, que vai bater em Camilo, inclusive, que vai matar Camilo e que vai fazer realmente isso pra Camilo ver que ele nao ta brincando. Dai vocês me perguntam: por qual motivo ele vai fazer isso? E quem sabe! Eu fiquei tao assustada que disse que Camilo nao ia ficar sozinho com ele quando voltasse pra casa pra conversar com ele.

No final das contas, aconteceu o que a gente sabia que aconteceria: ainda por telefone, ele pediu desculpas a Camilo e depois teve uma conversa muito sincera sobre o quanto ele estava errado e sobre o quanto ele deveria mudar. Nohs, os estressados, violentos, temos consciência absoluta da nossa ignorância e do quanto isso afeta nossos relacionamentos. E o pior: justamente aqueles que sao os mais proximos e, consequentemente, os mais queridos. Eh uma maldiçao. Mas tudo acabou bem e Pai Mei ta pensando em deixar a casa em fevereiro.

PS. nao estranhem se eu deletar esse post dentro dos proximos dias. Seguro de vida: nao temos. 

domingo, 23 de janeiro de 2011

Diario de férias - parte II

Luci vai ao parque

Nunca fui alguém que se preocupa com o peso. Achei que fosse porque eu seria uma pessoa livre, que nao liga pra aparência e esses padroes de beleza impostos pela nossa feliz sociedade. Mas nao, eu nao era uma pessoa despreocupada, eu era uma pessoa magra. Como isso mudou, senti que eu deveria mudar de habito e começar a praticar algum exercicio. Pensei que, ainda que eu nao conseguisse emagrecer ou que nao tivesse disciplina pra me exercitar todos os dias, mal nao me faria correr no parque. Pois eu pensei errado. 

Da escalada eu ja me livrei ha muito tempo, afinal, nao faz sentido praticar um exercicio a dez metros do chao quando você tem medo de altura. Além disso, escalada é um esporte caro e a realidade é que eu sou pobre. 

vejam que absurdo essa
mulher correndo
Correr ao ar livre nao foi uma decisao facil, afinal, meus amigos, la fora beira os 2° graus. Mas o pior mesmo da corrida é que você tem que... correr. Eh uma pratica terrivel! Mas la fui eu: me vesti pra ocasiao, caminhei até o parque e passei os 30min seguintes imaginando sob o pé de qual arvore eu seria estuprada, porque, né, nesse frio miseravel, as unicas criaturas que estao no parque sao os esquilos e eu, e eu nao acredito que algum esquilo me ajudaria caso eu fosse abordada por alguém. 

Corri bravamente no primeiro dia. Cheguei em casa me sentindo a saudavel. No dia seguinte, senti mais que isso: senti uma dor malandra em todos os musculos que se encontravam da cintura pra baixo, mas fui correr. Cheguei em casa tao exausta que eu nao sabia se me sentava ou se me jogava logo no chao. No terceiro dia, contrariando todas as probabilidades que de que eu continuaria com o martirio, fui correr. Acho que eu tava sob efeito de algum desequilibrio quimico provocado pelo exercicio, algo com o qual meu corpo nao estava acostumado, porque a cada passada, eu sofria mais, mas continuava. Comecei a pedir ao arcanjo que cuida dos esportistas que me desse forças pra pelo menos chegar em casa com meus proprios pés. Descobri que, pra fazer exercicio, nao basta estar gorda, ser pobre e nao ter noçao: é preciso ter coragem. E adivinha quem nao tem.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Diario de férias - parte I


...mas podem me chamar de Rai 

Sim, férias! Mas nao férias safadas como as de dezembro, em que eu tive que estudar pras provas de janeiro. Nao, sao férias sinceras: o semestre finalmente acabou. Mas os ultimos momentos, claro, foram tensos, senao a vida fica sem graça. 

Eu tinha duas provas escritas pras disciplinas de Historia da Africa e Historia Antiga. O conteudo de Africa era uma abordagem politica e social de alguns paises do continente africano colonizados pela Europa, até os dias atuais. O professor de Africa nao é nada exigente. 

- Professor, eu sou obrigada a apresentar o trabalho?
- Que nada! Você é estrangeira, pode entregar por escrito.
- :D

Claro que eu poderia dizer "o senhor por acaso esta sugerindo que eu, na condiçao de estrangeira, nao tenho capacidade de seguir o curso tal qual o faz um aluno francês? Pois saiba o senhor que eu..."

Que eu vou entregar o trabalho por escrito. Obrigada.

Escolhi Moçambique como tema. Semanas depois, antes de entregar o trabalho ao professor, mostrei à minha nova coleguinha francesa (eu tenho uma coleguinha francesa, iupi!) meu trabalho e ela perguntou, "Luciana, tu nao ia fazer sobre Moçambique? Por que fizesse sobre Madagascar?" 

Taih uma pergunta pertinente.

Sei la. Porque era tudo com "M"? Porque eles estao proximos? Ok, nao foi por isso. Acho que eu tou sofrendo algum tipo de demência leve nesses ultimos tempos.  Peguei um livro na estante pra ler no metrô. Quando cheguei nele, percebi, ao abrir o livro, que eu ja o tinha lido. Derrotada, guardei o livro na bolsa e continuei o trajeto. Desci do metrô, olhei em volta e me perguntei pra onde eu estava indo: tinha que ir pra universidade e fui pro trabalho! Era o dia da prova de Antiga. Sai bem cedo de casa pra nao chegar atrasada e me atrasei 15min. Dois dias antes, peguei o metrô, fui pra direçao certa e ia esquecendo de descer na estaçao. Quando as portas estavam dando o sinal sonoro de que se fechariam, eu dei um salto sobre a cabeça das pessoas e consegui descer. Abestalhamento: trabalhamos. 

Finalmente, nao sei nada sobre a colonizaçao de Moçambique, mas imagino que teria sido mais interessante que a de Madagascar. Moramos com um malgaxe que se chama Toky Rakotomalala, mas respirei fundo quando me deparei com nomes como o do Primeiro Ministro da Ilha: Rainivoninahitriniony. E o que dizer de Andrianampoinimerina? Como eu disse no twitter, fico imaginando o apelido carinhoso desse povo. "Andrianampoinimerinazinho, venha comer, meu filho!" A namorada dele precisava de uma sequoia e 45min pra talhar o nome dos dois.


Enfim, divago. O importante é que decorar nomes nao esta entre minhas habilidades (que sao respirar e dormir), entao, num voo até meus tempos de escola, peguei meu dicionario francês-português e sai escrevendo nas paginas todos os nomes, conceitos e datas que eu poderia precisar na hora do exame (Professor, se o senhor estiver lendo isso, por favor, nao me reprove, eu sou estrangeira). 

Como o sistema deu certo (ninguém me pegou em flagrante), repeti a dose na prova de Antiga. Mas essa mereceu. Essa professora tocou o terror na minha vida nesses ultimos quatro meses. O conteudo da disciplina trata do Alto Império Romano (no Oriente, de - 31 até 235). Entao, ela passou meses falando do que aconteceu em cada provincia romana nesse periodo, sob o governo de cada imperador, deu o dia, mês e ano dos acontecimentos, a arvore genealogica das personagens envolvidas e... Meu deus. 

"Em 22, em 17 e em 13: grande revolta dos Besses sob direçao do seu rei Vologese. Os Besses vao tirar  Rhoimetalkes I do poder e fazer sumir o filho de Cotys V, Rhescuporis II. Os romanos intervem durante três anos e, em 11, ha a pacificaçao da Tracia. Rhoimetalkes I é nomeado rei de toda a Tracia". 

"No Egito, sob reino de Tibério: ha somente duas legioes estacionadas em Nicopolis. Sob o reino de Trajano: uma terceira legiao é adicionada: a II Traiana. Entre 106 e 123, a III Cyrenaique é enviada à Bostra e em 135, a XXIII Deitoriana é desfeita, ficando somente uma legiao no Egito, a II Traiana". 

Agora vocês entendem porque eu chorava tanto? Esses sao dois pequenos exemplos que eu peguei ao acaso nos resumos, mas eu tive que estudar quarenta paginas disso. Quarenta paginas falando do que fez cada imperador, de quem atacou quem, em tal ano, quem morreu, quem se matou, quem deu tal ordem, bla bla bla. Perguntei desesperada à brasileira se a professora exigia esses detalhes na prova e ela disse que sim. Fiz quase 30 paginas de resumo desenhando mapas, fazendo os caminhos das legioes com setinhas, usando canetinhas coloridas e letras diferentes que pudessem me fazer rememorar meus resumos pra que, no final das contas, a professora desse como tema "as elites municipais nas provincias romanas". Fiz a prova com ajuda do meu super dicionario, mas nao tenho a minima idéia de como me sai, afinal, eu sabia falar sobre o papel das elites municipais, mas nao sei se o fiz em forma de dissertaçao. E aqui nao adianta saber do conteudo, tem que saber a forma e, essa aih, eu nao sei. Oremos. 

sábado, 15 de janeiro de 2011

Introduçao



Diante dos inumeros pedidos (um) pra que eu atualizasse o blog, começo o primeiro post oficial do ano de 2011 com grande empolgaçao. Depois de duas semanas, ainda vale falar do Reveillon? 

Vale.

Gente, meu Reveillon foi lindo. Simplesmente recebi as visitas ilustres de Amanda e Aline e passamos uma romântica noite falando besteira e bebendo cerveja. Quem teve o privilégio de passar as festas de fim de ano com os amigos e familiares, nao vai entender o quanto foi importante pra mim estar finalmente com gente "minha". Amanda e eu começamos a conversar quando a recebemos (junto a seu cheri) na estaçao de Lyon até o momento em que nos despedimos (nao parei de falar nem enquanto dormia: meses sem amigos dao nisso). 

A gente foi dar uma voltinha por Lyon e Amanda e Aurelian começaram um joguinho cujo objetivo parecia ser pisar no maior numero de cocôs possiveis. Esqueci de avisa-los que aqui tem que ser ninja pra nao derrapar nos toletinhos que enfeitam as ruas lionesas. O casal levou pra casa um quilo de cocô na sola das botas (tendo Amanda ganho o jogo depois de quase pisar na segunda merda tentando limpar a primeira). Parabéns! Aline nos deu uma avacalhada linda caixa de chocolate Lindt de um quilo. Obrigada, minhas lombrigas apreciaram muito o gesto. 

Mas nao era exatamente sobre a festa do Reveillon que eu gostaria de falar. Eh sobre gente. De volta à Paris, Amanda me mandou um email muito massa falando que se sentiu muito bem aqui em casa, à vontade e que gargalhou às alturas. Me digam: nao é lindo isso? Fiquei, além de muito lisonjeada, claro, feliz de encontrar pessoas por essas bandas que pensam da forma que eu penso, que sabem viver (de acordo com a definiçao que eu tenho do que seja "vida", é claro). 

Conheci as meninas em 2009 e era mais do que esperado que as coisas rumassem pra uma amizade. E, em 2010, sai conhecendo um outro monte de gente interessante, que talvez eu nunca va conhecer pessoalmente, mas que eu adoro e que me faz muito bem (Xara, Gloria e Rita, soh pra ficar na introduçao). Dai vi que eu precisava, além de investir nessas pessoas, cortar o mal estar que outras me proporcionavam. As férias de Barcelona e uma internet limitada, fizeram com que eu deixasse de visitar alguns sites que, olha, nao fizeram falta. Quando voltei a Lyon, sai evitando, bloqueando, deletando e dando unfollow em tudo e todos que nao me traziam nada de positivo e... que idéia brilhante! Entao, minhas resoluçoes pra 2011 nao tem nada a ver com trocar de emprego ou emagrecer (apesar de...). Vou investir em gente boa e dar um conselho: façam o mesmo. 

domingo, 2 de janeiro de 2011

Feeling Good

Nao encontrei melhor maneira de expressar a felicidade das minhas primeiras horas de 2011. Deixo que fale quem soube: 

Birds flying high you know how I feel
Sun in the sky you know how I feel
Breeze driftin' on by you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Fish in the sea you know how I feel
River running free you know how I feel
Blossom on the tree you know how I feel

Dragonfly out in the sun you know what I mean, don't you know
Butterflies all havin' fun you know what I mean
Sleep in peace when day is done
That's what I mean

And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine you know how I feel
Scent of the pine you know how I feel
Oh freedom is mine
And I know how I feel



Pássaros voando alto, você sabe como me sinto
Sol no céu,você sabe como me sinto
Briza passando,você sabe como me sinto

É um novo amanhecer
É um novo dia
É uma nova vida
Pra mim
E estou me sentindo bem

Peixe no mar, você sabe como me sinto
Rio correndo livre, você sabe como me sinto
Florescer na árvore,você sabe como me sinto

Libélula ao Sol,você sabe o que eu quero dizer, não sabe?
Borboletas se divertindo, você sabe o que eu quero dizer
Adormecer em paz ao fim do dia
Isso que eu quero dizer!

E este velho mundo é um novo mundo
E um corajoso mundo
Pra mim

Estrelas quando brilham, você sabe como me sinto
Aroma do pinheiro, você sabe como me sinto
Oh a liberdade é minha
E eu sei como me sinto

Talvez

Related Posts with Thumbnails