sábado, 17 de novembro de 2012

Isso nao é um post.

Nao. Nao voltei. Na verdade, o blog é a ultima das minhas preocupaçoes. Penso até em catar os carrapatos dos macacos do parque, mas nao penso em postar aqui. So tou escrevendo pra dizer que tampouco eu vou parar com o blog (lovo) e que eu tou bem, gente. Ainda tem gente preocupada. Tenho recebido lindos emails, mensagens, pedidos de casamento, mas ninguém me da dinheiro. Prometo um dia responder a tudo direitinho, mas por enquanto, a vida tem me esgotado. 

Vou no parque. 

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Yes, we can't.

Pirrai doido no parque ontem:

- EU TENHO UM BEBE NA MINHA BARRIGA!
- Tu quer um bebê, Guri?
- Quero!
- Tu sabe... de onde vem os bebês, Guri?
- Nao.
- Pergunta ao teu pai, ok?

::

Sou legal?

::

Post dedicado a Isa Mena (disse que queria um post, nao especificou o tamanho).

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Toda cura para todo mal

- Como escrever um post de agradecimento sem ser brega ?
- E por que evitar a breguice, Luci ? Seja brega, nao se reprima.

Credo, que mensagem de
agradecimento horrivel
Esse foi o dialogo entre mim e meu eu-menudo minutos antes de escrever esse post. Porque eu até entendo que as pessoas possam se solidarizar com alguém que anuncia uma doença, mas eu nao esperava, sinceramente, pelas mensagens recebidas nas ultimas semanas. Os telefonemas, os emails, as mensagens no blog, as cobranças no FB: nao importou o tamanho, a frequência ou o meio: tudo, cada mensagem me deixou feliz, de olho marejado. Gente que nunca me viu na vida dizendo estar preocupada, oferecendo ajuda. Eh demais pro meu coraçao de banana.  Call me deslumbrada, mas eu acho isso fantastico e me emociono mesmo. Sou mole sensivel. Entao, obrigada. Obrigada mesmo. 

Mas vamos falar do meu parto. 

Assim que cheguei ao Brasil (19 de maio), fui a todos os médicos e fiz todos os exames possiveis para dar inicio ao processo cirurgico. Mas toda semana, a cirurgia era marcada e desmarcada devido à falha na aprovaçao do material da cirurgia que custava em torno de 5 mil reais. Quase escrevi à UNIMED dizendo que eu aceitaria ser operada com uma tesorinha de plastico sem ponta, desde que a operaçao fosse aprovada rapidamente. Eu era a personificaçao da ansiedade, nao via a hora de extirpar Godzilla. 

Entao, um dia, confirmaram a cirurgia. Nunca na historia desse pais uma pessoa ficou tao maravilhada com a ideia de ser aberta por um bisturi. Angela Bismarchi me entenderia. A cirurgia estava marcada para às 10h, mas maqueiro soh chegou depois do meio-dia. Sim, o "maqueiro". Nao sei vocês, mas eu desconhecia a existência desse profissional. Quando ele chegou, me perguntou: "seu coraçao acelerou quando me viu?". Poderia ter acelerado se seu nome fosse Freddy e seu sobrenome fosse Krueger, fora isso, sem chance. Ele ainda disse, com certa dose de orgulho, "o coraçao dos pacientes sempre acelera quando eles me veem". Foi aih que eu lembrei de ficar nervosa, mas nao consegui. 

Chegando na sala de cirurgia, encontrei o cirurgiao, o anestesista e mais duas figuras cuja serventia eu desconhecia. Foi quando ouvi alguém dizer "eu soh fiz duas cirurgias em supra-renal". Quase que levanto da maca no melhor estilo UEPAAAA! Para tudo! Maquistoria é essa de somente DUAS cirurgias? Eu rezei pra que fosse o maqueiro que tivesse dito isso, mas nao pude ter certeza. A anestesia ja estava fazendo efei... hudedz... hnj q;;77§ès !r fie jfgn id ufijr,f...

Limbo.

"Deixa eu ver" foi minha primeira frase (consciente) depois da cirurgia. Eu ainda estava grogue, mas queria ver aquele que me deu tanto pesadelo. Lembro de ter visto no potinho uma coisa redonda dentro de uma agua turva. Era mais ou menos assim: 

Fui levada, como previsto, pra UTI onde fiquei uma noite. Era importante que eu fosse pra UTI pra ser monitorada de perto caso minha pressao caisse (o que normalmente aconteceria devido a supressao repentina do cortisol). Na minha cabecinha inocente, a UTI deveria ser um local de paz e tranquilidade destinado à convalescença dos enfermos. A UTI que fiquei tava mais pra Feira da Sulanca: milhoes de pessoas passando pelo corredor, de maqueiro à eletricista, uma velha que gritava e um grupo de animais, digo, pessoas, que acharam bonito conversar à porta do meu quarto.

Eu ja estava ha 15h sem comer quando uma enfermeira sadica colocou uma bandeja de sopa, suco e gelatina numa mesa inalcançavel e saiu sem dizer nada. "Sera que ela espera que eu mova essa bandeja com o poder da mente, MEU DEUS?" Fixei meu olhar na bandeja acreditando que o pos-cirurgico pudesse ter me dado poderes sobrenaturais. Nao deu.

Eh soh uma mancha
Em seguida, uma dupla de enfermeiras entra no meu quarto dizendo que vai fazer minha higiene (meda). Uma delas me descobre, olha pro meu peito e pergunta horrorizada: "MEODEOS, o que é isso no seu peito?!". Eu ia responder "mamilo", mas pela cara de horror dela, ela deveria estar se referindo a outra coisa. Como meu campo de visao se limitava ao teto, eu imaginei que nao poderia ajuda-la a encontrar a resposta, apesar de eu estar igualmente preocupada.

A segunda enfermeira encarou meu peito e, de maneira passiva e precisa, diagnosticou: "é soh uma mancha". Soh uma mancha?! Em casa eu pude averiguar que nao se tratava soh de uma mancha. Parecia que eu tinha levado uma surra. Infelizmente, a pudicicia me impede de mostra-los a foto da "mancha". Mas eu posso garantir que meu corpo ta bonito. So que ao contrario. Fizeram quatro incisoes na minha barriga, cada uma tem no minimo três pontos. Eu tou parecendo um pirata.

Mas um pirata feliz. Feliz e agradecido.




sexta-feira, 8 de junho de 2012

Pequenas crônicas de um coraçao partido

(O post começa em abril e termina em junho. Sou eficiente?)

::

Incomodo e cresço rapido, quem sou eu? 


(Abril - 2012)

Alma Bondosa, também conhecido como Patrao de Luci, mexeu o pauzinho dele, alias, mexeu os pauzinhos dele (ele é médico) e marcou uma consulta para a manha de ontem com um endocrinologista chamado Professor R.  num hospital que fica a 15 min de bicicleta da minha casa.  Que frase grande.

Chegando la, mostrei a meia duzia de exames que eu tinha feito no Brasil. Um deles consistia em um exame de urina onde a coleta deve ser feita durante 24h. O médico disse "mas nao me chegue aqui com meio litrinho de xixi". Camarada! Esse homem nao sabe que eu tenho uma relaçao bastante especial com minha urina e que sou capaz de produzi-la (mas nao de contê-la) aos litros*. Voltei la com duas garrafas pet cheinhas e a sensaçao de dever cumprido.

Recipiente para amadores

Recipiente para Luci

Professor R. olhou um exame e arregalou os olhos. Fudeu, pensei. Depois ele disse a uma aluna que estava presente que ter quatro vezes mais alto o nivel de cortisol era muito e que eu o tinha 20 vezes. Fudeu, pensei de novo. Ele pediu pra ver minhas estrias, deu uma olhada de cima abaixo e perguntou se poderia fotografa-las. Gentem, virei material de pesquisa médica. Enquanto ele nao começasse a falar em lobotomia e dissecaçao, estaria tudo bem.

Entao, no intuito de ter certeza sobre a localizaçao do meu bebê, Professor R. pediu uma série de exames que deveria ser feita num hospital perto da minha casa durante... quatro dias. Fiquei hospitalizada e vou adiantar: nao foi engraçado. Me colocaram esses dois cateteres e acho que tiraram uns trinta potinhos de sangue pros exames. Tiraram pressao, recolheram amostras de saliva, espetaram meu dedo pra medir as taxas de glicose, recolheram urina. Nunca meus fluidos foram tao requisitados.

Numa radiografia, foi confirmado que Godzilla se encontra na suprarrenal direita (essa desgraça so podia ser de direita) e tem 3cm. Me espantei com o tamanho desse negocio, mas o médico disse que a preocupaçao dele era mais pelo nivel de cortisol que eu produzo do que propriamente pelo tamanho do adenoma. Ao ver as marcas deixadas no meu braço pelo torniquete do aparelho que media minha pressao, o Professor R. indicou novos exames, dessa vez, cardiacos. Ele disse que estava preocupado com a possibilidade de eu ter uma flebite durante a viagem de aviao que farei logo mais e prescreveu meias de compressao e uma injeçao anticoagulante (que tomei diariamente durante os dias de internaçao).

(Maio - 2012)

Enquanto eu ainda estava me acostumando à ideia do Cushing, tive a prova de que Deus existe, sim, e que, nao, ele nao sabe brincar: fui chamada no hospital dias depois para fazer uns exames no coraçao e foi descoberto que eu tenho uma pequena cardiopatia: uma ma formaçao no coraçao que me acompanha desde sempre. Ela se chama CIA (Comunicaçao Interatrial). Google amigo:

A comunicação interatrial é uma cardiopatia congênita caracterizada por uma abertura entre os átrios, que permite a passagem do sangue do átrio esquerdo para o átrio direito. O fluxo sanguíneo do atrio esquerdo para o atrio direito resulta em um aumento da saturação de oxigênio em atrio direito, ventriculo esquerdo e tronco pulmonar. O fluxo pulmonar aumentado leva a um aumento da resistência arteriolar pulmonar e insuficuiência cardíaca direita. Pode ser diagnosticada por ECG e seu tratamento é apenas cirúrgico. (Fonte)

Eu até tentei chorar, mas nao consegui. Na boa, pareceu mais piada que qualquer outra coisa. E, como eu ja estava sentimentalmente amaciada pela historia do Cushing, pensei "uma cirurgia a mais, uma cirurgia a menos, nao vai fazer diferença". Eh uma pena que essas coisas a gente nao possa colocar no CV.

2013 - Cirurgia de CIA - Avaliaçao: sobrevivi
2012 - Cirurgia de adenectomia - Avaliaçao: sobrevivi

Nossa, muito bom o seu curriculo. Com o salario que pagamos, seria bom ter uma sobrevivente na equipe. Inglês?

(junho - 2012)

E quem disse que pinto gosta de lixo?
Pinto gosta é de luxo! Oia pra nois!
Mas nao. Seja como for, no dia 18 de maio, eu estava prontinha pra ir pro Brasil. Tava mais feliz que pinto no lixo. Eis que de repente, nao mais que de repente, decido dar uma ultima checada nos meus emails e vejo que meu voo havia sido cancelado e remarcado somente pro dia seguinte. Onda de sorte. Frustraçao define. 

Como ja venho ha semanas fazendo esse post, e, como @s amiguinh@s andam pedindo noticias, vou postar isso aqui e logo mais (ou nao) retornarei com informaçoes mais precisas sobre a data da cirurgia - e, claro, os comentarios toscos acerca da minha viagem, que eu sei que é disso que vocês gostam. 


Here, there and everywhere

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Piquinicar

Quem nao vai pra comer, pode ir pra sensualizar

Em 2009, através de um pic nic realizado pela finada Amanda, conheci uma meia duzia de amiguinhos, alias, amiguinhas, que mantenho até os dias atuais. Nao é uma historia bonita? Pois bem. Essa pode ser a sua historia, caro leitor. E eis aqui a sua oportunidade: 

Milésimo Pic Nic de Blogueir@s e leitores e curiosos e caes e gatos à Paris!


Isso é quando? Eh no sabado, dia 12 de maio
E a hora? Ao meio-dia 
Onde, Luci? Parc Montsouris, 14ème

Venham todos! 

sábado, 21 de abril de 2012

Tem o Giba uma giba?

Você conhece este homem?


OHMEODEOSDOCEONAOEHPOSSIVEO!

Sim, post novo no caso.me.esqueçam. Antes que Cissa Guimaraes aparecesse aqui em casa com o quadro "Por onde anda...", resolvi mostrar que estou viva e explicar (parte) do meu sumiço.

Em fevereiro, por motivos que nao me covem explicar, fiquei mal da cabeça e doente do coraçao. Tadinha. Diante do meu infeliz estado, meu bob pai e minha mamae quirida me pagaram uma passagem pro Brasil: dois anos longe de casa. 

Quem acompanha minimamente esse blog, sabe que fiz, durante meses, uma dieta pra perder os singelos 13kg que ganhei no ultimo ano. O ganho rapido de peso garantiu estrias pelo meu corpo inteiro. Mas nao eram estrias normais. Estas devem ser estrias mutantes. Nem gravidas de mamutes trigêmeos conseguiriam exemplares como os meus. Minha melhor amiga, quando viu minhas pernas, disse que achou que eu tivesse levado uma surra. Quem dera fosse. Pra vocês verem que eu nao estou exagerando, uma foto de um lado da minha barriga:

Convencidos de que o caso é sério?

Minha mae, diante do quadro, insistiu pra que eu fosse numa dermatologista pra um milagre tratamento e eu aceitei. Chegando la, a médica me olha e, em três segundos e meio, me diz: "você tem Sindrome de Cushing". Oi, pai de quem? Cushing. 

Entao, ela abre um livro que, pelo tamanho, deveria ter meu peso. Ela começa a folhea-lo e eu, curiosinha, arregalo os olhos pra ver as imagens dele. Metade das figuras eram de vaginas brancas, cheias de bolinhas esquisitas e pênis vermelhos com rachaduras. "Minha nossa, minha doença ta aih dentro?". Finalmente, ela para numa pagina onde tinha uma foto de uma pessoa gorda. Eu fico aliviada. "Ah, novidade, ela vai dizer que eu estou gorda". Nao. Entao, ela começa a ler sobre a Sindrome. Wikipedia ajuda.

A Sindrome de Cushing é provocada por altos niveis de cortisol no sangue. O cortisol pode ter origem externa ou interna: ou eu fiz tratamento prolongado com essa substância (99% dos casos, segundo meu médico) ou é minha hipofise que a esta produzindo ou ainda as glandulas supra-renais. Nesses ultimos dois casos, de qualquer forma, trata-se de um tumor. Pois é, viva eu que fui ao Brasil pra descansar e voltei com um tumor na mala. Detalhe, Sindrome de Cushing nao é uma doença comum (dois ou três casos por um milhao de habitantes). Meu médico soh a viu uma vez na vida. Viva eu de novo. 

Mas isso explica um monte de coisa. Nesses ultimos meses, meu corpo mudou muito e eu passei a desenvolver umas mazelas que, pra mim, eram resposta a dieta que eu tava fazendo. Sintomas? 

- Obesidade crônica, sobretudo na parte superior do corpo;
- Rosto gordo (dito "lua cheia") e vermelho;
- Surgimento de estrias violaceas;
- Pele fragil;
- Insônia;
- Afinamento e queda do cabelo;
- Perda de massa muscular;
- Equimose (hematomas);
- Labilidade emocional;
- Acne;
- Ganho de apetite;
- Cansaço nervoso;
- Problemas no ciclo menstrual;
- Aumento de pelos;
- Problemas psicologicos (depressao, ansiedade, irritabilidade, dificuldade de atençao e memoria);
- Reduçao da libido;
- Aumento do volume urinario;

E ainda: geralmente, a Sindrome traz osteoporose, diabetes, hipertensao e/ou dificuldade na coagulaçao do sangue. Essa porra deve dar até piolho. 

As consequências de um diagnostico tardio: 

- Embolia pulmonar, trombose, diminuiçao da massa ossea (provocando fraturas), obesidade, 4-5 vezes mais chance de morrer em relaçao a alguém saudavel. Ou seja, muito amor.

Olha, com exceçao da acne e dos problemas menstruais, eu tinha, tenho, todo o resto. Eu vou no banheiro pelo menos duas vezes durante a madrugada pra fazer xixi; eu tenho roxos pelo corpo todo e nenhuma lembrança de ter me machucado; os cabelos caem aos quilos; a vermelhidao no rosto é tao aparente que uma vez cheguei em casa e perguntaram se eu voltei correndo do trabalho; nervosismo e tristeza nao precisam nem ser comentados (vide primeiro paragrafo); perda da libido?; fiz o buço pela primeira vez na vida quando o estado dos meus bigodes nunca tinha me incomodado antes - odjio; o cansaço começou a ser grande, mas eu achava que era a dieta e os guris que sugavam minha energia.

O endocrinologista que eu consultei disse que iria fazer um teste simples pra saber se eu tinha Cushing: ele segurou minhas maos, pediu pra que eu agachasse e, em seguida, tentasse me levantar. Eu soh consegui a façanha por ter me apoiado nele e jogado os quadris para tras: com a perda da massa muscular, a Sindrome te tira a força das pernas. Eu soh faltava morrer tentando subir uma escada. Tudo se explica.

Quando fiz a dieta, eu perdi 15kg, ou seja, fiquei mais magra do que estava antes de começar a ganhar peso. Mas o rosto continuou gordo e a pança nao diminuiu tanto quanto era de se esperar. Queria muito ter feito um post "antes e depois", mas com a cara gorda que eu me encontro, vocês nunca iriam notar a diferença. Eu cheguei a ir no médico aqui na França pra tentar resolver isso e ela disse que era normal, que eu iria emagrecer depois. Sei. 

A mae dos moleques é médica e me revelou essa semana que sempre desconfiou que eu estava com Cushing, mas achou indelicado dar essa sugestao na época. Indelicado é deixar a babah morrer, minha gente. Ainda assim, no ano passado, ela chegou a me aconselhar a ida a um endocrinologista caso eu fizesse uma dieta e nao perdesse peso. Acontece que eu perdi, entao logo descartei a possibilidade de estar doente. Ela perguntou por que eu ou Camilo nunca desconfiamos que eu poderia estar doente, mas como eu ja disse, as consequências de uma dieta de proteina pareciam ser uma explicaçao razoavel pra tudo o que estava acontecendo. 

Ha também acumulo de gordura na parte de tras do pescoço que os médicos chama de "giba". Gente, eu tenho uma giba que, infelizmente, nao é essa: 


(ou felizmente...)


Unxi, como é lindo!

Seja como for, diante da possibilidade de estar com diabetes, tive que suspender o chocolate e o alcool (si, pero no mucho) com muita dor no coraçao. Depois de "curtir" alguns dias a ideia de ter diabetes, fiz um exame simples que revelou que eu nao tinha porra nenhuma! - pude aproveitar ao menos a festa de despedida. 

Antes de deixar o Brasil, fiz um outro exame que revelaria onde estah meu bebê tumor (espero que seja um bebê). Havia de 80% a 90% de chance de ser na hipofise. Hipofise, pra quem nao sabe, é uma glandula que fica na cabeça e tem o tamanho de uma ervilha. Ela é responsavel pela produçao de um monte de hormônio importante como o da produçao do leite e o do crescimento. O médico explicou que ele iria "raspar" a parte da hipofise que produz o cortisol.

O que poderia acontecer seria que o cirurgiao poderia raspar além do necessario afetando a produçao dos outros hormônios (e eu teria que repo-los também pelo resto da vida) ou, pior, nao raspar o suficiente me obrigando a fazer uma segunda cirurgia - acho valido lembrar que a cirurgia nao custa dois reau. Num terceiro fracasso, "a gente 'explodiria' sua hipofise numa radioterapia". Uma pena, porque eu nasci com essa hipofise e pretendia morrer com ela. Mas nao por causa dela, entao... Entao, tinha esses 10%, 20% de chance que o tumor estivesse na glâdulas adrenais.

Hoje liguei pra minha mae pra saber o resultado do exame que fiz antes de deixar o Brasil que indicaria a localizaçao do bebê e, guess what!, na sena eu nao ganho, mas meu tumor estah na supra-renal.

djing djing djing!

Essa historia toda me deu um mal humor danado (sobretudo a parte da diabetes). Mas interessante mesmo, foi receber um email de uma professora da faculdade, no mesmo dia em que descobri que tinha Cushing, dizendo que eu estava perdendo aula e... Bom, se eu estava perdendo aula todo esse tempo, significava que eu estava reprovada por falta e que, por isso, nao poderia fazer o mestrado esse ano (e somente em setembro de 2013!). Foi aih que eu, pela milésima vez, surtei. Sinceramente, espero que o mundo acabe mesmo em 2012. Nao esta sendo facil.

Pedi pra Camilo averiguar essa historia com a secretaria e ela garantiu a ele que eu havia finalizado a graduaçao, apesar das disciplinas que cursei semestre passado terem continuidade este semestre. Como eu ja fui ludibriada por esta mulher anteriormente, irei na faculdade exigir uma declaraçao por es-cri-to que indique que eu estou, na mais absoluta certeza, formada. Motivo: minha cirurgia vai ser feita no Brasil e eu nao quero nenhum impedimento ou coisa pendente na França. 

Borboleta, tou chegando. Betty, vou ter que declinar do seu convite pro casamento - ja havia comprado as passagens e tudo mais, mas. Mas havera pic nic de blogs em Paris no mês de maio e mocinhas e mocinhos das redondezas podem se preparar porque quem me lê agora ta convidado. Pode levar marido, Luci? Podji! Pode levar filho, cachorro e periquito? Podji. Pode levar a giba, Luci? Também!


quinta-feira, 8 de março de 2012

Um passo à frente

Pais dos guris programaram passar dez dias de férias no chalé da familia da mae que fica em Montgenèvre, perto da fronteira com a Italia. Gentis como sao, resolveram levar a babah deles na mala. E entre ficar em casa coçando o saco que eu nao tenho e viajar, bom, vocês sabem. Foi uma escolha dificil. E por falar em dificil, eu vou contar uma historia para vocês. 

Para chegar em Montgenèvre, eu tinha que pegar um trem em Lyon e ir pra Uma Cidade que Eu Esqueci o Nome. Numa Cidade que eu Esqueci o Nome, eu esperaria 40 min e pegaria em seguida um segundo trem pra Oulx, na Italia. La, finalmente, eu pegaria um ônibus para Montgenèvre onde meus patroes normalmente estariam me esperando. Mas dessa forma, tudo seria muito facil e a vida exige  emoçao.

As cinco pessoas que desceram comigo do trem desapareceram nos carros aquecidos de suas familias. Entrei na estaçao, pedi um bilhete para Montgenèvre mas, devido um pequeno atraso de 30 min do meu segundo trem, acabei perdendo o ônibus. O ultimo ônibus. Eram 20h e nevava como nos filmes de Natal. Perguntei que de outra forma eu poderia chegar à Montgenèvre e o cara do guichê deu de ombros, mas depois respondeu, grosseiramente, que, talvez, de taxi. E quanto custaria esse taxi? "30 euros". Eu teria resolvido meu problema se tivesse taxi na estaçao. E se eu tivesse dinheiro comigo. 

Saquei meu celular para ligar pros patroes, mas ele nao tinha sinal: eu estava na Italia. Pensei "gente, é agora que chega um estuprador pra comer meu pipiu?" Atravessei a rua e entrei no unico estabelecimento aberto da regiao, um bar. "Est-ce que vous parlez français?" Nao, eles nao parlavam français. Ok, Luciana, nao priemos cânico, veja isso como uma boa oportunidade de por em pratica seu  inglês. 

- Eu, I... I où est-ce que... I... There's un hotel par ici? 
- Sim. Você sai do bar e ha um à esquerda, à duas portas. 

Sai do bar, dobrei à esquerda e encontrei um hotel fechado. Neve, neve, neve. Apertei a campainha e uma mensagem automatica em italiano disse me disse que "piasccia netcha di vionglorio mercredile sue pitto!". 

Eh o quê, homi?!

A mensagem, como eu viria a saber depois, dizia que o hotel fechava nas terças. Era uma terça. Voltei pro bar disposta a vender meu corpo em troca de um lugar para dormir. Com a sorte que eu estava, acho que nem o estuprador da cidade aceitaria. Mas otimismo é tudo. "Moço, tem outro hotel por aqui?" Tem. "Você vai direto, chega até o final da rua, dobra à direita, dobra à esquerda, passa pela ponte, entra no beco escuro, depois desce, depois sobe, depois desce, depois dobra. E cuidado com o lobo". 

Sai do bar e uma figura malassombrada me perguntou se estava tudo bem, se eu queria um taxi. Olhei em volta e nao havia taxi nenhum. Recusei gentilmente o taxi inexistente e fui ao encontro do desconhecido. Subi, desci, subi, desci, subi, desci (minha gente, eu minto muito, o caminho era facil) e, finalmente, encontrei o tal hotel. Fechado. Respirei fundo, mas nao pra ficar calma, mas pra pegar fôlego pra gritar. Gritei em português, em francês, em italiano e em inglês. Mas gritei com tanta desespero fé que a dona do hotel apareceu. Meu nome: Luciana Alivio Aquino. Prazer. 

So me restava esperar o dia seguinte. Fiquei imaginando o quanto os pais estariam preocupados, afinal, nao se fazem mais babas como eu, e morta, eu nao sirvo pra muita coisa. Mas eu nao tinha muito o que fazer. O pior da noite foi ver que nao havia pasta de dente no banheiro. Gente, foi horrivel.

No dia seguinte, pedi o computador da dona do hotel e mandei mensagens desesperadas a quem conhecia para que alguém pudesse contactar Camilo, que contactaria os pais, que me contactariam. Deu certo, ja vivia emoçoes demais.

A primeira pergunta que os pais me fizeram quando me encontraram: e por que tu nao ligasse do bar pra gente? Errr... Nao sei.




terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Quen

De novembro à abril: Luci

Sei que passei dez dias sem postar, mas esse nao é um post para lembra-los de que estou viva. Bem pelo contrario: é um post de despedida, pois estou morrendo, caros leitores. Isso é, se catarro matar. Minha gente, esse frio é muito frio! Como ter saude quando você tem que atravessar a cidade debaixo de -15°? Eu nao estou acostumada a esse tipo de vida. Na Paraiba, a gente soh entende o conceito de gelado por causa do sorvete. Porque minha terra tem palmeiras onde frita o sabia. As aves que aqui gorjeiam também estariam fritas por la. 

Tudo começou com uma pequena irritaçao na garganta no domingo. A irritaçao foi se desenvolvendo durante esses dias a tal ponto que, ha cinco minutos, eu tossi uma coisa que, definitivamente, nao pode ser de origem humana. Tinha uma cor que nao é obtida na natureza. Gente, eu estou com medo. Faz três dias que eu nao sinto o cheiro de nada. Minha voz ta linda. Quando eu falo, os patos respondem. Mas as minhas obrigaçoes como babah desconhecem meu estado de saude e o sofrimento é imenso quando tenho que buscar os guris na creche. 

Como sou uma garota de sorte, num dos dias mais frios de Lyon, fui à creche e nao consegui armar o carrinho de bebê. Tentei de todas as maneiras, chamei duas crechetes para me ajudar e nenhuma delas conseguiu destravar aquela PORRA de carrinho - que é duplo e parece um tanque de guerra. Resultado: as crianças tiveram que voltar para casa à pé. Mas eu precisava levar o carrinho junto. O percurso creche-casa, em condiçoes normais, dura em torno de 15 min, mas iriamos acompanhar o ritmo de um bebê de um ano e meio. Visualizem. 

Peguei o carrinho com uma mao, peguei a guria com uma outra mao e o guri com uma terceira mao (nao me perguntem de onde surgiu essa terceira mao, mas leiam Darwin) e começamos a caminhar. Cinco minutos depois tinhamos avançado 67 cm. Calculei que chegariamos em casa no inverno seguinte. Olhei para o Céu e agradeci por aquele momento maravilhoso. Meia hora depois, chegamos na esquina onde deveriamos atravessar uma rua. Crianças querendo a todo custo soltar minha mao e eu com medo de quebrar ossinhos alheios. 

Quando chegamos em casa, eu estava mais suada que pano de cuscuz. Quando a mae dos guris ouviu minha historia, ela disse que eu poderia ter deixado o carrinho na creche. "Eu também poderia ter deixado seus filhos na creche". "Que nada, foi tudo super tranquilo, tao bom! Adorei! Precisamos tentar de novo". 

E quando o problema nao é desdobrar o carrinho, é dobra-lo. Eu sei que é vergonhoso que eu, como babah e Homo Sapiens, nao consiga manusear um carrinho de bebê, mas é que, normalmente, o carrinho ja estah armado, entao eu nunca lembro das instruçoes dadas ha tempos pelos pais quando preciso delas. "Para dobrar o carrinho é muito simples, Luciana: primeiro você aperta esse botao, empurra o carrinho pra baixo, puxa essa alavanca, gira o carrinho, joga ele pra cima, bate palma, entoa o hino da Tanzania (em aramaico, nao esqueça), pula três vezes, empurra e, quando você escutar um clack, c'est bon". Véi. 

Um belo dia, cheguei no prédio com a gurizada, o carrinho de um soh lugar e as compras. Dou de cara com um elevador quebrado. Agora eu tinha ali a oportunidade de ver quantos invernos seriam necessarios para chegar ao terceiro andar com as crianças. Eu poderia ter dobrado o carrinho e coloca-lo nas costas, como uma mochila, mas claro, nao consegui dobra-lo. Peguei o carrinho com uma mao, os sacos de compras com a outra e vi bravamente a guria subir as escadas, toda lindinha, segurando no corrimao. Enquanto isso, o guri ia na frente dela: dava um passo e voltava três cada vez que a luz, automatica, desligava. Aih a gente subia no escuro até encontrar o proximo interruptor no andar seguinte. "Guri, anda! Soooobee! Segura! Segura no corrimao! Que monstro o quê, menino! Sobe logo!" Essa sou, pura e calma. Entao, me digam, como nao ficar doente? 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Quem tem culpa, digo, consciência, ajuda

Ha uns meses, através do Twitter, acabei chegando a um site onde havia uma lista de associaçoes filantropicas de todos os tipos e as informaçoes necessarias praqueles que quisessem contribuir financeiramente com qualquer uma delas. Nunca tive a iniciativa de apoiar nenhum projeto do gênero. Nao porque eu seja lisa, egoista ou muquirana - nada disso, eu sou linda. Mas em todo caso, devo ter um pouco de cada por ter deixado passar tanto tempo antes de decidir contribuir. Acho que o problema estava mais no fato de eu ser preguiçosa acomodada mesmo. Faltava isso: uma eventualidade que colocasse debaixo do meu nariz o quanto é ridiculamente facil fazer uma doaçao. 

Decidi contribuir com os Médicos sem Fronteiras (o site mostrava quantas vacinas para tal doença eles poderiam comprar com o valor da minha doaçao. Fiquei empolgada). Queria poder dizer que contribui porque sou um anjo onde nas veias corre o sangue de Madre Teresa de Calcuta, mas acho que a origem da minha decisao deve ser relacionada à uma culpa crista mesmo. Nao me julguem. Alias, me julguem. 

Quando aconteceu o terremoto no Haiti, em 2010, eu li uma matéria que descrevia a vida das pessoas apos a tragédia. Fiquei com dor no peito lendo sobre as mulheres que eram estupradas. Queria tanto que aquilo acabasse bem! Entao, sabe o que eu fiz? Nada. Meses depois, li matéria parecida e, de novo, fiquei chocada. "Esse povo ainda ta nessa situaçao?! Coitados!". Dessa vez, sabe o que eu fiz? Nada. Nao fiz nada e nunca vou fazer nada. Porque eu sou isso, aih: preguiçosa, acomodada... Fato é que eu percebi, que minha conta bancaria nunca foi tocada pelo MSF. Algum problema aconteceu e eu nunca fui atras para resolvê-lo. 

Ha uns dias recebi uma ligaçao da Unadev (Associaçao Nacional dos cegos e deficientes visuais). A mulher começou a explicar quem eles eram, o que faziam e se eu poderia contribuir com sete euros mensais. Veja bem, sete euros.

- Olha, eu nao posso ajuda-los porque... Err... 
- Senhora, você nao se preocupa com a condiçao dos cegos?
- Nao, assim... Eu até me preocupo, sabe, mas... Err... Eu vou deixar o emprego e (gente, mentira, eu nao vou deixar o emprego porra nenhuma, eu soh queria desligar aquele telefone o mais rapido possivel)... E...
- Você acha que sete euros vao fazer diferença no seu orçamento?
- Nao, mas é que... é que... Nao. Nao acho.
- Entao, você estah disposta a contribuir com a Unadev?
- Tou...


Pronto, soh assim mesmo. Depois da mulher ter sugerido que eu era egoista e murrinha, eu aceitei contribuir com os cegos da França. E eu nao estou com vergonha de estar admitindo que eu sou podrinha, porque sei que 90% das pessoas que me leem agora nao tem atitude muito diferente da minha. Estou certa? Mas eu estou aqui para ajuda-lo, irmao-amigo. Ajudar a ajudar. Vocês ja tem aih o site dos MSF. Você nao gosta de ajudar gente? Tchudjo bem: temos a WWF. Muito clichê? Entao, aqui tem uma lista com outras opçoes que vao dos autistas à moças cristas, passando pelos alcoolicos anônimos. 

Pronto, agora posso dormir melhor essa noite. Ufa. 

(Antes de dar adeus, curiosidades que vao mudar a vida de vocês: um cao-guia leva 10 meses para ser treinado e dez anos para ser aposentado. O custo do treinamento? 20 mil euros. Meus sete euros nao devem nem pagar o potinho da agua). 

::

Detalhe: dias depois, fiz um cartao num cinema daqui onde tenho entrada ilimitada. Preço da adesao: 20€ mensais. E a vida segue.





terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Quanto vale teu vale?

Ontem foi um dia, como eu diria?, especial. Tinha tudo para ser um dia feliz ja que, além de ser aniversario de Camilo, eu iria ver amigos que estavam em Lyon. Mas os efeitos da macumba lançada por algum ser das profundezas terrestres ja começaram a se manisfestar logo pela manha: chegando na casa dos guris para trabalhar, Chefia anuncia que os guris pegaram piolho. Repentinamente, minha cabeça começa a coçar. Ele diz que lavou quase todas as roupas dos guris, os lençois das camas, as capas dos sofas e que eu deveria passar ferro em tudo "rapidamente" para garantir que os possiveis piolhos ninjas que possam ter sobrevivido à lavagem na maquina morram. 

Quando abri o quarto onde as roupas estavam estendidas, tive palpitaçoes e uma leve tontura. Minha gente, pela quantidade de roupas, ele deve ter lavado até as cuecas do vizinho. Nao tinha um soh objeto dentro do quarto que nao tivesse uma toalha, uma calça ou um lençol pendurados. Até os bichos de pelucia foram lavados e deveriam ser passados. Passei roupa nessa tarde até o braço perder o movimento, depois continuei a sessao usando o pé direito. E ainda falta.

Nessa ultima semana, ao sair pra bares com alguns amigos, eu, safadamente, tomei uma cerveja. Duas. Eu tomei algumas cervejas. Abri uma exceçao no regime, tudo em nome da sociabilidade. E, por ser aniversario de Camilo, eu iria novamente fazer o sacrificio incomensuravel de beber algumas cervejas junto a ele e aos amiguinhos citados. Mas pelo cansaço, pela preguiça e pelo peso na consciência por estar sabotando meu regime, desmarquei de ultima hora a saida ao bar. Sorry, folks. 

Ma que porra é essa, Deus? Daqui essa porra.
Mas qual é o décimo primeiro mandamento divino? Aquele que estah registrado la no finalzinho da tabuleta de Moisés? Nao fuleiraras com teus amigos. Resultado: fui castigada. Saih do trabalho e fui encontrar Camilo (que estava perto do bar) para voltarmos para casa juntos. Quando passei meu cartao de transporte, e assim que entrei na estaçao, senti algo na minha mochila. "Meu Deus, minha mochila mexeu. Estas viva, mochila?", questionei. Instintivamente, apalpei a mochila e vi que ela estava aberta. Tive palpitaçoes e uma leve tontura. Olha, eu vou largar essa vida de babah e me registrar na associaçao dos super herois anônimos porque, minha gente, eu pressinto o perigo. 

Abre parênteses.

Quando estive no Brasil da ultima vez, deixei meu passaporte em segurança na casa de um amigo. Nao quis levar para casa dos meus pais, pois o caminho entre o ponto de ônibus e a casa deles era (é.) meio tenso. Somente no dia de voltar para França, eu coloquei o passaporte na bolsa e fui para casa dos meus pais pegar minha mala. E o que foi que aconteceu, amiguinhos? Um xovem rapaz passa por mim numa bicicleta tao tranquilo quanto um passarinho que banha suas plumas na fonte da praça. Ele passou em sentido contrario ao meu e nem mesmo me olhou. Foda foi quando o passarinho se transformou em gaviao, fez meia-volta e tentou raptar minha bolsa. Por que ele nao conseguiu? Porque eu sou cobra criada (ok, parei com a metaforas de merda hihi) e segurei com todas as minhas forças a bolsa que ele tentou puxar. Mas essa é uma outra historia.

Fecha parênteses.

Quando vi que minha bolsa estava aberta, procurei minha carteira e nao encontrei. Olhei em volta, identifiquei o possivel autor do furto e, rapidamente, dei um salto e me pus diante do meliante. Puxei minha espada da bainha, ele fez o mesmo e entao travamos um duelo sangrento. Camilo chorava copiosamente no lenço de seda branco que eu havia ofertado a ele quando do nosso matrimônio. Mas no final, o bem triunfou sobre o mal! A proposito, eu sou o bem, caso vocês tenham ficado na duvida. 

Mas ha uma outra versao sobre essa historia. Quando vi que minha bolsa estava aberta, procurei minha carteira e nao encontrei. Olhei em volta, identifiquei o possivel autor do furto e... E pensei "legal, nao tenho tempo de verificar se a carteira pode estar escondida entre os outros objetos da bolsa, mas também nao posso deixar passar a oportunidade de abordar aquele homem que tem a maior cara de quem ta com minha carteira". Era um cara que parecia vir da Europa do leste. Beijos pro meu preconceito, porque quando abordei o cara, ele tinha minha carteira e a devolveu sem dizer nada. Eu agradeci e disse que "isso era importante pra mim". Happy End. Ou nao.

Este blog acaba de ganhar uma nova tag: vive la souffrancePorque continua.

Chegando em casa, Camilo abre uma garrafa de champanhe, gentil presente dos pais dos guris. Soh que minha criança aniversariante, ao tentar ver a resistência da taça, "eu sempre faço isso...", quebrou o copo e cortou um dedo. Achei que seria mais seguro para todos nohs se aquele dia acabasse logo, entao, fui dormir. 

Como presente, comprei para Camilo ingressos para uma apresentaçao do Cirque du Soleil. Na verdade, o presente foi para mim, porque, posso ser brega?, obrigada, sempre tive esse "sonho" de ver o Cirque du Soleil. Sempre. Sempre que via algum video, eu deixava escorrer uma lagriminha de emoçao. Hihi Entao, pensei, por que comprá-lo, por que não comprá-lo? Comprei-o! Aceite, é de coração, sem o menor interesse... 

Querendo dar outro presente, mas sem ter dinheiro, decidi ofertar algo que eu pudesse fazer de graça. Ui! Resultado: 

Gente, ele nem deu bola pros ingressos, mas adorou o vale. Ofereci dois, na verdade, o outro é um vale massagem, valido para o mesmo periodo. Se algum dia vocês quiserem me oferecer algum desses, eu gostaria de receber o vale dinheiro. 




sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Um post trivial

Semana passada, conclui o estagio intensivo de inglês na faculdade. Se tudo der certo, posso dizer que essa foi minha ultima semana na faculdade como graduanda. O curso, apesar de cansativo, foi interessante. A professora praticamente nao ensinou nada de gramatica, mas nos estimulou bastante para que conversassemos em inglês com os colegas do lado. Claro que ninguém respeitava a regra e todo mundo conversava em francês mesmo. Quando a professora notava, ela reforçava o pedido para que as pessoas falassem em inglês. Toda vez que isso acontecia, tudo o que eu conseguia ouvir ao meu redor, era um dialeto esquisito e incompreensivel: franceses extremamente convencidos de que sabem falar inglês. Eu nao saberia reproduzir a forma deles falarem, mas é mais ou menos assim. Lindo.

O tema do dia era "trivia". Como ninguém sabia do que se tratava, a professora explicou que trivia é uma informaçao... trivial, algo curioso, mas sem importância. "O elefante nao consegue pular", por exemplo. Eu sentei na frente de duas meninas que eram amigas e que falavam pelos cotovelos. Uma delas, além da deficiência no inglês, era, digamos assim, tapada mentalmente lenta. 

- O que é uma trivia?
- Uma informaçao curiosa, mas sem importância.
- ???
- Olha, peguei uns exemplos nesse site e...
- Aaaah, trivia é um site! :D
- Nao. Burra. Trivia é um fato, uma curiosidade insignificante sobre algo ou alguém.
- Ah, entendi! 

Entao, ela se vira pra amiga e diz gritando:

- Tu é uma trivia! Hahahahaha Trivia! Trivia!

Aff.

Quanto mais eu explicava, mais a menina ficava confusa. A amiga dela ja tinha desistido. Buda ja teria dado um tapa. Mas eu sou uma pessoa iluminada, altruista e queria fazer com que ela entendesse o que era uma trivia porque iamos fazer um trabalho juntas porque eu queria que ela voltasse pra casa mais preparada pra continuar o estagio. 

Hora de fazer o trabalho: "pergunte ao seu colega se ele conhece alguma trivia". Ela me perguntou e eu dei o exemplo do elefante. Eu:

- E tu, conhece alguma trivia? 
- Conheço: "as pessoas que bebem café, fumam". 
- Err... eu nao acho que iss... (suspiro). Ah, deixa pra la...
- :D

Como eu sou sortuda, a professora perguntou pra mim um exemplo de trivia. Eu, nervosa, acabei lendo a "trivia" da songa-monga colega e a professora, claro, disse que eu tava errada. Toin! Mas até aih, tudo bem. Tenso mesmo foi quando a gente teve que fazer uma pequena entrevista entre a gente em inglês sobre nossos idolos. Eu, mais uma vez:

- Quem é seu idolo e por que?
- Zhsyeru ggsemgj iss Fulana de Tal badshsa zeahqqb euutt caersshh shtee xaiisetion!
- ...
- ...
- Eh o que, homi?

Aih ela repetiu a frase do mesmo jeito, so que cinco vezes mais alto. No dia seguinte, claro, procurei sentar ao lado de outra pessoa. Encontrei uma argelina bastante simpatica, da minha idade. Na condiçao de estrangeiras, a gente tinha muita coisa em comum e conversamos como se nos conhecessemos ha anos. Quando ela soube que eu era babah, fez um monte de perguntas sobre meu trabalho e perguntou se eu estava interessada em cuidar da filha dela. Como era justamente nos dias em que eu nao trabalho com os guris, disse que, por mim, nao haveria problema. Eu so nao esperava que...

- Tu toma conta de quantas crianças?
- Duas.
- Tu ganha quanto?
- O salario minimo: 7€ por hora.
- Isso da 3,5€ por criança...
- Eh...
- Humm, que legal. Entao, na sexta-feira tudo pode de que horas?

Peraih, oi? Sera que ela ta pensando que eu vou cuidar da filhota dela por três euros e cinquenta centavos por... hora? Nem se eu fosse uma pessoa iluminada e altruista. Mas deixei a conversa seguir para confirmar minha desconfiança sem precisar perguntar diretamente a ela o que ela estava pensando. Mas ela acabou desistindo da ideia quando soube que eu nao poderia cuidar da menina na minha casa. 

Feliz por ter concluido o estagio. 


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A dangerous chin

Sim, ando sumida (alguém notou? alguém?). Fui acometida por uma doença chamada preguiça de viver e meu caso é grave. Na verdade, essa preguiça estah bem restrita ao mundo virtual. Cansei de ler sempre as mesmas noticias, comentadas sempre da mesma forma, sempre pelas mesmas pessoas. Cansei das fofocas, das indiretas, das reclamaçoes (e esta é uma), das obrigaçoes. Entao, ao invés de passar três horas em frente ao twitter lendo merda, decidi fazer algo mais construtivo, como separar as cuecas de Camilo por cores, por exemplo. Brincadeirinha, eu nao fiz isso. Isso eu fiz com as meias. Beijos.

Tenho tentando ver os filmes que eu criminosamente pirateei na internet comprei honestamente nos sites autorizados. Essa semana vi As vinhas da ira (Grapes of Wrath, 1939). O filme trata da historia de uma familia de camponeses atingida pela Depressao que se vê obrigada a deixar suas terras (qualquer semelhança com a atualidade é mera coincidência). Eh aquele tipo de filme cujo alguns dialogos te fazem refletir sobre a realidade. O filme conta paralelamente a historia de Ma Joad, uma velhinha que é subjugada pelo marido e forçada a fazer sexo com ele o tempo todo. 

 Vocês podem imaginar do que ela esta falando

E como vocês faziam amor, Ma Joad?

Taih, minha gente. Um filme sacaninha pra vocês. Mas nao acreditem em nada do que eu falo, é um conselho.

Outro filme legal que vi essa semana foi A dangerous method (sei la como traduziram em português). Gostei dos dialogos (apesar de eu ter deixado escapar metade deles. Esse povo fala rapido demais, humpf), dos atores, das idéias. O filme tem dois atores que me deixam de cabelo em pé: Vincent Cassel: curto tudo o que esse homem faz. Adoro e o acho o feio mais pegavel de todos os tempos - depois de Benicio del Toro, é claro. E Michael Fassbender que veio ao mundo para nos confundir. 

So fiquei um pouco receosa quando vi a Keira Knightley, porque detesto ela do fundo da minha alma. Ela e aquele beiço que ela insiste em deixar pendurado. Mas nesse filme eu descobri que Keira nao tem um queixo, ela tem uma arma de guerra. Gente, nas primeiras cenas, ela tem uns ataques e dai ela faz umas caretas e você pensa que o queixo dela vai sair da tela e furar seu olho. Fiquei assustada. Ela é a versao feminina do Queixo Rubro. Vejam o filme. 



segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

E teremos todo um 2012 pela frente


Três semanas de férias. Luci é feliz. Mas Luci precisa voltar ao trabalho. 

Primeiro dia de trabalho depois que Luci foi feliz:

1. Guri aponta pra minha barriga: "o que é isso que tu tem ai dentro?!" (com aquela cara de OMG!). "Gordura, guri. Gordura".

2. Crazy Creuza, meu vulcao de cocô, esta com gastroenterite. Tirei cocô do pescoço dela hoje. Juro.

3. Guri no banho pega o pinto e confessa: 

- EU VOU CORTAR MEU ZIZI! HAHAHAHA Quer meu zizi?
- Errr… Nao, guri, obrigada.
- Eu frito ele na panela e tu come.

Sem mais.



sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Receitas de sobremesa Dukan - parte II

Como tenho recebido milhares de emails e cartas de todo o Brasil com perguntas sobre o regime, resolvi escrever esse post para responder algumas delas. Selecionei duas perguntas (na verdade, eu so recebi duas perguntas) de leitoras queridas.

Uma é da leitora Mrs. Lopes que mora em Curitiba (eu acho). Ela pergunta: "Luci, puta que pariu, nao pode comer queijo durante a dieta?" Pelo menos nao aqueles que estamos acostumados a comer (requeijao, mussarela etc). Mas olha soh a quantidade de queijos permitidos:

Todos os queijos à 0%

Exemplos:
Tartare 0% ail et fines herbes
Chavroux 0%
Carré frais 0%
Saint Moret 0%
Camembert 0%
Gruyère light
Faisselle 0%

Na segunda fase: somente 30g de queijo sao tolerados por dia e contendo somente até 6.5% de gordura:

Cancoillotte nature/à l’ail: 4 à 6.5%
Brousse allégée à 4%
Bridelight à 2%
Cœur de Lion pauvre à 2%
Fine bouche ultra léger à 3%
Nature à tartiner allégé (Leader Price) à 6%

Na terceira fase, a de consolidaçao, você poderah consumir 40g por dia - sao os queijos mais ricos em proteina:

Cantal
Cheddar
Comté
Edam
Emmental
Gouda
Gruyère
Mimolette
Morbier
Parmesan
Port salut
Pyrénées
Reblochon
St Nectaire
St Paulin
Tomme de Savoie
Vache qui rit

Em relaçao aos queijos magros à 30%, o consumo poderah subir à 50g; 55g para os queijos à 20%; queijos à 10% podem ser consumidos numa quantidade de até 60g por dia.

(Fonte: queijos na dieta Dukan)

A segunda pergunta vem de uma alcoolatra gaucha que se chama Helena. Helena pergunta: "Luci, minha mae resolveu tentar essa dieta, mas ela é louca por vinho, toma todos os dias (minha mae, sei). Depois que termina a dieta, dá para voltar a tomar, né?"

Durante as duas primeiras fases do regime, o vinho so pode ser usado como ingrediente para cozinhar (3 colheres de sopa). Na terceira fase, o sofredor tera direito a uma refeiçao completa por semana que incluira entrada, sobremesa e uma taça de vinho. Eh a sua chance. Quer dizer, a chance da sua mae.

Tem um site otimo sobre a dieta, mas que estah em francês. Além dos foruns que ajudam a responder às perguntas de quem esta fazendo a dieta, ha uma lista dos alimentos permitidos e proibidos durante o regime.

http://www.dukanaute.com/ 

Para quem estah pensando em começar essa dieta, é o seguinte: tenha em mente que essa dieta nao é como as outras, onde você pode simplesmente abrir uma exceçao comendo essa ou aquela sobremesa malandra na festinha do seu filho. Se a festinha do seu filho ou o batizado da sua sobrinha for daqui a dois meses, recomendo fortemente que você comece a dieta depois dessa data. Porque, camarada, é dificil seguir essa dieta em meio a festas e jantares. E, uma vez que você decidiu fazer a dieta, você tem que segui-la até o fim, porque o objetivo dela nao é somente a perda de peso, o mérito dela estah no fato de manter o peso perdido e, para isso, você tem que seguir todas as etapas do regime. Tenha em mente também que você tera que passar meses sem consumir nada além de carne, ovos e algumas verduras. Serao meses sem alcool, macarrao, chocolate, pizza, feijao, sorvete, biscoito, pao, frutas... Ta disposto?

Tenho encontrado pessoas que fizeram a dieta aqui na França (a prima de Camilo que distribuiu as raspadinhas na festa de Natal e seu marido, por exemplo) e o que me dizem é sempre o mesmo: "nao deu certo", "abandonei" ou "engordei os quilos que havia perdido". Claro: a menor colherzinha de açucar em meio a uma dieta de proteina vai acabar com todo o esforço feito até o momento. Por isso, eu ainda nao comemoro os quilos perdidos: ainda tenho muito chao pela frente.

Mas agora, mais receitas de sobremesa da Dieta e um conselho: adaptar ao seu gosto o uso do adoçante. Aqui, eu coloco a referência que o livro me dah, mas as quantidades variam de uma marca de adoçante para outra. Melhor que o cozinheiro meça por si proprio o produto de acordo com seu gosto. 

Muffins


Para seis pessoas - Preparo: 10 min - Cozimento: 30 min
Fase PP - PL

4 ovos
12 col. de sopa de farelo de aveia
4 col. de sopa de queijo fresco com 0% de gordura
1 col. de sopa de adoçante
1/2 pacote de fermento

Adicionar sabor: 
raspas de limao ou
1 col. de café de canela ou
1 col. de sopa de café ou
4 col. de café de cacao sem açucar/gordura ou
arôma de pistache ou
arôma de laranja etc. 

- Aquecer o forno à 180°.
- Separar as claras das gemas dos 4 ovos.
- Bater as claras em neve.
- Misturar os outros ingredientes: as gemas, o farelo de aveia, o queijo fresco, o fermento, o adoçante. Em seguida, juntar a mistura às claras batidas. Adicionar o sabor de sua escolha.
- Colocar a mistura numa forma para muffins e leva-la ao forno de 20 à 30 min. 

(Eu fiz essa receita usando o cacao e deu certo. Gloria à deus).



Fondant de chocolate


Para quatro pessoas - Preparo: 10 min - Cozimento: 6 à 12 min de acordo com o forno
Fase PP - PL

3 ovos
3 col. de sopa de maizena
3 petits-suisses com 0% de gordura
3 col. de café de cacao sem gordura/açucar
1 col. e 1/2 de adoçante liquido
1 col. de café de fermento

- Bater todos os ingredientes e colocar numa forma com tampa que possa ir ao microondas durante 6 min, em potência maxima. Você pode também utilizar o forno comum (usando a forma sem tampa), de 10 à 12 min.
- Uma vez terminado o cozimento, retire o prato do forno e coloque o fondant durante alguns minutos numa folha de papel absorvente.  


Mousse chocolate-menta


Para quatro pessoas - Preparo: 20 min - Refrigeraçao: 2h, no minimo
Fase PP - PL

4 ovos
8 col. de sopa de queijo fresco com 0% de gordura
4 col. de café de cacao sem açucar/gordura
4 col. de sopa de leite desnatado em po
1 col. de arôma de menta
4 col. de café de adoçante
4 folhas de menta

- Separe as claras das gemas.
- Misture as gemas com o queijo fresco, o cacao, o leite, o arôma de menta e o adoçante.
- Bata as claras em neve, adicione uma pitada de sal e misture tudo à massa.
- Coloque a massa em quatro copos e os enfeite com as folhas de menta.
- Leve os copos à geladeira durante 2h antes de servir. 


Mousse Bela-Helena com tofu macio


Para quatro pessoas - Preparo: 15 min - Refrigeraçao: 3h, no minimo
Fase PP - PL

300g de tofu macio
8 carrés frais com 0% de gordura
4 folhas de gelatina
2 col. de café de arôma de pêra
4 col. de café de cacao sem açucar/gordura
500ml de leite desnatado
6 sticks de adoçante com baunilha

- Coloque as folhas de gelatina num recipiente com agua fria.
- No recipiente da batedeira, coloque o tofu, os cubos de carrés frais, o arôma, o cacao e 4/5 do leite. Misture tudo até obter uma massa unica.
- Aqueça o que sobrou do leite numa pequena caçarola com as folhas de gelatina (previamente escorridas). Coloque os leite com a gelatina dentro do recipiente da batedeira junto com o adoçante e bata novamente.
- Coloque a mistura em quatro copinhos e os leve à geladeira durante 3h, no minimo.



segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Espalhando fluidos ou o primeiro post de 2012

Antes de tudo: feliz 2012, leitores queridos do meu coraçao! Queria agradecer todas as mensagens desejentas de amor, paz e saude que vocês deixaram, mas da proxima vez, desejem dinheiro. Obrigada.

Nesse exato momento, Camiloulou e eu estamos em Roma. Resolvemos passar o Reveillon aqui. Ta sendo bem legal, tudo é muito curioso. Assim que chegamos, fomos ao supermercado. Vimos alguns gladiadores fazendo compras, tinha alguns imperadores levando seus cachorros pra passear... Também ja visitamos alguns monumentos importantes, mas ainda falta muito pra ver.

Demos muita sorte e ficaremos alguns dias no apartamento de uma amiga de Camilo. O apartamento, nesse momento, esta vazio, mas na noite em que chegamos (30/dez), uma das colocs da amiga de Camilo estava aqui. O quarto da amiga de Camilo é super legal, mas a porta é meio problematica. Eh uma porta de correr de madeira bem pesada que emperra o tempo todo e faz o maior barulho quando mexemos nela, o que me garantiu um certo problema: como a dieta exige que eu beba, no minimo, 1,5l de agua por dia, vivo visitando o banheiro de madrugada. 

Primeira ida ao banheiro da madrugada: levanto da cama completamente desnorteada, tento abrir a porta do quarto pra sair, mas tudo o que consigo é fazer com que ela ranja violentamente. Com medo de acordar a coloc da amiga de Camilo, resolvi tentar sair pelo pequeno espaço aberto. Fiquei de lado, sequei a barriga, parei de respirar e, enquanto passava, coloquei a lingua pra fora num movimento involuntario e acabei lambendo o vao da porta. Olha, sei nao. O importante é que eu consegui sair do quarto e que agora eu conheço o gosto do imobiliario romano. 

Mijei e voltei pro quarto (na volta, guardei bem a lingua na boca).

Até os 26 anos, eu espero
Segunda ida ao banheiro da madrugada: nao houve, mijei na cama mesmo. "Nao, Luci, você so pode estar brincando. De novo?! Você nao tem vergonha nao?". Vergonha eu tenho, o que eu nao tenho é controle sobre essa bexiga. Ha dois anos, foi na cama do cunhado. Tou começando a achar que minha uretra tem algum problema pessoal contra mim. Uretra, querida, a gente poderia resolver nossas diferenças de outra maneira. O que você acha? Porque é meio deprimente saber que a criança de dois anos e meio que eu cuido mija menos na cama do que eu.

Na verdade, pra minha sorte (ou pra sorte da dona da cama, nao sei), eu consegui levantar antes de despejar o xixi na cama e a grossa calça que eu usava pra dormir absorveu tudo. Daih que foi super legal lavar calça mijada as 5h da manha. Entao, no dia em que eu for dormir na casa de vocês (se é que alguém vai querer, diante do meu historico), podem providenciar lençois e fraldas. Pampers é moh legal. A medida é + 26, se liguem. 

E foi assim, em grande estilo, que me despedi de 2011.
2012: veinimim!


Talvez

Related Posts with Thumbnails