sexta-feira, 19 de abril de 2013

47 coisas sobre a França que nao vao mudar sua vida



Depois do post do francês que escreveu algumas verdades sobre o Brasil, pipocaram brasileiros que vivem ou viveram na França fazendo o mesmo. Teve até uma versão gay da coisa rolando. Eu, que sigo o curso do rio, achei por bem fazer algo semelhante – vale lembrar que me apoiei em comentários ou posts de amigos e ainda dos posts supracitados. A única “originalidade” aqui vem da maneira de contar o que eu vejo/vivo na França.

1. Aqui impera o self-service : nao ha frentista, nao ha porteiro nos prédios ou empacotador nos supermercados. Ha poucas pessoas para explorar*.

2. Aqui, o salario minimo garante uma vida decente. Ganhei mais como faxineira na França do que como jamais ganharei como historiadora no Brasil. Ou historiadora na França. Ou historiadora em qualquer lugar.

3. Na França, as carteiras de identidade tem validade - como se a gente deixasse de ser a gente depois de um certo tempo. O bizarro é que o mesmo nao vale para as carteiras de motoristas, que sao vitalícias. Por isso, é comum ver velhinhos caquéticos, com uma mao no volante e outra na mascara de oxigênio.

4. Eh complexo começar uma relaçao amorosa aqui: no Brasil, você pode ser ficante de alguém durante meses até que um decida elevar a relaçao ao status de namoro. Na França, você é automaticamente namorado de alguém desde o momento em que você o beija – a nao ser, claro, que a coisa se passe numa boate, festa etc. Nesse caso, funciona-se ao contrario : melhor deixar claro desde o inicio que aquilo eh soh uma ficada – coisa que, para os brasileiros é complicado ja que "rolo" e "ficante" sao termos inexistentes por estas bandas.

5. Na mesa, o pao é rei. Ele compoe as refeiçoes de 10 entre 10 franceses, de manha, de tarde e de noite e tem multi funcoes : serve para limpar o prato depois das refeiçoes, auxilia a pessoa na hora de colocar a comida no garfo e, as vezes, é utilizado como comida mesmo.

6. Uma refeiçao festiva na França pode começar no final da manha e se estender durante toda a tarde e entrar pela madrugada. Começa com os petiscos, depois passa-se à entrada (duas ou três), em seguida, ao prato principal (quatro ou cinco); depois, come-se a salada (uns dez quilos). Quando você nao aguenta mais pensar em comida, os queijos aparecem na mesa. Finalmente, quando as lagrimas aparecem no seu rosto e a barriga incha, as sobremesas surgem. Eh por isso que o ultimo shot, logo apos as refeicoes, é chamado de vomitivo.

7.  Como normalmente, vivemos seis meses de frio e seis meses de verao, os primeiros raios solares do ano sao realmente bem aproveitados. O francês, quando vê sol, sai correndo ensandecidamente de onde quer que ele esteja e se joga em algum pedaço de grama e fica la todo aberto, feito uma lagartixa, com as calças dobradas e as mangas ajustadas para que o corpo possa aproveitar o maximo possivel daquele sol frio – aqui se diz que um dia ta bonito quando se faz sol, mesmo que faça o termômetro beire os zero graus. Achei que tivesse entendido o porquê disso apos cinco verões. Mas foi apos cinco invernos mesmo.

(esqueci quem tirou essa foto)

8. Os franceses fumam muito. Eh sabido que as mães francesas oferecem mamadeiras de tabaco para seus bebês.

9. Na franca, as pessoas pedem desculpa quando espirram.

10. Mas, bizarramente, elas assoam o nariz como se estivessem tentando expulsar os pulmões pelas narinas e, no entanto, acham o barulho que isso provoca a coisa mais normal do mundo.

11. Todo francês, independente de sexo ou idade, leva um pacote de lenço de papel no bolso.  E uma carteira de cigarro.

12. Entrando nos clichês, aqui, educaçao e gentileza nem sempre andam juntas. Eles dizem « excusez-moi » quando querem dividir o banco da praça com você, dizem « pardon » quando te triscam no metrô, dizem « bonjour » quando entram no elevador, mas dar todos esses sinais de « educaçao » sem enfeita-lo com um sorriso é bem mais do que normal. Eh esperado. Eh o que me leva ao ponto nove.

13.  Francês é bicho sincero. Franco mesmo. Ele nao leva desaforo pra casa, ele diz exatamente o que pensa (talvez nao em relacao aos seus preconceitos, mas qual é o povo que os admite?). Por isso, tive o prazer aqui de conhecer as pessoas mais sinceras da minha vida e de também escutar as verdades mais desagradaveis.

14. As mulheres curtem um top less, mas o biquini brasileiro nao tem lugar aqui, é muito ousado. A parte de baixo do biquini das francesas é grande e pode virar, dependendo da necessidade do momento, um lençol. Tenho certeza de que as francesas tem dois peitos, mas ainda aguardo sinais da existência das nadegas delas.

15. Dizem que o esporte nacional da França é a bicicleta, mas estou convencida de que é a reclamaçao. Eles reclamam quando estah ruim, eles reclamam quando estah bom, eles reclamam quando estah. Depois de alguma reclamaçao, eles enfeitam a frase com um barulho nao encontrado em qualquer outro povo ou civilizacao ja existente (observaçao de Gad Elmaleh). Trata-se de um PPPPFFFFF que, independente de qualquer frase, indica uma extrema insatisfaçao do seu interlocutor. “Vai ter sol hoje”, PFFFFF. “Vai chover” PPPFFFFF. “Vai fa...” PPPFFFF. “Mas eu nem term...” PFFFF. “Mas...” PFFFFFFFF. “Ma...” PPPPFFFF  PPFFF  PFFFFFF.

16. O "uh lala" dos franceses tem diversas versoes. Para situaçoes mais simples, como um sustinho, eles dizem "uh la !". Para uma noticia horrivel, como uma previsao de tempo para dia ruim, eles dizem "uh la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la la". A duraçao do "la la" eh diretamente proporcional ao descontentamento do camarada. Pode durar dias.

17. No Brasil, falamos do tempo quando encontramos com alguém no elevador para evitar o constrangimento do silêncio. Aqui não. A previsão do tempo é um assunto abordado de maneira proposital! O único assunto que o francês evoca em qualquer parte, com qualquer pessoa, em qualquer ocasião. 

18. Adultos engravatados vao de patinete ao trabalho.

19. Você conhece a densidade demográfica de uma cidade observando o fluxo de pessoas nas saídas do metro. Se você subir em um metrô contra sua vontade ou sair antecipadamente de um metrô que o levaria ao seu destino devido à multidão que entra ou sai dele, você estah em Paris.

20. A ideia de distância do francês é distorcida:
- Tal cidade é longe daqui?
-  Muito longe!
- Quantas horas de viagem?
- Duas.

21. As vezes fico em duvida se um cara aqui é gay ou se ele é soh francês**

22. Aqui em Lyon, os bares costumam fechar à 1h da manha. No domingo, não ha comercio aberto e, durante a semana, muitas lojas abrem as 10h e fecham às 19h.

23. O calendário escolar começa em setembro, então, se alguém disser que “no próximo ano” vai fazer tal coisa, ele esta, na verdade, querendo dizer que, a partir de setembro, ele vai fazer algo.

24. Agosto estah para os franceses como o carnaval estah para os brasileiros: nada funciona. E pior que isso, praticamente toda a população francesa viaja nessa época. Quem ta no norte vai pro sul, quem ta no sul... continua no sul. Eh o lugar do sol, do céu e do sal.

25. Aqui todo mundo se exercita. Os homens sao deliciosos e as mulheres sao gostosas. Até no churrasco francês ha uma boa quantidade de salada envolvida.

26. A carne muito bem passada da França é vermelhona, faz muh e da leite. A carne mal passada aqui se chama “bleu” – azul.

27. Francês é altamente burocrático. Com os funcionarios publicos, você tem que ter senha para pegar a senha.

28. Os jovens saem de casa aos 18 anos mesmo que sua universidade se encontre na mesma cidade de seus pais. Isso é possível graças a um infindável numero de bolsas garantidas pelo Governo. E pais cansados.

29. Graças ao numero anterior, é possível se casar com homens que sabem preparar até javali.

30. Numeros de telefone aqui sao compostos por dez números. Decorei o meu no ano passado quando me inscrevi numa promoção e tive que escreve-lo 45 vezes. Não ganhei a promoção, mas aprendi meu numero.

31. Falar na França exige o domínio do francês e um pouco de matemática. 70 = 60 + 10; 80 = 4 x 20; 90 = 4 x 20 + 10. Ou seja, um numero de telefone pode sair de um 06.84.78.99.91 para um (06) + (4 x 20 + 4) + (60 + 18) + (4 x 20 + 19) + (4 x 20 + 11). Quatro anos de França e eu ainda tenho que olhar os números inscritos no caixa na hora de pagar minha feira no supermercado (e embalar sozinha).

32. Nos shows, o publico canta “seven nation army”, como uma maneira de animar o ambiente fazendo “paaaam pam pam pam pam paaaam! paaaam pam pam pam pam pam pam pam paaaam”. Toda-vez com todo-publico. O “toca Raul” deles é isso.

33. As pessoas aqui não se abraçam. Ja vi melhores amigos dando aperto de mao para felicitar o aniversariante.

34. A única coisa salgada no café da manha francês é a manteiga.

35. Um punhado de folha com uma pataca de purê sem sal pode consistir perfeitamente em uma refeição francesa. Eh pecado passível de pena de morte colocar feijão e macarrão no mesmo prato.

36. Durante as refeições, eles bebem agua – que sao servidas obrigatória e gratuitamente em uma garrafa nos restaurantes. Junto com um cestinho de pao. E um pacote de cigarro. 

37. Uma frase de texto acadêmico francês começa pelo fim, é preenchido de informações (muitas vezes) inúteis e termina pelo começo. A simples frase “O câncer de pulmão, muito comum entre os brasileiros, pode ser provocado pelo fumo” pode se tornar: “Provocado pelo fumo, o câncer, doença de pulmão (português brasileiro) ou cancro do pulmão (português europeu), caracterizada pelo crescimento celular descontrolado em tecidos do pulmão que, se não for tratado, pode se espalhar para fora do pulmão por um processo chamado de metástase, acometendo órgãos adjacentes e, eventualmente, se disseminando para outras partes do corpo, é muito comum entre os brasileiros”. 

38. Com exceção da parte do boxe, não existe ralos nos banheiros.

39. Não existe lavanderias nas casas – lava-se tênis na pia da cozinha ou do banheiro. Alias, não lava-se tênis aqui.

40. Existe cinco farmácias pra cada cidadão francês.

41. Eles não tem números nas portas dos apartamentos e sim os sobrenomes dos moradores.

42. Eh difícil fazer amizade com um francês ou de ter uma conversa intima no primeiro encontro, mas uma vez que a primeira barreira eh transposta, pode esperar ter um amiguinho em quem confiar.

43. 90% de uma verdadeira festa francesa termina em musicas dos anos 80 cantadas em coro por velhos, adultos e crianças.

44. Mulheres podem tomar a iniciativa na hora de dar em cima de um cara, mas serão julgadas por isso.

45. Quando eu falo, as pessoas simpáticas (e ignorantes) respondem em espanhol. 

46. Os franceses tem muitas vezes três nomes e somente um sobrenome. E muitos dos nomes tem referentes à nomes de velhos no Brasil. Conheço Timoteos, Sebastioes, Leopoldos. 

47. Como a prestaçao de serviço custa caro aqui, as pessoas costumam reformar suas casas ou repara-las sozinhas. Isso se chama bricolage e ha lojas gigantes destinadas aos bricoleurs.



* espero que vocês nao acreditem nisso. Foi soh licença poética.

* * no Brasil, parece que é melhor ter um filho psicopata que um filho gay. Fico feliz de ver que aqui os homens se esprimem como querem sem ter medo de que duvidem de sua sexualidade, mas ainda tenho reflexos dos tempos do Brasil. 

25 comentários:

Amanda disse...

Muito bom! \o/
Mas discordo de alguns, tipo o 33, o do abraço. Pô, os homens se beijam no rosto! Aqui no Brasil, adivinha, é coisa de gay.

disse...

morrendo com o 15! hahahahaahahahahahahahahah

Palavras Vagabundas disse...

Descobri o 38 da pior maneira possível inundando um banheiro. Foi sem querer e quase inundo o quarto do hotel, me salvou toalhas e lençois.
bjs
Jussara

Aline Mariane disse...

adorei!!!
principalmente o 32, hahaha

Maíra disse...

Morri de rir! Animou muito parte da minha viagem ao trabalho.
As similaridades com os holandeses são gritantes, com exceção do cigarro; qdo cheguei aqui era igual, mas a coisa mudou muito em 8 anos.
Falando em holandeses, ainda estou esperando uma visita sua!
Beijos!

Camila disse...

Adorei o texto e vi que franceses e alemães têm várias coisas em comum... ;-)

Iara disse...

Eu passei a adotar o 11 depois que morei aí. E olha, os benditos lenços já salvaram a minha dignidadee e a de amigas em vário banheiros mundo afora. Não saio mais sem eles. :P

disse...

Adorei Luci! Enfim um post divertido e sem clichês preconceituosos. Quanto ao ponto 10, ja' reparei que a grande falta de educação aqui é ficar fungando. Por isso eles assoam o nariz para sair logo todos os orgaos e assim parar de fungar. :)

Eliana disse...

Oh 3 é tudo hahaha Realmente bate muito com os holandeses também de uma forma geral. Estivemos na casa de um francês recentemente e os pontos 5,6,15 e 16 batem direitinho hahahahahah

caso.me.esqueçam disse...

amanda: perai, eles não se abraçam não! mas concordo, eles dao beijos no rosto, mas se abraçar que eh bom, nada. quero dizer, quando um brasileiro vê um amigo, ele o abraça. aqui, as pessoas se cumprimentam com dois beijinhos. e importante: os beijinhos dos franceses começa pela face esquerda!

adelia: camilo tinha me dito a mesma coisa! hehehe mas por falar em preconceito, fiquei meio com medo de postar o 21 e de ser mal interpretada, mas ainda bem que, ate aqui, não houve problemas…

aline: neh? hahahah geraaal!

mairadas: ixi, quando eu tiver dinheiro, farei, mas agora, prester a perder o emprego, ta dificil :/

Maite disse...

Muito bom, Luci!!!!!
Aêeeee, que bom que você ouviu nossas ~preces~ e escreveu. Não paaara, vai. Tão bom!
Não posso nem citar um número preferido. Pode ser todos?
Ahhh, mas quanto os números de telefone, não são 8 mas DEZ! E também levei uns dois anos pra memorizar o meu.
;)
Um beijão!!!

Iara disse...

Mais um comentário: aqui são 11 dígitos no telefone. CADÊ SEU DEUS AGORA?

Paula Marques disse...

o self-service reina, menos em restaurantes.. :(

Amanda disse...

Voltei! Ontem estava com pressa :)
Então, a sua lista da pra perceber várias diferenças entre Lyon-Paris e JP-Rio, muito engraçado! Cheri disse que eles beijam mais em Paris que no sul da França e em Paris começam pelo lado direito, o que no sul me causou quase vários beijos na boca. No Rio, pelo jeito, tem mais farmárcias que em JP. Nossa, aqui tem umas três por esquina, tanto quanto na França, e cada uma de uma marca diferente, não é padronizada.

Tbm não me conformo com esse lance da carteira de motorista ser vitalícia! Fica os ceguinho tudo lá no meio do trânsito!

Morri de rir com o pão e as comidas em geral! E jura que as mulheres são julgadas por darem o primeiro passo? O_o

Enfim, tudo muito engraçado, adorei!! <3

Rita disse...

Eu me surpreendi com o 44. E não entendi o 45. Mas adorei e morri de rir com o post. Adoro os engravatados de patinete. Adoro todo mundo de patinete.

bj!


caso.me.esqueçam disse...

valeu, maiti! vou corrigir!

rita: as pessoas tenta ser simpaticas: quando veem que nao sou daqui, tentam falar algo na minha lingua. o problema eh que elas pensam que no brasil falamos espanhol...

e acho que peguei pesado nessa coisa da mulher ser julgada por tomar a iniciativa. nao eh ser julgada. ja ouvi "nao quero porque foi voce quem tomou a iniciativa" (!!!) (tipo, nao quer comer, meu filho, tudo bem, mas nao precisa ficar inventando desculpa). e o outro me disse (quando a gente tava junto) que nao eh esperado (ou foi comum?) que a mulher tome a iniciativa. ou seja, se fosse normal essa porra, nao teriamos tido esses tipos de conversa.

Rebeca disse...

Achei teu blog por acaso e adorei tuas impressões sobre a França. Estou na França ha 4 anos, morei em Lyon também e hoje estou em Paris.

Continuei lendo outros posts seus, até descobrir que você também é paraibana. Você é de que cidade? Vou ficar lendo teu blog, acho muito legal a maneira que você escreve, muito engraçado os posts.


Bj!!

Débs disse...

muito bom, morri ! esqueceu de falar que aqui cerveja e refrigerante a gente bebe em temperatura ambiente, e que dependendo da região damos um beijo ou quatro (e eu nunca sei quntos eu devo fazer :| ).

Natalia Itabayana disse...

Ja incorporei o PFFFF e ou la lalalalala, e não saio de casa sem olhar previsão do tempo - por aqui não podemos dar bobeira e sermos pegos desprevenidos quando senhor mistral decide descer dos alpes. Aos adultos engravatados eu ainda acrescentaria as mulheres de salto e saia que vão de patinete pra todo canto também!

Ri muito com suas observações, e até hoje não entendo porque eles acham uma caminhada de 2km até a universidade longa, sendo que correm não sei quantos kilômetros na hora do almoço. Mas enfim, me divirto por aqui :)

Meu Ninho de Mafagafos disse...

Nossasinhora, o negócio do 31 é tenso - foi aí que eu percebi que nunca vou conseguir falar francês - ao menos com francês. Eles nunca têm paciência de esperar sua conta mental antes de falar (comigo, nunca tinham paciência de esperar qualquer coisa que eu tentasse falar, já queriam adivinhar), então eu acabava mostrando nos dedos :P
Minha professora me disse que esse lance depende da região francófona, e tem lugares com o lindo "noventa que não é 80 + 10" e assim vai, tipo a Suíça. Fácil, só mudar pra Suíça, eeee
Beijão!

Pris Kane disse...

hauhauhaua muito bom, morri de rir.. Essa falta de lavanderia me mata, me irrita, OMG. Tenho que ficar abaixada dentro do box pra lavar um tenis.. Por que eles nao pensam em botar um tanque dentro do banheiro, seria mais pratico =)

Ps: Essa historia do Pfff eh bem verdade, e imagine, estou pegando essa doença sem me dar conta... Meu marido faz tanto barulho com a boca, que to igual hahaha...
Uh lala la lalalala... MORRI! C'EST bizarre, quoi...

Faltou falar de todo quoi e voilà ao final de cada frase... Aiii como sao doidos, quoi hahaha..




Pris Kane disse...

Ah, quanto as contagens.... 9 meses aqui, e ainda sou lerda na matematica hahaha... Dureza!!!

Richard Courmayeur disse...

Adorei!

Nina Sena disse...

ahaha, mt bom texto! To impressionada como o francês é tao absolutamente igual em quase tudo, com o alemao! Tudo igual!!! Tudo!

Nina Sena disse...

ahh com excecao do 33, aqui as pessoas se abracam, e nunca dao beijinhos...

Talvez

Related Posts with Thumbnails