terça-feira, 11 de agosto de 2009

Chique é saber se expressar

Antes de escrever sobre a tal festa que citei no post passado, um pouco dos ultimos acontecimentos no curso de francês.

Na quinta passada, eu tive a segunda aula e a surpresa de recebermos novos alunos na sala. Sete novos alunos. Sete novos alunos... japoneses. Naquele momento éramos uma mexicana, uma brasileira, um chileno e 765 japoneses. Essa aula conseguiu ser ainda mais agoniante que a primeira porque tive a certeza de estar no grupo errado. O nivel do francês era o ideal pra mim, mas o nivel da turma me preocupava porque os professores tinham de ensinar aos alunos coisas obvias (pra mim), como a diferença de pronuncia entre o T e o D.

Eis que surgiu alguém com bom senso dentro daquela universidade e formou um oitavo grupo de retardados, quer dizer, de iniciantes, e eu, ainda bem, fui mandada para esse oitavo grupo. Iêi! Nessa nova turma a maioria dos alunos também é de japoneses. Também ha uma mexicana e também ha um iraquiano, o filho do casal da primeira turma (iraquiano, não iraniano, como eu disse no post retrasado. Valeu, Amanda!). Mas o ritmo é bem melhor, o que faz com que eu viaje nas aulas muitas vezes. Mas eu prefiro assim.

Ainda não tenho nenhuma amiguinha ou amiguinho feliz e ja desisti de fazer amizade: percebi pelas conversas (sondagens) que os japoneses vieram à Lyon somente para esse unico mês de curso e, como não existe outra etnia dentro do curso...

Gosto dos japoneses. Eles sempre estão tentando puxar assunto. Hoje uma das meninas perguntou porque eu tinha um capacete de bicicleta (me perguntei se existia capacete no Japão, depois achei que ela estivesse desesperada pra puxar um assunto, depois respondi, finalmente). "Porque eu tenho uma bicicleta". Vocês precisavam ver a felicidade da figura diante da minha resposta. Ela abriu um sorriso enorme, logo depois de um sonoro "aaaaaaaaahhh". So faltou bater palminha. Uma outra la, quando soube que eu era casada com um francês, fez uma careta que poderia ser traduzida num "que chique!" e começou a rir tresloucadamente. Os japoneses são muito expressivos.

Mesmo sabendo que se trata de uma relação sem futuro, eu gostaria de poder me comunicar decentemente com algum deles. Mas eu nunca entendo o que eles falam! Seja em que lingua for. Quando pergunto se sabem falar inglês, respondem orgulhosos que sim. Então, continuo:

- Ah, ok! So... How long are you staying in Lyon?
- Oôôô... Ajaga jiga buga mora! :D
- Humm... I see. Err, and where did you come from?*
- Araka tufa! :D

Eu digo que entendi mesmo sem entender, porque eu fico com vergonha de dizer mais de sete vezes que eu não entendi. A japonesa do suposto "que chique" fez uma pergunta e eu disse que sim. Ai ela fez uma cara esquisita e eu disse "desculpa, repete". Mongol.

Bom, em breve, cenas dos proximos capitulos.

*eu falo o que eu sei falar, não o que eu quero saber

3 comentários:

Amanda disse...

Ahahahaha! A gente regride (?)mesmo, né? Mas daqui a pouco vc vai estar falando melhor, dai ja vai dar pra ter um minimo de conversação, mesmo com os japoneses!

Quando estudei inglês com eles, minha melhor amiga passou a ser uma japonesa e detalhe: a gente não conseguia se comunicar! Dai a gente ria disso e pronto. Mas ficamos inseparaveis. So não me pergunte detalhes da vida dela pq eu não sei. Hoje quando a gente se encontra no msn a situação é a mesma, ja que ela não teve tempo suficiente de aprender bem o ingles, dai tudo o que ela me diz é I miss you so much!! Uma fofa!! I miss her too!

psique disse...

pq tu nao aprende japones?

p.s. araka tufa! parece q vão gravar "O Chamado 3" lá.

Sardenta disse...

é sério, eu queria muito te ver nessas aulas, tipo, filmar sabe?

Talvez

Related Posts with Thumbnails