segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O pulo do gato

Estah indo dar um susto na faxineira...

Gosto de observar as peculiaridades de cada casa na qual eu faxino. Os minutos que antecedem minha entrada numa nova casa são cheios de expectativa. Quem eu vou encontrar? Sera que eu vou entender o francês da madame? Sera que ela vai entender o meu francês? Sera que eu vou trabalhar feito uma vaca? Sera que a casa é desarrumada?

Eh mesmo uma vida emocionante.

Mas essa ultima pergunta não é obvia. Você pode concluir: se alguém esta contratando uma faxineira, significa que sua casa esta desarrumada. Pois bem, leitor, nem sempre. As vezes eu entro em casas em que não ha um soh rastro de poh. Acredite, são as piores: evidenciam que a dona da casa é extremamente zelosa e que espera que você deixe a casa ainda mais limpa do que ela se encontra. São as casas em que eu arrumo os shampoos por ordem de tamanho. Hoje, por exemplo, fiz minha primeira faxina na casa de mme Le Gal (tentei fazer alguma piada: não soube). Entrei na casa e encontrei tudo arrumado, pensei até em dar meia volta e ligar pra mulher pra dar conselhos a ela de como investir melhor seu dinheiro. Mas daih vi um gato na casa. Meus queridos, gatos na casa das madames significam duas coisas pra mim: pêlos por todo lado e sustos. Muitos.

Ha dois meses, fiz uma faxina na casa de um cara que tinha um gato preto. A casa era meio bizarra. Era escura e tinha uns machados e espadas penduradas nas paredes, entre outras coisas, que não vem ao caso. Então, eu decido passar o aspirador debaixo do sofa, onde o gato, não sabia eu, descansava. Eu não poderia imaginar que um gato poderia pular tão alto. Eu não poderia imaginar que eu poderia pular tão alto. Eu fiquei paralisada, com o aspirador ligado VRRRUUUMM! e meu coração batendo mais alto. Depois, decido ir ao segundo andar. Entro num quarto escuro, cheio de tralha e procuro o interruptor. De repente, do meio da escuridão, o segundo pulo do gato. E, mais uma vez, eu, prestes a cagar na calças de tanto susto. Eh daquela situação em que você ri e chama palavrão ao mesmo tempo.

Então, quando encontrei o gato na casa de hoje, lembrei do gato preto e procurei tomar cuidado. Uma hora depois, ja tinha esquecido da porra do gato e, quando meti o aspirador debaixo da cama, o gato tentou correr, mas deu de cara com meus pés. E ai, o gato e eu ficamos sambando, sem saber o que fazer. Foi horrivel. Mas horrivel mesmo é saber que sujeira de pêlo de gato é eterna: você limpa e ela retorna três segundos depois. Um verdadeiro pesadelo.

Eh muito feio o que eu vou admitir agora, mas... eu odeio gatos. Pronto, falei. Quer dizer, odiar é uma palavra muito forte. Na verdade, eu os repudio. Os que gostam de gatos os defendem com a historia batida de que eles são animais independentes, que não são carentes feitos os cachorros. Ora, se eu quisesse um animal que não dependesse de mim, eu não teria um. Eh como resolver ser mãe e adotar um filho de 30 anos. Não faz sentido.

E agora, depois de minha experiência de faxineira com gatos, eu os odeio, quer dizer, os repudio, mais ainda. Outro dia, fui limpar um banheiro e, ao abrir a porta, dei de cara com a casinha do gato, cheia de cocô. Vocês sabem da fama do cheiro do cocô de gato? Não soh fede: é o pior cheiro que existe, eu tive que me controlar pra não desmaiar. Que tipo de gente em sã consciência se tranca num banheiro com uma caixa cheia de cocô de gato? (e não venham dizer que é tatica de camuflagem).

O irônico é que aqui em casa temos um gato. Ele vive do lado de fora, na janela da cozinha. Quando Camilo coloca o gato no braço, eu passo três dias sem toca-lo. Camilo diz que ele é um gato caçador. Caçador de quê, eu não sei. Tudo o que eu vejo é o gato dando voltas no jardim, meio perdido, como se tivesse fumado alguma coisa. Aih, as vezes eu dou umas batidinhas na janela da cozinha, faço "ooiinn, gatinho, xiuiu"... depois me lembro que eu odeio gatos, me recomponho e volto a ignora-lo.

14 comentários:

Caso me esqueçam disse...

pensei que fosse desnecessario, mas de toda maneira, gostaria de deixar claro que o fato de eu não gostar de gatos não significa que eu não me importe com eles ou que os maltrate. ok, sociedade protetora dos animais?

Drixz disse...

Eu acho que se vc continuar assim vai acabar gostando deles. Eu tbm repudiava cachorros, mas tem um na casa da minha sogra que é praticamente da família. Tem um sofá só pra ela e é o melhor da casa. Eu acho ela nojenta e lambenta. Além de estúpida e sem graça. Mas não é que vira várias vezes eu me pego fazendo carinho nela. Assim vou acabar com minha própria fama. hehehe

Mas ae, eu acho q esse povo coloca a caca de gato no banheiro pq não costumam ir muito lá. E esse povo não compra aquela areia q absorve o cheiro de coco de gato? É uma maravilha e ainda fica super simples de limpar.

Amanda disse...

Ih, vou te denunciar pra Lola, hhehe!! A comparaçao com adotar um filho de 30 anos foi otima!!! :)

Muito engraçado esse post!

Eu gosto de gatos, tava até pensando em adotar um. Dai fui trabalhar de baba em um ape que tinha um deles e descobri que tenho alergia, mas so àquele gato! Que coisa mais estranha! Trabalhei um ano em outra casa com gato, todo dia, e nao tive problema nenhum... Coisa mais estranha! Mas imagina se eu passo a ter alergia com o gato que eu adotar? Melhor nao arriscar, né?

::: Luís Venceslau disse...

Eu gostaria de ter um bicho q tivesse a personalidade do gato e a utilidade anti-roubo do cachorro. Mas o q um tem de lambão e carente o outro tem de peludo e vagabundo, aí fico longe dos dois.

asnalfa disse...

Tb odeio gatos!!!
Sou mil vezes cachorro.
Gato=lixo
Cachorro=amigo

Neide disse...

Nunca gostei de gato! jamais tive um gato em minha casa! adoro cachorro!

lola aronovich disse...

Luci, a Amanda te denunciou lá no blog, e aqui estou! Ah, gatos são tãoooo lindos! Eu não os amo por serem independentes, porque nem os acho assim tão independentes. Mas que exigem menos atenção que cães, exigem. Mas também não creio que cães sejam tão dependentes assim. Enfim, eu gosto da graça felina, de como eles andam, dormem, dormem e dormem (porque o bicho dorme dois terços da vida), de como eles parecem sempre estar sorrindo, da fofura, do bom humor, de um monte de coisa. Aqui em casa temos dois gatos e, sabe, a única vez que senti o cheiro de coco ou xixi deles foi agora em dezembro, quando os levamos pro veterinário pra serem vacinados, e a Blanche ficou nervosa e fez coco na caixinha. Um cheiro horrível sim, mas pra vc ter uma ideia, eu nem sabia que ela podia produzir um cheiro assim, e olha que eu já tenho essa gatinha preta magnífica há dez anos. Eles fazem todas as necessidades deles no jardim e enterram. A gente nem vê as fezes! Agora provavelmente vamos nos mudar pra uma casa sem jardim e isso vai criar dificuldades, mas nada que uma caixinha com areia e pedrinha especiais não resolva. E nossa casa é bastante peluda, lógico, mas eu não colocaria a culpa toda nos gatos. Eu perco cabelo a rodo!
Sei lá, acho perfeitamente possível amar gatos E cachorros. Eu, pelo menos, nunca preferi um a outro. Mas gatos certamente dão menos trabalho. Não tem que levar pra passear, não tem que dar banho...
Mas Luci, eu nunca tinha lido o seu perfil. E ADOREI! Muito espirituoso e fluente. Conta melhor essa história de morrer aos 4 anos, conta? Abração às sortudas franco-brasileiras que não precisam enfrentar baratas!

Ana disse...

hahaha olha vc causando ao dizer que nao gosta de gatos. Eu também não gosto muito não. Na verdade um gato matou meu coelho de estimação quando eu era pequena. Não preciso dizer que até hoje isso está na minha memória.
Quando às madames, que medo! Não sabia dessa história de arrumar xampu por tamanho, cruz credo!!! rs
beijos e me divirto toda vez que leio seu blog.

luci disse...

drixz: a minha casa, quer dizer, a casa dos meus pais, tera sempre um espaço pra um cachorro, creio eu. a primeira cadela viveu mais de 10 anos. o segundo cao, viveu sete. agora estamos no terceiro. nada mal pra uma familia que começou ha 27 anos, nao? mas essa de sofa pra cachorro eh demais. nenhum cachorro ousou jamais colocar os pes dentro de casa. minha mae morde.

amanda: eu pensei na lola quando escrevri o post. nunca vi uma pessoa falar tao bem de gatos e nao ser ancia :)

luluis: poxa, a maior utilidade do cao nao eh essa. a maior utilidade dele eh lamber e ser idiota quando a gente precisa de lambidas e idiotices o/

lola: mal sei essa historia de morte, ja que o ponto forte da minha familia nao eh o dialogo, mas vou ver como explico isso hehehe

ana: eh sempre dificil admitir algo que voce nao gosta. voce viu como eu fui medrosa e ja comentei nos comentarios? hehehe ser politicamente incorreta eh perigoso...

lola aronovich disse...

Ha ha, eu sou praticamente uma anciã! Mas tá cheio de gente que ama gato e é bem novinha. Que bom que vc se policiou ao falar dos gatos pensando no meu ódio eterno! Fez muito bem, eu sou tão perigosa quanto um gatinho!

Rita disse...

quaquaqua, obrigada!! Dei minhas risadas nesse dia fatídico em que volto a trabalhar depois das férias. Ufff, thank YOU!

bjocas!

Leonardo disse...

"E aí, o gato e eu ficamos sambando, sem saber o que fazer."
HAuhauah, ri muito imaginando a cena!

Bel Butcher disse...

Cara, tô eu aqui na biblioteca, com sete páginas faltando para corrigir o mémoire, e resolvo fazer a "ronda dos blogs". Eu só não mijei em plena biblioteca e nem dei gargalhadas porque aqui é um local de silêncio... e de higiene (hum, será?). Mas foi difícil me controlar...

Excelente post, apesar d'eu gostar muito de gatos (e eu não são velha!). Mas eles são uns sacanas mesmo. E, não, eles não são independentes. Eles têm mais características humanas que pensamos. Não exatamente as melhores: eles fingem que são independentes, mas adoram um dengo (sim, são carentes, mas tratam você como escravos deles. "mais pra esquerda... sim, sim, continue... agora coce atrès da orelha... isso, bom. Pára!(nnhact), não precisa descer até a barriga!").
Eles te ignoram, pisam mesmo em você, quando você faz alguma merda. Eles ficam bravos e expressam isso com mordidas e arranhões.

Mas eles são fofos, espertos e carinhosos também.

Agora, o problema do gato não é exatamente (ou somente) o cocô, mas o xixi. Especialmente xixi de gatos machos, não castrados. ui!
Agora, recomende aos donos de gatos um banheiro, com direito a portinha e tudo. Preserva o bom ar do ambiente.

Laércio disse...

Só duas coisas: amo gatos, já criei vários, mas entendo, principalmente sobre o fedor! E... "Xiuiu" kakakakakakkakakakakakakkakakakakakakakakakakakkakakakakakakakakkakakakakakka quando penso que já tinha rido o bastante... Saudades!

Talvez

Related Posts with Thumbnails