segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Fila da mae (ou trocadilhos a se evitar)


Todos os anos, eu - e outros milhares de estrangeiros - preciso renovar meu titre de sejour, o documento que permite que eu viva e trabalhe na França. E a cada ano que passa, esse procedimento se torna cada vez mais dificil de ser feito. Ano passado, incluiram como parte obrigatoria do processo a presença do marido/esposa francês na Prefeitura. E, ha alguns meses, um dos meus colocs, originario da Ilha Mauricio, disse que a Prefeitura decidiu limitar a quantidade de estrangeiros atendidos e passou a distribuir apenas duas centenas de senhas por dia. Isso fez com que as pessoas passassem a chegar cada vez mais cedo na fila. Resultado: à 1h da manha, ja tem gente fazendo fila na calçada da Prefeitura. Detalhe importante: o expediente começa às 9h da manha. 

Vocês podem imaginar o tamanho da minha felicidade quando ouvi isso. Sobretudo, porque meu titre expiraria dentro de algumas semanas. Quando a data se aproximou, preparamos a papelada e fomos super satisfeitos, às 4h da manha, fazer o que o ser humano mais gosta de fazer: fila. 

Peguei minha bicicleta (afinal, o metrô nao funciona a essa hora) e fui à Prefeitura. Pelas minhas toscas contas, ja havia umas sessenta pessoas na minha frente. Camilo, zumbi, chegou meia hora depois. A chuva começou. 

Personagens em volta: cinco homens arabes de jaqueta preta falando merda na minha frente. Uma jovem arabe, que tava sendo violentamente cantada por outro arabe que tava atras dela, e um velhinho caquético que eu nao sei bem onde estava. Mas ele parecia ta morrendo.

A noite foi indo embora, a chuva enfraqueceu, as pessoas foram chegando. A conversa entre os arabes era animada e de vez em quando alguém saia da fila pra comprar café. O arabe deu tanto em cima da menina que escutei num momento dela: "olha, você ta me constrangendo, eu tenho namorado". Ele dizia sorrindo: "mas eu nao me importo". Mas a menina era bem simpatica e nao se importou com as investidas, conversou com ele a manha inteira. Eu, morta de tédio, prestava atençao em tudo pra me distrair. Depois aconteceu o que todo mundo sabia que ia acontecer em alguma hora: uma briga. Minha gente, a fila da Prefeitura é mais tensa que roleta russa. Basta alguém dar um passo em falso, literalmente, que a confusao começa. 

O sol apareceu. Seis, sete da manha. O arabe deu um beijo no braço da menina. O velhinho pediu pra eu avançar. O casal atras de mim começou a falar espanhol. Oito horas da manha e varios palavroes na minha cabeça. 

Algum tempo depois, uma velha com seu filho adolescente, pediu pra que abrissem a grade de ferro que define a fila pra que ela entrasse. As pessoas costumam entrar e sair da fila  pra substituir algum parente que esteja cansado de ficar em pé, por isso, ainda que desconfiados, deixaram a velha entrar. O problema é que ela nao estava ali pra substituir ninguém, ela estava ali pra fazer o que NINGUEM, nem mesmo uma velhinha, poderia ousar fazer nessa situaçao: furar fila.

PAM RAM RAM RAAAAAAM!

E na frente de quem ela decidiu ficar? Na minha frente, pessoas. Na-mi-nha-fren-te! Ela entrou na fila e disse "é que eu tou esperando meu outro filho que ta la na frente", aih ela deu um xauzinho la pra frente pra alguém. Soh que esse alguém nao existia! Ela acenou pra nuca das pessoas, porque ninguém respondeu ao aceno. E o Oscar de melhor atriz vai para… 

Meus amigos, vejam bem. Eu sou uma pessoa otaria. Levo desaforo pra casa, nao sei dizer "nao", perco certas oportunidades de falar o que penso etc e tal, mas essa velha despertou meu lado Hulk e, quando eu me dei conta da situaçao, peguei ela pelos bigodes e a arremessei no chao eu perguntei a ela o que ela tava fazendo ali e chutei a cabeça dela quatro vezes pedi gentilmente pra ela ir encontrar o tal filho dela na fila. Como ela ficou enrolando, eu entrei na frente dela e comecei a dizer que eu nao tinha chegado ali às 4h da manha pra que alguém viesse pegar meu lugar e bla bla bla. Pra alguém banana, timida e travada no francês como eu, foi um grande feito. Eu merecia um biscoito.

A pilantra ainda tentou sustentar toda aquela farsa imunda mandando o filho dela procurar pelo suposto irmao, mas o menino era meio atrasado mentalmente porque nao captou bem o que a mae tava tentando fazer e voltou de uma breve procura na fila dizendo "maaaae, eu acho que ele ta em casa mesmo, viu". Game over, dona Maria! As pessoas atras de mim ja tavam com foices e tochas na mao, prontas pra caçar a véia. Ela acabou saindo da fila gritando "minha vingança sarah maligrina!"

Teve um momento em que um passarinho pousou no chao e os arabes enjaquetados gritaram "sai da fila!" hihihi (eu ri!). Quando finalmente deu 9h da manha, e todas as minhas varizes ja gritavam aflitas, a Prefeitura abriu. So que, a essa altura, nao existia mais uma fila definida. A arabe, o arabe, o velho, o casal e outras pessoas estavam ao meu lado, a fila tinha se compactado e ninguém sabia direito a ordem dela. Mesmo debaixo da desordem, conseguimos entrar e pegamos o ticket numero 100. 

Entrei no prédio e me deparei com uma luz muito forte vindo do final do corredor: eram duas cadeiras vazias. Cadeiras, minha gente, cadeiras! Vi que havia duas pessoas se aproximando delas, entao, rapidamente, fiz uso das minhas habilidades na arte do tae kwon do para neutraliza-las. Depois de conseguir os tickets e as cadeiras, a segunda metade do dia foi facil: soh precisamos esperar mais cinco horas até sermos atendidos. Em cinco minutos, a moça simpatica do guichê deu andamento no meu novo titre e disse "volte em três meses pra pegar o documento definitivo". Com prazer. 


24 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Um biscoito pra você \o/

Menina, que delícia de post (mesmo que um dia todo por um papelzinho não seja meu conceito de diversão, rs).

Beijos risonhos

Rosa Lopes disse...

Eu também tô rindo!!!
Bj

Ashen Lady disse...

Fila e frequentadores de fila são iguais em todo o mundo. A sensação ruim de achar que estaria brigando por coisa à toa já me fez deixar furarem a fila várias vezes.

Simone Westerduin disse...

Luci não rola um alguel de banquinhos, uma barraquinha com café da manhã e um bolinho de fubá, não rola pagar uns 2 'euru' pra algum morador de rua ficar na fila? A partir de hoje, não praguejarei mais contra a imigracao da Holanda que só abre das 9 ás 1 em um dia, no outro das 2 ás 4, no outro não abre... mas nunca peguei fila.

beijão

Eliana disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH Esta véia tinha que receber um prêmio porque se não fosse por ela, vc não teria esta história hilária para contar. Filas são sempre muito interessantes, quanto mais demoradas ficam, mais interessantes...sai de tudo! Eu já enfrentei fila de dia inteiro para conseguir um par de ingressos a 1 real para uma peça de teatro no municipal de São Paulo...Foi tão hilário que eu nunca mais me esqueci. hahahaha Sobrou até pro passarinho hahahaha Boa semana. Lucy.

Mariana disse...

Esses teus relatos so me deixam mais convencida de que as autoridades francesas acham que estudantes merecem mais respeito que cônjuges estrangeiros de franceses. Porque assim, pra nos também esta cada vez mais dificil mas fazer fila à 1h da manhã? Porra Luci, fala sério!!! E ainda tem larapio cara de pau o suficiente pra tentar furar???? So com Tai Kwon dô mesmo!!! e muito zen budismo para não atacar o atendente do guichê e estapea-lo!!! Bravo Luci!! Vc venceu as olimpiadas do Titre 2011!!!! bjus!!

Maite disse...

Hahahaha! Eu ri! Muito!
Todo ano quando esta chegando a epoca de renovar o meu, eu penso: la vem!
Amanha vou buscar o meu novo! Ainda bem que sofrimento desse, so em 2012...
Beijos!!!

Mari Biddle disse...

Luci, tu precisa de um esquemão para sobreviver nestas filas. Sabe o kit fila? Vamos criar um para você, amiga. Isso é muito sofrimento.

Definitivamente a única coisa boa de ser imigrante nos EUA - é que aqui não tem essa bagaça de fila. Tudo se faz pela net.

Bjs

disse...

Afe, deu afliçao esse teu post. Pq sei exatamente pelo que vc passou... ja passei muuuuito perrengue por causa de titre de sejour q nem te conto. O meu atual é valido até 2014 e ja avisei pro Rô q a gente volta pro brasil antes disso só pra nao precisar enfrentar td isso de novo.

E é fato: esta cada vez pior e em todas as cidades da Fr.
Bjs!

Deise Luz disse...

hahaha, eu sou muito isso: tímida, banana, levo desaforo pra casa. de modo que te entendo muito e sim, acho que você merece um biscoito! hihi.

Palavras Vagabundas disse...

Luci você merece um prêmio, pelo menos um literário (pelo post) e uma medalha da Santa Paciência (pela espera). Véia loca, rs
bjs
Jussara

Juliana disse...

ai, eu fiquei nervosa só de ler. meu deus, eu teria largado tudo e voltado pro brasil. hehehehehehehe Que difícil isso tudo.

Deliciha de post!

olhe só, vc deixou um comentário no meu blog perguntando sobre o TAG e a ansiedade. eu pensei em responder aqui ,mas ficou um negócio meio gigante. vc se importa de me dar seu e-mail, daí eu te mando a resposta?
o meu é julianasantana2606@gmail.com

beijos

Vanessa Peres disse...

Deus que me perdoe (ou não), mas o lance dos arabes, se tu tivesse omitido que eles eram arabes, ja dava pra adivinhar apenas pelas atitudes deles. E sobre essa velhinha, perdi o ar so de imaginar a raiva, o estresse!

Eu vou renovar meu visto pela primeira vez em setembro e pelo que me disseram na prefeitura, é a universidade que vai se encarregar de tudo. Pq o teu é diferente?

Iara disse...

Ai, o Estado Francês e a simpatia com que tratam os estrangeiros! Quanta saudade! #NOT

Fiota, só amando muito, viu?

Wilqui Dias disse...

Menina hahahaha essa velhinha roubou a cena viu?? e quaaaaaase rouba seu luar tb....ainda bem que foi na frente da brasileira que mais que SABIDA disse ô veia vazzzzzzzzzza!!!! rssss bjs

Caso me esqueçam disse...

simone: hehehe e nao foi isso que comentei com camilo na ocasiao? "se isso fosse no brasil, ja tinha meio mundo de carrinho de fritura, de agua etc etc"

mari: a FR ainda nao chegou nesse grau de respeito com seus estrangeiros. aqui eh pra se arrepender de ter casado!

dé: proximo posso pedir o meu titre de dez anos :D

vanessa: universidade? teu visto eh de estudante? o meu eh de casada e tal, nao seria por isso?

iara: pois é! se nao fosse amor, ja tinha picado minha mula! vê-se que nao somos bem-vindos ;)

Vanessa Peres disse...

Ah é, deve ser por isso. Eu ja tenho medo de casar, agora entao, heheeh, vou morrer estudante :D

Caso me esqueçam disse...

vanessa: nao é ma idéia!

Sardenta disse...

minha amiga, é muito amor isso aí, né? hahaha

Helena disse...

Bah, quando peguei o meu em 2005 foi tão facinho, mas relatos como o da Luci são cada vez mais frequentes (claro que nenhum chega aos pés do teu no quesito mijar de rir), que só de pensar em ir morar na FR me dá arrepios. Ainda bem que tu treinou o taekwondo pra escapar dessa!

Neide disse...

Oi Luci!!! nunca ri tanto em minha vida!!!! muito engraçado a historia da velhinha. beijos

Glória Maria Vieira disse...

UM PACOTE DE ROSQUINHOS DE BANANA PRA VOCÊ, CHEFA! /rosquinha de banana são as minhas preferidas. hihi KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

MIRMÃ! Queeeeeeeeeee atuação, ein!? Agora sim o OSCAR vai para... LUCI-LUCI QUEBRA VEIA CARA DE PAU! HAHAHAHAHA \o/ Todas aplaude muito demais.

Ai, eu ainda terei meu dia anti-banana, Chefinha! Sou dessas também.

"um velhinho caquético que eu nao sei bem onde estava. Mas ele parecia ta morrendo."

SÓ, NÉ?! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK RI LITROS E BUJÕES.

Drixz disse...

Por isso eu nunca consegui ter um passe estudantil. O esquema era igualzinho, eu chegava lá as 6 da matina e já tinha briga na fila e o preço dos lugares já tava inflacionado. Mas vc é orgulho das engolidoras de sapo. ;-) isso ae, Luci!

Rita disse...

Caramba, que odisseia... parabéns, viu? E ri muito, pra variar.

Bj
Rita

Talvez

Related Posts with Thumbnails