domingo, 14 de agosto de 2011

Especial férias (en velo) - parte II

(Para ler a primeira parte da viagem clique aqui). 

Depois de Tarascon, fomos parar em Saint Gilles. Nesses dois primeiros dias, nohs pegamos muitas estradas ruins por culpa de Camilo por falta de experiência. No segundo dia, por exemplo, tomamos uma estradinha simpatica que seguia o curso de um canal. Começamos contentes e felizes, mas de repente os buracos começaram a aparecer, a mata começou a se fechar e, quando nos demos conta, ja era impossivel pedalar. Entao, peguei minha foice de bolso e fui derrubando arvore por arvore e nem mesmo os ferozes hipopotamos e dragoes que encontramos pelo caminho ficaram vivos pra contar historia. 

Inclusive, aproveito esse momento para dizer àqueles que acham que eu exagero em certas historias que tudo o que eu falo aqui no blog é a mais pura verdade. No ultimo pic nic de blogs, Camilo, injustamente, disse que eu inventava as historias, minha gente. Absurdo! Foi um golpe duro, sobretudo por se tratar de alguém que me conhece bem e sabe que eu nao minto nun-ca. Portanto, hoje, quero apresentar a vocês o patrono do caso.me.esqueçam. O rei! O mestre! O inesquecivel Nelson!

 iêu?

Opa, Nelson errado. Agora vai: Nelson Rubens, meu povo!

Tchan ram!

Criador do bordao "eu aumento, mas nao invento", Nelson Rubens certamente me entenderia. Mas voltando...

Em uma outra estrada, encontramos um cercado cheio de touros. Touro foi o bicho do qual mais vi referência indo pro sul. Nao sei que tara é essa desse povo pelo bicho. Estatua de touro, exposiçao de touro, feira de touro, cartazes de touro. Touro.

 Os touros estavam desconfiados com a presença da maquina fotografica. Menos um. 


 Gente, pode ser pro Daily Press
Nao era. 


 Nao sei o que me encantou mais nesse touro. Se foram os mosquitos sambando nos olhos dele...

...ou se foi essa linguinha preta. 

Chegamos à Saint Gilles, nos instalamos no camping e fomos tomar uma cerveja. Foi pra compensar, estavamos saudaveis demais. No dia seguinte, fomos dar uma volta na cidade (o que deve ter nos tomado 2 min, dado o tamanho dela). A coisa mais bonita da cidade era essa igreja que faz parte do itinerario dos peregrinos que vao à Santiago de Compostela:





Tinha até uma "casa dos peregrinos" perto da igreja. E esse mendigo que ta na frente dela é meu marido. (Eh naaaao, amor! Eh mendigo nao, é lindo! Chuac!)

 A esquerda, uma bunda. A direita, uma placa que diz "compartilhemos a estrada" que, claro, era ignorada pelos carros que tentavam a todo custo nos matar. Eu, como cidada consciente, respeitei a placa e pedalei a menos de 70 km/h.

Trecho da viagem: vinhas

Vamos recapitular nossa viagem, amiguinhos?

1° dia: Lyon - Avignon (em trem) - Beaucaire - Tarascon
2° dia: Saint Gilles 
3° dia: Grau du Roi 

Grau du Roi foi o lugar mais cu da viagem, apesar da praia, do céu azul, do cheiro de mar, do sol, das gaivotas gaiteiras... (ai, que bom!). Quando chegamos, eu tava quase infartando de tanta felicidade (pelos motivos citados), mas a cidade tava atolada de turistas e tava dificil encontrar vaga nos campings. Nao tiramos nem foto, mas joga no Google e você vai entender porque a cidade fica lotada nessa época.

Ficamos rodando e a unica vaga que encontramos num camping custava 56€ pros dois (quando estavamos acostumados a pagar 15/20€)! Era um camping 4 estrelas, mas pra gente que so queria um chaozinho pra armar uma barraca, isso pouco interessava (momento classe média sofre). Mas Grau du Roi é uma cidada pra gente RYCA!, e se a gente ta na chuva é pra se molhar. Inclusive, havia chovido na noite anterior e a vaga que nos deram estava completamente enlamaçada. Tou dizendo, foi um cu. Tive vontade de deixar um cocô no terreno, mas isso nao seria muito sao. Picamos nossa mula e fomos pra Carnon Plage.

(Fim do segundo ato)


14 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

"À esquerda, uma bunda". Isso é que é talento descritivo, xará!

E eu aumento mas não invento é uma expressão clássica que há de ser reverenciada pelas gerações futuras, não deixe que uns poucos Camilos, ops, umas poucas pessoas menos visionárias inibam seu talento...

beijocas

Mariana disse...

Inventar??? Como assim, inventar? Quer dizer que hipopotamos e dragões podem não ter saido da mata enquanto tu cortava arvores com teu facão?
Até parece, Luci!!! Eu acredito em tuuudddooo, ta???
E estou adorando o diario de bordo, tô até sentindo dores musculares em solidariedade à tanta pedalada!!!
bjus§!!!

Rita disse...

Gente, essse blog já é bom com a bunda da Luci sentadinha em Lyon; com ela rodando por aí, então, está simply the best!!! Morreeeendo de inveja dessa pedalação toda por aí, viu. O mais longe que vou com minha bike é num bairro de Floripa, e isso porque ela vai 80% do trajeto presa no carro, hahahaha - ai, que vergonha. Mas minhas crianças vão crescer (e eu vou ficar velha, mas deixa pra lá) e ainda hei de pedalar pelas terras dos touros igualzinho a vocês.

Beijo grande!
Rita

Rosa Lopes disse...

Ah maridos...peraí..., mas se esse tem parte de sua memória e te conta as coisas, quem inventa no final?

Luci, estou sentindo falta da parte prática, juro, como se come nesses lugares; vc's param no meio do caminho; o povo oferece carona, água; dá cantada; tinha alguma armadura com um esqueleto dentro na beira do riacho?
Bj

Palavras Vagabundas disse...

'Aumento mas não invento' o que seriam das histórias sem esse bordão, nas suas ele é tudo!
bjs
Jussara
PS: Também to sentindo as dores musculares.

disse...

Menina, que coragem! Mas conta ai' pra mulherada: pedalar tanto assim emagrece? Ou com as brejas da chegada não adianta muito? Se emagrece, tai' uma dieta muito mais divertida que fechar a boca! Gostei.

A proposito, mais um pouco vc rouba (e com todo direito) o nome do meu blog! So' muda pra "Pedalando na França"!

Glória Maria Vieira disse...

Nããão, viu Chefa?! Camilão que me perdoe, mas você só conta a verdade. NADA MAIS QUE A VERDADE! U.U /ei, depois a gente acerta aqueles euros todos e tal... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Ah bestona! Se poderia ter saído um bando de muriçocas, porque não dragões e hipopótamos!?:O Ruuuuuuuuum.

Detalhe: "Por que boba Nelson Mandela seria o patrono? Apartheid social bloguístico?" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Deeeeeeeeeeeeepois, segundo depois, eu vi que o Nelson tinha outro bronze. AUHUHSUHAUHSUAHSUAHUSHAUHSUAHSHHSUAHAU


/arrasou na escolha do bovino. Língua preta é sinal de escovação! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK :P

Helena disse...

Luci, obrigada por ser tão solidária e estar nos proporcionando momentos de felicidade (de graça!) com a leitura do teu blog. Me mijo rindo dos teus relatos e tenho que ficar me controlando aqui no trabalho pra não chamar a atenção :P

Simone Westerduin disse...

Ó a minha mãe tinha mania de me dar beliscão toda vez que eu dizia que a história não tinha sido bem assim, me achei de rir com o marido mendigo, o meu também se disfarça super bem ás vezes hahahaha

beijao

Ana Pe disse...

Ótima essa viagem!!!
Como sempre, arrasando nos seus relatos engraçadíssimos!
O que eram aqueles touros?! e, aquela lingua preta...ui!

Suzana Elvas disse...

"Sai daí, Francisco, tá doido?"
Hahahahahahahahahahahahahahaha!
Ai, Asma.

Ana disse...

Ueba! Parte II, excelente. Essas férias foram demais hein?Bjo

Eliana disse...

Foice de bolso foi tudo...Camilo não entende nada, viu! Se ele não viu os dragões, perdeu! Quem mandou ficar olhando pros touros!rs E aí, ele conseguiu uns trocos na porta da igreja? hahaha Fez muito bem em respeitar o limite máximo na estrada...hahaha afinal devagar e sempre! hahaha Boas férias.

caso.me.esqueçam disse...

rosa: esse eh um misterio bastante complexo, mas se nao fosse camilo, eu nao teria metade das lembranças do fim de semana. parte pratica: a gente nao pedalava muito, entao nao tinhamos necessidade de pegar carona ou pedir ajuda pra agua ou comida na casa de alguem. a gente levou comida (barra de ceral, biscoito, agua, suco, macarrao, molhos e um troço de gaz e panelinhas pra cozinhar à noite). comemos em restaurante umas três vezes. a gente saia do camping entre meio-dia e 14h, pedalava algumas horas ate a proxima cidade e depois procuravamos um camping. nos instalavamos no começo da noite e no outro dia recomeçamos nessa rotina.

dé: rapaz, a balança continuou apontando pro mesmo lugar depois dessa viagem hehehe mas eu suei feito uma louca! olha, quando vou pro trabalho, vou pedalando tranquila, levo 30 min pra chegar e, apesar disso, chego com o cabelo todo molhado! entao imagina meu estado depois de horas pedalando debaixo do sol e toda velocidade. terrivel.

vice: uhauahuaauhauahaha pois é! eu e minha super piadas hihihihihihi e uma lambida desse boi, imagina! cabelo liso por cinco anos.


desculpa por nao responder a todos os comentarios: eis aqui a rainha da preguiça! mas eu leio e ADORO a todos! obrigada :D

Talvez

Related Posts with Thumbnails