terça-feira, 26 de abril de 2011

Futuro mais-que-perfeito

Semana passada, uma das minhas professoras decidiu arruinar minha vida: a monstra desse post. Sabe aquele trabalho sobre Abbé Pierre/Emmaus? Pronto, eu tirei oito. Isso seria uma noticia maravilhosa se a média das notas escolares francesas nao fosse dez (a nota maxima é vinte). Mas o problema nao foi a nota, foram os comentarios super motivadores. 

Ela disse que eu nao dominava o francês (o que de maneira alguma representou uma surpresa pra mim. Oi, eu estou na França ha quase dois anos e nao sei conjugar os verbos no subjuntivo) e ficou me questionando sobre o que eu pretendia fazer depois da graduaçao. Ela me chamou atençao e me questionou sobre coisas absolutamente normais, mas enquanto ela ia falando, as pessoas à minha volta foram se calando e as observacoes dela sobre minha habilidade com a lingua foram sendo ouvidas pouco a pouco pelos outros alunos até o momento em que eu me encontrei completamente constrangida, sobretudo quando eu tive que responder que o que eu gostaria de fazer em seguida era um mestrado. Foi chato. Foi chato escutar tudo aquilo e foi chato ver que o que ela disse me atingiu tanto que, assim que ela deu as costas, eu comecei a chorar. E se fosse so isso! Comecei a avaliar todas as dificuldades que eu teria num possivel mestrado com esse meu francês capenga e mimimi, o choro foi aumentando, mimimi, o que é que eu tou fazendo nessa faculdade, mimimi, ela tah certa, mimimi, eu nao vou tentar o mestrado. Olha, nem queria descrever meu estado de espirito naquele momento. TPM, baixa auto-estima, complexo de inferioridade e cansaço se deram as maos e massacraram este pobre coraçao durante as horas que se seguiram.

Entao, pra minha extrema surpresa, a Luci forte foi convocada e disse pra Luci patética  "a unica pessoa que tem o direito de sabota-la é você mesma, amiga, nao uma professora que ta com a vida ganha e que ta pouco se fudendo com você". Entao, a nuvem de medo se dissipou e eu voltei a sorrir e a reconsiderar todos os meus planos. Acho que vou escrever um livro de auto-ajuda. "Como matar seu eu patético". Vendera milhoes. E sera escrito em francês. Sem o uso do subjuntivo, é claro. 

20 comentários:

Mari Biddle disse...

No começo do post senti uma peeeeena de você, mas depois que você deu um chutão no lado negro da força de seu ser, dei pulinhos de felicidades ( na minha cabeça)!!!

Quem esta professora pensa que é! Né! A pessoa atravessa um oceano atlantico para dar a cara ao tapa do outro lado e, tem fessorinha pensando que pode derrubar um ser desses! Né assim não!

Beijos, sua linda!

*publica o diacho desse livro!

Rosa Lopes disse...

Luci eu tive que dividir a leitura do post pra ver os biscoitos no forno, e nesse caminho de ida fui irada pq desdo "ao mestre com carinho" que eu sabia que esse rebote viria, mas se na ocasião vc pareceu preparada, então já fiz o caminho de volta sabendo que vc ia dar a volta por cima. E taí.
Seja vc quem for nesse momento sinta-se abraçada.
Bj

Borboletas nos Olhos disse...

É claro, xará. O subjuntivo já é totalmente dispensável em português, que dirá em francês, ainda mais num livro de auto-ajuda em que os verbos devem estar todos no imperativo, né?

PS.Você é lindinha mas vai me matar de curiosidade...

Palavras Vagabundas disse...

Luci, escreve o livro. Vai ficar rica e dizer que deve a idéia a uma professora que te massacrou um dia, rs
bjs
Jussara

Renata Inforzato disse...

Oi Luci,

Digamos q estou quase na mesma, somando o fato de estar renovando o visto e ter sido enganda por um bofe ai. hehehehhehe
Acho q em vez de matar o eu patético, vou escrever como matar o bofe patético, sem subjuntivo e double pronom (o q é essa merda, meu Deus?)

Iara disse...

Luci,

SUA LINDA. Já virou heroína. Sério, você vai conseguir tudo, disso eu não tenho dúvida. As dificuldades são parte do processo, não são impedimento, você vai ver.

Nós disse...

Poxa Luci me senti assim hj numa entrevista em ingles pra uma vaga que pedia italiano fluente.
Poxa, além do nosso bom e velho portuga, modestia parte, estudo ingles desde os 8 anos! O CEO reclamou q tinha um erro gramatical na minha carta de apresentacao, detalhe que esta eh a vigesima versao.
Ele falou que seria minha fraqueza nao escrever ingles ta bem quanto ele precisaria.
Vontade de sair chutando a porta ou voltar e perguntar... e vc cumpadre? fala qtas linguas além do ingles?
affff
mas pensei exatamente que nem vc, vou estudar mais e ninguem vai me falar que escrevo mal. pq sei q escrevo mal em qq lingua e nao eh prioridade pra mim, nao to na fila do mestrado q nem vc querida.
rs
bjs e um suspiro pra aqueles que acham q é facil migrar!!!
Marcia

Aline Mariane disse...

ouais, vou querer um desse livro ae, tô precisando...

Isabela disse...

Caramba, vc viveu em um dia o que eu tô passando há duas semanas e conseguiu na mesma hora o que eu tô penando pra fazer há dias. Luci, me auto-ajuda? Meu eu patético tá dominando aqui...

(sério, seu post ajudou)

beijos pra vc

Mariana disse...

Adorei!!! Quando sai a publicação????

Aline disse...

Luci,
Concordo com a Mari do 1º comentário. Quem essa professora pensa que é? Outra coisa, não é todo mundo que tem a noção do que é sair do seu país, sua cultura, sua área de conforto pra crescer em outro se adaptando a todas as diferenças e se recriando. E vai por mim, que com esta postura duvido que essa professora teria esta coragem de sair pra crescer em uma cultura diferente, a covardia dela deve ser proporcional ao desencorajamento que ela passa na sala de aula, o que por sinal não é o papel de uma professora. Essa história de sair do país não é pra qualquer um não, tem que ter peito minha amiga! E eu sei disso pq passei bons perrengues na filial do inferno que é Buenos Aires e depois sem perrengues, bem mais feliz mas também com diferenças em Genebra. Isso é superação!
Olhe pra esta coitada como uma limitada no seu mundinho e ignorante por opção (ou a método de ensino dela deve ser daqueles bem arcaicos, de incitar e motivar o aluno pelo ódio, assim dá menos trabalho pra ela) e depois sacode a poeira e esfregue o mestrado na fuça dela só de pirraça, pra provar que ela está errada e deixá-la ainda mais contrariada por constatar que ela pisou na bola.
Fiquei brava! (deu pra perceber...rs..)
Não gosto de gente ignorante, preconceituosa, prepotente e arrogante e ainda mais por opção.
Mande ver menina, vc pode!

Caso me esqueçam disse...

eu ja fiz um vinte posts choramingantes nesse blog. juro pela minha virgindade que eu nao espero nada, soh posto, porque preciso desabafar. por isso, talvez, sei la, fico taaaao supresa e animada quando vejo a caixa de comentarios. vocês sao otimos! obrigada! me sinto realmente consolada e a vontade de ir alem soh cresce. tem como nao se sentir bem lendo um troço desse: "Seja vc quem for nesse momento sinta-se abraçada"? nao tem :)

obrigada pelo apoio moral, minha gente! nem sei como agradecer! #)

Ashen Lady disse...

Luci wins!

Glória Maria Vieira disse...

Posso falar? POSSO, né?! Afinal de contas sou a vice-dona desta budega amada!
PRIMEIRO: Professorinha filha de uma burrega mal-amada da peste! ELA PENSA QUE ELA É QUEM? Se ela pensar que é o CÃO, eu até que dou um desconto, mas se ela passou longe disso, ela tá frita com meu desbocamento tão massacrante quanto sua maldade. Que idioooooooota! Agora peça pra ela ler isso: VÁ TOMAR NA BEIRA DO C*, meu amor! Se ela conseguir entender o que, sabe-se lá se vai conseguir ler, está escrito, ai eu digo que ela é a fodona francesa. /sim, eu estou revoltadíssima com essa macaca! U.U Ira máxima nesse coments...

Ela acha que porque chegou aonde chegou pode pisar quem está a caminho. BICHINHA! PENA MÁXIMA DELA... Panaca! U.U

E pra finalizar: É essa a Luci que eu tenho conhecido. Senti uma vontade enorme de dizer, em português, claro, um quilo de desaforos a essa bandida e depois senti vontade de te dar um abraço beeeeeeeeem carinhoso e dizer que pra mim você é mais que um subjuntivo. É UM PRESENTE! (trocadilho feito especialmente para a Chefa mais potente da França... COF COF!) :)

Glória Maria Vieira disse...

E, CLARO, EU SEREI A PRIMEIRA A COMPRAR O SEU MASTER LIVRO!:)

Quero autografado para poder exibir entre os meus. Sem falar que ainda comprarei mais um e enviarei de presente para a professora endemoniada com muitos pingos de veneno nas pontas. (Eu sinto que para passar a página, ela irá levar o dedinho a boca, encharcar de cuspi e morrer... UASHAUHSUAHSUHAUHSUAHSUAHSUHUAHSUAHSU) /ok, eu só colocarei uma pimentinha pra arder bem (muito) pouco. hihi

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Rapaz, mas que mulher mais sem coração.
Acho que as pessoas estão perdendo a humanidade.

Ainda bem que voce não :D

(estou a meses acompanhando seu blog, li tudo, desde o começo. Voce é uma pessoa muito especial e tenho certeza de que todos os seus esforços serão recompensados)

disse...

Atrasada, mas tô aqui... ja' até li o posto novo e uau! A Rita nao existe, é fofa demais.

E bola pra frente que vc ainda vai esfregar na cara dessa professora lesada seu diploma de graduação, mestrado e porque nao de doutorado!

Qdo comecei a procurar emprego aqui, cheguei a ouvir coisas como "com esse seu francês eu nao poderia te mandar a nenhum cliente meu e vc dificilmente vai conseguir um emprego!". Pois bem, 1 mês depois eu estava empregada. Ok, nao era o emprego dos sonhos, mas era um começo. Eu so' precisava de uma oportunidade para mostrar do que eu era capaz e tempo para aprimorar o francês.

Bola pra frente!

Yuska disse...

hoje eu tive uma experiencia inversa, de felicidade com relacao a um professor. isso eh possivel? É sim! Depois de mil reunioes eu consegui exergar na mesa dele um pequeno livro surrado (desses que a pessoa usa tanto que ele fica torto). E sabe de que era? De conjugação dos verbos franceses. Detalhe super importante: Ele É FRANCES NASCIDO E CRIADO!!!! Me senti a estudante de frances menos mediocre da franca! huahuahauh

Yuska disse...

esqueci de dizer.....eu perguntei a ele se ainda o usava e ele respondeu com aquele biquinho que so frqnces faz: bien sûr!
huahuahuahuaha

Sol disse...

pow Luciana, seu post me fez pensar...
Como historiadora que sou eu daria um braço para por meus pesinhos na França, acho tudo aí tão encantador! afinal de um jeito ou de outro a europa foi o alicerce da cultura ocidental mas...
Todo mundo com alguma coisa na cabeça sabe perfeiamente que ser IMIGRANTE na Europa é uma bosta, a xenofobia aí é Foda! Na Academia deve ser particularmente dificil já que muitos preferem ver os imigrantes em suas cozinhas e não ao lado de seus filhos na universidade.

Tenta não ligar pra eles, Muita força pra vc!

Talvez

Related Posts with Thumbnails